Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

14 dez

Família, o verdadeiro núcleo duro de Caiado, vai ser problema para o novo governo porque inevitavelmente surgem distorções quando o poder é compartilhado por mulher, filha e genro

Quem rememorar a campanha de Ronaldo Caiado ao governo do Estado vai se fixar na profusão de imagens, nas redes sociais, que o mostram ao lado da mulher, Gracinha, e principalmente da filha Anna Vitória e do seu marido Alexandre Hsiung. Há mais filhos e filhas, mas esses três, presentes em todos os momentos e etapas da jornada eleitoral, parecem constituir o verdadeiro núcleo duro deliberativo do novo governador.

 

Com a sua família estreitamente ao lado, Caiado venceu a eleição(veja foto acima, com Anna Vitória e Gracinha, em um dos debates da campanha, que Caiado publicou em suas redes sociais com a legenda: “Com elas ao meu lado, fica fácil encarar qualquer desafio”), em uma situação igual à de Jair Bolsonaro e seus três filhos – que constituem a sua verdadeira base pessoal, uma espécie de primeiríssimo círculo de poder. Nos dois casos – Caiado e Bolsonaro – só depois é que vem, digamos assim, o resto.

 

Mas família, historicamente, é sempre mais problema que solução. O estreitamento íntimo e emocional de relações acaba levando a uma visão distorcida da realidade, em que não só fatores racionais são levados em conta, mas também a carga das ligações estabelecidas em função dos laços de parentesco e da convivência privada. Imagine, por exemplo, leitora e leitor, se Anna Vitória assumir a Casa Civil do governo Caiado, que é a vontade e aspiração que tem: qual do secretariado e das relações do poder falaria a verdade para ela, prevendo que instante depois o próprio governador saberia de tudo? E o que pensar de um governador influenciado pelas opiniões do seu círculo doméstico, cujas extensões estariam agindo – pelo menos para a maioria das pessoas – em seu nome?

 

Isso não funciona. A experiência anterior que Goiás tem é a de Iris Rezende, um governante que trouxe a família para o governo, através do irmão, da mulher e das filhas e genros. Não dá certo. Pode servir para a prefeitura de Goiânia, mas não para o governo do Estado e tem a ver com as três derrotas que ele sofreu para Marconi Perillo.

 

É um desafio a mais para Caiado.