Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

10 jul

Política de contratação de temporários (só na Educação já são 20.384, sendo 13.358 professores) abusa dos direitos dos trabalhadores e mostra total improvisação administrativa do Estado

É um vexame para Goiás a intensificação da política de contratação de temporários pelo governo do Estado. Só na Educação, já são 20.384 temporários, sendo 13.358 professores. Mas há outras áreas, como a dos vigilantes prisionais, em que também há milhares de contratados dentro dessa modalidade. Nesta semana, o governador Zé Eliton autorizou a admissão de mais 973 professores temporários.

 

Temporário significa, leitor, que o trabalhador não tem nenhum direito: nem férias nem décimo-terceiro nem contribuição previdenciária nem nada. É a pior forma de precarização do trabalho que existe no país e só perde para o trabalho escravo.

 

Só esse item – contratação de milhares e milhares de temporários – é suficiente para confirmar que é lorota o discurso de Marconi Perillo e agora de Zé Eliton alegando que o Estado foi modernizado nos últimos 20 anos e que hoje cumpre o seu papel de transformar para melhor a realidade dos goianos. Na realidade, o que houve e continua havendo é muita, mas muita improvisação e a desumana situação dos temporários é a maios prova disso.

 

10 jul

Marconi, Zé Eliton e a base governista não conseguem dar início à campanha, enquanto Caiado, que lidera as pesquisas, continua cumprindo uma agenda eleitoral intensiva

A vedação legal para que candidatos participem de inaugurações e distribuição de benesses de governo, a partir do último sábado, 7, levou o governador Zé Eliton e o ex Marconi Perillo a um vácuo eleitoral.

 

Há três dias que eles não têm nenhuma atividade de campanha. Ficou patente que não houve nenhum planejamento para que os dois mantivessem uma movimentação compatível com o momento, ou seja, quando se está a menos de 90 dias da data das eleições e os dois – Zé Eliton e Marconi – parecem ignorar essa premência.

 

Ao contrário, o senador Ronaldo Caiado, líder absoluto em todas as pesquisas, com potencial para vencer no 1º turno, segue em atividade intensa. Nesta segunda, em seu escritório político, na casa do senador Wilder Morais, ele recebeu centenas de lideranças do interior. Isso mesmo, centenas. Não é exagero. Basta conferir no seu perfil no Instagram(acima, uma das fotos postadas).

 

Caiado faz campanha e trabalha como quem está atrás nas pesquisas. Seus adversários seguem em berço esplêndido.

10 jul

Marconi segue no noticiário negativo: depois do pedido do MP federal para quebrar seu sigilo telefônico, agora é o MP estadual que abre inquérito contra ele para apurar “pedaladas” nas contas do Estado em 2015

A menos de 90 dias da data das eleições, o ex-governador Marconi Perillo continua estrelando as manchetes negativas dos jornais.

 

Depois que o Ministério Público Federal pediu a quebra do seu sigilo telefônico, na semana passada, para apurar o recebimento de R$ 10 milhões da Odebrecht, conforme dois executivos delatores da empresa, Marconi aparece nesta terça-feira como alvo de um inquérito civil público, aberto pelo Ministério Público Estadual, para investigar se ele praticou  atos de improbidade administrativa na gestão da Conta Centralizadora do Estado de Goiás.

 

Ou seja: o MP suspeita de “pedaladas” nas finanças estaduais, na época de Marconi no governo (2015), já que os dados de receitas e despesas contabilizados seriam artificiais e o tucano teria desrespeitado as aplicações mínimas constitucionais, improvisando soluções não compatíveis com a legislação.

 

O MP estadual se baseou em pareceres do próprio Tribunal de Contas do Estado, que apontou irregularidades graves no balanço financeiro de 2015, envolvendo a movimentação ilegal de recursos do Tesouro Estadual.

10 jul

Vilmar Rocha surpreendeu ao sair na pesquisa Diagnóstico/DM em 4º lugar para o Senado, com 20,3%, atrás apenas de Marconi, Lúcia Vânia e Kajuru. Mas, no cenário avaliado, esse resultado tem todo sentido

Ninguém esperava tanto: Vilmar Rocha apareceu na pesquisa Diagnóstico/DM em 4º lugar, com 20,3%, atrás apenas de Marconi Perillo, Lúcia Vânia e Jorge Kajuru. Além disso, saiu à frente de Demóstenes Torres, com 11,5%, e de Wilder Morais, com 9,5%.

 

Esse resultado surpreendeu, mas tem todo sentido e está dentro do contexto do cenário proposto pelo instituto. Primeiro, a pesquisa para o Senado do Diagnóstico não incluiu o nome do empresário Vanderlan Cardoso, o que todas as outras vêm fazendo. Segundo,Vilmar já aparecia  no mesmo 4º lugar na pesquisa anterior (tinha 13,5%), também à frente de Demóstenes (12,9%) e de Wilder Morais (6,3% ).

 

Pelo sim, pelo não, o fato é que o ex-deputado federal e presidente do PSD estadual é, sim, um nome competitivo para o Senado.

09 jul

Proibidos pela legislação eleitoral de participar de inaugurações e entregas de benefícios de governo, Marconi e Zé Eliton ficam sem agenda pelo terceiro dia consecutivo

O governador Zé Eliton e o ex Marconi Perillo não se prepararam para o início do período em que estariam proibidos pela legislação eleitoral de participar de  inaugurações e entregas de benefícios de governo – que começou a valer a partir de sábado último e vai até a data da eleição.

 

Resultado: os dois estão sem agenda política ou eleitoral há três dias, o que é um tempo precioso levando-se em conta que estão faltando menos de 12 semanas para o dia das urnas.

 

Marconi desapareceu. No Instagram, só postou uma passagem formal pelas cavalhadas de Palmeiras, neste domingo. Zé Eliton, igualmente, foi às cavalhadas e a um aniversário em Inhumas. Nesta segunda-feira, 9, fez uma reunião com o secretariado no Palácio Pedro Ludovico e, também em Palácio, recebeu os organizadores do Rally dos Sertões.

 

É muito pouco para políticos como Marconi e Zé Eliton, que são candidatos a cargos majoritários e não estão tão bem assim nas pesquisas – Marconi empatado tecnicamente com Lúcia Vânia e Jorge Kajuru, enquanto Zé Eliton amarga o 3º lugar, atrás de Daniel Vilela e a léguas de distância do líder Ronaldo Caiado.

 

Com certeza, faltou planejamento. A caravana governista, movida pelo combustível das inaugurações e distribuição de benesses sociais e dinheiro a prefeitos, ficou de repente com o tanque vazio e parou. Uma boa palavra para definir essa situação é: amadorismo.

09 jul

Mais um golpe: em razão do período eleitoral e da ação da oposição, governo Zé Eliton perde empréstimo de R$ 510 milhões junto a Caixa Federal

As más notícias não cessam de chegar para o governo Zé Eliton: agora, confirmou-se que o empréstimo de R$ 510 milhões junto a Caixa Federal, que seriam aplicados em obras, está fora de cogitações.

 

Para tentar sair de pé do episódio, Zé Eliton explicou que abriu mão do empréstimo, por considerar que as condições oferecidas pela Caixa não seriam boas e por não querer aumentar o endividamento que será deixado para o próximo governo.

 

A verdade é outra: o empréstimo foi cancelado em razão da proibição da legislação eleitoral, que veda transferências voluntárias da União para os Estados a partir do dia 7 de julho até a data da eleição. O empréstimo se enquadra na vedação.

 

Além disso, trata-se de mais uma vitória da oposição. Ronaldo Caiado e Daniel Vilela criticaram a operação, às vésperas do pleito e em fim de governo, ameaçando inclusive responsabilizar a diretoria da Caixa. Caiado chegou a marcar uma sessão de uma das comissões do Senado, convocando o presidente da instituição, para dar esclarecimentos sobre o empréstimo.

 

De derrota em derrota, até a derrota maior, é daqui para ali.

09 jul

Início do período em que é proibida a presença de candidatos em inaugurações e entregas de benefícios de governo esvazia a agenda de Zé Eliton, mas não a de Caiado e Daniel Vilela

Uma pesquisa nas redes sociais revela que o governador Zé Eliton teve a sua agenda totalmente esvaziada, a partir do último sábado, 7, quando entrou em vigência a proibição de participação de candidatos em inaugurações e cerimônias de entrega de benefícios à população.

 

O governador, que até então chegava a presidir até cinco solenidades por dia, em torno de ações governamentais, não foi mais a lugar nenhum. Suas postagens agora referem-se a assuntos institucionais e particulares, como o aniversário do Hugol, o plantio de árvores nas margens do rio Meia Ponte e a festinha privada de aniversário de dona Garcita, mãe do deputado federal Roberto Balestra, em Inhumas. No domingo, esteve discretamente nas cavalhadas de Pirenópolis e só postou fotos em ângulo fechado.

 

Ronaldo Caiado e Daniel Vilela, que vinham tocando a campanha na base de reuniões políticas próprias e visitas a eventos populares, continuaram ativos. Caiado esteve em Itumbiara e liderou uma gigantesca cavalgada(foto acima) que passou por Buritinópolis, Simolândia e Alvorada, no nordeste goiano. Daniel foi a Itumbiara para encontro com emedebistas locais e a Quirinópolis, também para uma cavalgada(foto acima).

09 jul

Candidato a presidente de Marconi, Alckmin tem apenas 2,2% das intenções de votos em Goiás, segundo a pesquisa Diagnóstico/Diário da Manhã

O candidato do PSDB a presidente da República, Geraldo Alckmin, tem apenas 2,2% das intenções de votos em Goiás, conforme mostra a pesquisa Diagnósticoi/Diário da Manhã desta segunda-feira.

 

Alckmin está em 6º lugar, muito atrás do 1º colocado, Lula, que tem 28,5%. Seguem-se Jair Bolsonaro, com 22,3%; Marina Silva, com 7,4%; Ciro Gomes, com 3,3%; e Henrique Meirelles, com 3,3.

 

O ex-governador Marconi Perillo é o coordenador político nacional da campanha de Alckmin. Nas pesquisas nacionais, o ex-governador paulista tem três vezes que as intenções de votos registradas em Goiás, em torno de 6 a 7%.

09 jul

Desastrosa para Zé Eliton, pesquisa Diagnóstico/Diário da Manhã indica vitória folgada de Caiado no 1º turno, com 60,5% dos votos válidos

A pesquisa Diagnóstico/Diário da Manhã, ao apontar Ronaldo Caiado na liderança com 39,7% das intenções de votos, indica também que o candidato democrata ganha com folga no 1º turno com 60,5% dos votos nominais. A conta é feita com a exclusão dos votos nulos e brancos, conforme determina a legislação eleitoral.

 

Convertendo-se assim os índices apurados pela pesquisa, Caiado chega a 60,5% dos votos nominais válidos, quando, para ser declarado ganhador no 1º turno, necessitaria de 50% dos votos mais um.

 

O levantamento é especialmente desastroso para Zé Eliton: o candidato da máquina governista aparece em 3º lugar, com 9%, atrás de Daniel Vilela, que tem 9,5% e está em 2º lugar. É empate técnico, mas também propaganda negativa.

 

Primeiro como vice-governador, acompanhando o titular Marconi Perillo, e depois como governador, Zé Eliton passou praticamente um ano viajando intensivamente e participando de eventos oficiais na capital e no interior, distribuindo benefícios sociais, entregando obras e repassando recursos em dinheiro a prefeitos municipais. A estratégia palaciana era dar visibilidade ao governador, torná-lo mais conhecido e ver o seu nome deslanchar nas pesquisas.

 

Não deu certo.

09 jul

Estratégia errada: 3º lugar de Zé Eliton na pesquisa Diagnóstico/Diário da Manhã comprova que 3 meses de suposta visibilidade como governador foram inúteis

Nos últimos três meses, depois de assumir o governo do Estado, Zé Eliton lançou-se a uma maratona de inaugurações e distribuição de benefícios, desdobrando-se em mais de uma centena de eventos em Goiânia e no interior.

 

A estratégia governista seria promover a visibilidade do governador, que, assim, se tornaria mais conhecido e fatalmente subiria nas pesquisas.

 

Não deu certo. A pesquisa do instituto Diagnóstico, publicada pelo Diário da Manhã nesta segunda, mostra Zé Eliton em um humilhante 3º lugar, com 9%, atrás de Daniel Vilela, em 2º lugar, com 9,5%.

 

A diferença, de apenas 0,5%, é insignificante e configura empate técnico, dentro da margem de erro da pesquisa de 3 pontos para mais ou para menos. Porém, deixa a base governista em desespero com o imobilismo do seu candidato, que evitou fazer política no seu início de mandato tampão e preferiu se dedicar à rotina administrativa do governo. Não funcionou.

09 jul

Cenário da pesquisa Diagnóstico/Diário da Manhã para o Senado é sombrio para Marconi, que lidera, mas está embolado com Lúcia Vânia e Kajuru

O cenário desenhado pela pesquisa Diagnóstico/Diário da Manhã para a corrida pelas duas vagas ao Senado é sombrio e preocupante para o ex-governador Marconi Perillo.

 

Marconi lidera a pesquisa, com 25,7 das intenções de voto. Mas é seguido de perto pela senadora Lúcia Vânia, com 22,7% e pelo vereador Jorge Kajuru, com 21,3%. Os três estão empatados tecnicamente, já que a margem de erro é de 3 pontos para mais ou para menos. Em 2006, quando também disputou uma vaga no Senado, Marconi começou a campanha com 77%.

 

Pela pesquisa, estão na disputa também o ex-deputado Vilmar Rocha, em 4º lugar com 20,3% (e, portanto, empatado tecnicamente empatado com Marconi, Lúcia e Kajuru); o ex-senador Demóstenes Torres, com 11,5% e o atual senador Wilder Morais, com 9,4%.

 

Os números levam a uma conclusão: a disputa pelo Senado está em aberto.

09 jul

Caiado segue na liderança e vence no 1º turno, segundo a pesquisa do instituto Diagnóstico publicada no Diário da Manhã nesta segunda. Daniel segue em 2º e Zé Eliton em 3º

O senador Ronaldo Caiado continua inabalável como líder da corrida pelo governo de Goiás. Pesquisa do instituto Diagnóstico, publicada nesta segunda-feira pelo Diário da Manhã, traz Caiado com 39,7% das intenções de votos, habilitando-se, portanto, a vencer no 1º turno.

 

Em 2º lugar, permanece Daniel Vilela, com 9,5% dos votos. O governador Zé Eliton aparece em 3º lugar, com 9% dos votos.

08 jul

Em vez de palavras vazias sobre ciência & tecnologia, Zé Eliton deveria é explicar a queda de Goiás nos rankings de inovação e competitividade a partir da sua gestão na SED

“Consolidarmos nosso Estado na era da informação e do conhecimento passa por investimentos nas áreas de ciência, tecnologia e inovação. Por isso, reunimos neste sábado representantes destes setores para discutirmos quais caminhos devemos trilhar em Goiás”, escreve o governador Zé Eliton em seu perfil no Instagram, como legenda para uma foto em que  um grupo de pessoas aparece reunido com a ex-secretária de Educação Raquel Teixeira, em uma reunião onde estaria sendo discutido o plano de governo do candidato tucano.

 

A postagem mostra que o jogo de palavras é a opção escolhida pelo governador, para tentar lustrar a sua candidatura a mais quatro anos no Palácio das Esmeraldas. Ele omite o fato de que Goiás caiu no ranking nacional de inovação: estava em um humilhante 16º lugar, piorou para 17º em 2017 (os dados do ranking de 2018 saem em setembro e devem trazer mais más notícias).

 

Muito pior, essa queda aconteceu a partir da passagem de Zé Eliton pela Secretaria de Desenvolvimento, onde lançou o programa Inova Goiás(foto acima), que tinha a pretensão de situar o Estado entre os três Estados brasileiros que mais investiriam em inovação e entre os seis Estados mais inovadores. Deu para trás.

 

E isso sem falar no ranking nacional de competitividade, no qual a inovação é critério definidor: Goiás caiu do 10º para o 13º lugar, também a partir da gestão de Zé Eliton na SED.

 

É isso que precisa ser explicado. “O caminho que devemos trilhar”, seguramente, não é o que percorremos até agora.

08 jul

Duas situações constrangedoras mostradas nas últimas pesquisas: Zé Eliton empatado com Daniel Vilela e Daniel Vilela empatado com Kátia Maria

As últimas pesquisas eleitorais mostram duas situações constrangedoras, uma para Zé Eliton e outra para Daniel Vilela.

 

Uma, o governador Zé Eliton, com toda a força e poderio da máquina governista, segue empatado tecnicamente com Daniel Vilela, do MDB, que mal tem alguns prefeitos na sua base de apoio e faz poucas viagens aos municípios, ao contrário do tucano, que há mais de ano desenvolve uma agenda intensa no interior.

 

Segundo um auxiliar do governo que deixou o cargo para se candidatar a deputado e está percorrendo as suas bases, o mau resultado nas pesquisas e o emparelhamento com Daniel Vilela baixou o moral das tropas governistas.

 

Outra situação embaraçosa  é o empate técnico de Daniel Vilela com Kátia Maria, do PT, que, essa sim, não tem estrutura nenhuma e nem uma varanda para se esconder do sol quando se arriscar a fazer campanha em algum município. Na última pesquisa do instituto Serpes, no início de junho, o emedebista tinha 5,6% e Kátia Maria 4,6%, portanto empatados dentro da margem de erro de 3,5 pontos.

08 jul

Maguito seria o candidato da oposição a presidente da FGF, mas desistiu para coordenar a campanha de Daniel Vilela ao governo e está apoiando Jayme Rincón

O ex-governador e ex-prefeito de Aparecida, Maguito Vilela, chegou a iniciar uma movimentação para ser o candidato da oposição à presidente da Federação Goiana de Futebol, mas desistiu alegando ter compromisso com a campanha do seu filho Daniel Vilela ao governo do Estado e passou a apoiar o nome de Jayme Rincón, atual presidente da Agetop.

 

Em um jantar regado a bons vinhos no Alphaville Cruzeiro, Maguito e Jovair Arantes foram recebidos há poucos dias por Rincón e selaram apoio a ele para o lugar de André Pitta, que representa um grupo há 20 anos no comando da FGF.

 

A articulação vinha sendo mantida em sigilo para evitar prejuízos a Daniel Vilela, que perdeu apoio político dentro do MDB em razão da proximidade do pai com o ex-governador Marconi Perillo e de declarações dele a favor de um diálogo com a base governista e com o próprio governador Zé Eliton. A ligação com Jayme Rincón, dentro desse contexto, poderia gerar novos estragos para a candidatura de Daniel.

Página 106 de 131« Primeira...102030...104105106107108...120130...Última »