Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

18 jul

Bolsonaro, que lidera todas as pesquisas sem Lula e já começa a aparecer em 1º lugar em algumas com Lula, vem a Goiás nesta quinta

Nesta quinta-feira, 19, o candidato a presidente Jair Bolsonaro, líder das pesquisas quando se exclui Lula do cenário e já em 1º lugar em algumas com Lula incluso, estará em Goiás.

 

Ele chegará às 9 horas da manhã e permanecerá no Aeroporto Santa Genoveva até meio-dia, em uma série de encontros com políticos e movimentos sociais, quando voará para Rio Verde e visitará uma exposição agropecuária.

 

A imprensa nacional chegou a especular o nome da deputada federal Magda Mofato para a vice de Bolsonaro, depois da desistência do senador Magno Malta. Magda tem histórico de posições duras na área de segurança e um gosto especial por armas de fogo sofisticadas. E é mulher, o que conferiria igualdade de gênero à chapa. Mas o PR, partido da deputada, refluiu nas negociações com Bolsonaro e desistiu de dar apoio a ele, inviabilizando a indicação de um representante para a vice-presidência.

18 jul

Calendário das pesquisas: agora que o levantamento do Grupom foi publicado, com números negativos para Zé Eliton, deve sair a pesquisa do Directa, para tentar compensar o estrago

Saiu nesta quarta-feira no Diário da Manhã a nova pesquisa do Grupom, mostrando o quadro eleitoral congelado em Goiás, ou seja, com Ronaldo Caiado na liderança, bem à frente de Zé Eliton e Daniel Vilela, empatados em 2º lugar, mesmo cenário evidenciado na maioria dos levantamentos publicados nos últimos três meses.

 

De todos os candidatos, quem mais precisa do oxigênio dos bons números nas pesquisas é Zé Eliton, que enfrenta defecções na sua base de apoio e a incredulidade de muitos aliados em relação às suas possibilidades. Por isso, espera-se para esta quinta, no jornal O Hoje, a pesquisa do instituto Directa, pronta há vários dias, mas guardada para ser publicada após o levantamento do Grupom, na tentativa de minimizar o seu efeito negativo para o candidato tucano (que já era esperado). Na última avaliação do Directa, um mês atrás, Zé Eliton estava como sempre sonhou, com 24,1% das intenções de voto, índice que nenhuma outra pesquisa sequer arranhou até hoje.

 

Em artigo no Diário da Manhã, nesta quarta, o dono do Directa, Walter Brito, defendeu a credibilidade das pesquisas do seu instituto.

18 jul

Candidato de muitos méritos, que empolgou a base governista: índice de intenções de voto de Alcides nas pesquisas, nesta mesma época em 2006, chegava ao dobro do apresentado agora por Zé Eliton

Parece difícil de acreditar, mas o então governador Alcides Rodrigues, em 2006, foi melhor candidato do que o atual, Zé Eliton, estabelecendo-se como parâmetro as pesquisas do Grupom neste mesmo mês de julho, na época e agora.

 

Zé Eliton, conforme o levantamento do Grupom divulgado nesta quarta pelo Diário da Manhã, está com 10,5% das intenções de voto. Alcides, 12 anos atrás, também em julho, já ostentava praticamente o dobro, ou seja, 20,6%.

 

Alcides foi um candidato de muitos méritos (e tanto que ganhou a eleição). Ele teve êxito total na mobilização da base governista, conseguiu equilibrar campanha eleitoral com as obrigações administrativas de governador e foi bem sucedido na estratégia de se mostrar como um governador capaz, equilibrado e responsável, derrotando Maguito Vilela, que começou a campanha com mais de 50%.

18 jul

Agências lotéricas vão deixar de receber contas de luz a partir de 5 de agosto, prejudicando a população: essa é mais uma consequência danosa da privatização da Celg

A partir de cinco de agosto as agências lotéricas da Caixa Econômica Federal vão deixar de receber contas de luz – que hoje, em sua maioria, são pagas pela população nesses estabelecimentos, especialmente no caso de valores mais baixos.

 

A Caixa alega que precisa receber uma comissão maior para fazer a operação, que a Enel, sucessora da Celg, recusa-se a pagar, mesmo reconhecendo que essa forma de pagamento das faturas é de natureza social. O ex-governador Marconi Perillo tentou mediar uma solução, mas as partes não entraram em acordo.

 

É mais uma consequência danosa da privatização da Celg, prejudicando a maioria dos usuários de energia elétrica. Se a Celg ainda fosse do governo do Estado, essa decisão da Caixa jamais teria sido adotada.

18 jul

Candidatura de Paulo Beringhs a governador é quixotada que vai emprestar alguma animação para a campanha eleitoral, apesar do tempo de televisão de 10 segundos que ele vai ter

O Patriota, partido nanico desconhecido em Goiás e no país, resolveu lançar o jornalista e apresentador de televisão Paulo Beringhs como candidato a governador.

 

É uma verdadeira quixotada, mas com um mérito: Berings vai emprestar alguma animação para a campanha eleitoral, já que combina inteligência com uma formidável capacidade de expressão verbal e raciocínio ágil – e, de resto, reconhecido unanimemente como uma pessoa bem intencionada.

 

Problemão: o Patriota não tem tempo na propaganda  gratuita de televisão. Beringhs, como candidato, terá direito a uma fatia dos 54 segundos, nos blocos de 9 minutos no horário do almoço e à noite, 54 segundos esses que serão divididos igualmente entre os candidatos, independentemente de partido político – o que dará no máximo 10 segundos para o apresentador.

 

Mas, para alguém como a especialização dele, pode ser o suficiente.

18 jul

Candidatos a governador deveriam fazer pacto com a sociedade para que, nunca mais, obras inacabadas venham a ser inauguradas em Goiás

O jornal O Popular mostrou esta semana que o Centro de Convenções de Anápolis foi inaugurado pelo então governador Marconi Perillo, nos seus últimos dias de mandato, mas não está concluído até hoje e portanto não tem condições de funcionar.

 

Não é preciso ir longe. O Centro Cultural Oscar Niemeyer foi “inaugurado” em 2006 e também não está pronto até o momento, cerca de 12 anos depois.

 

Há uma infinidade de obras nessas condições em Goiânia e pelo Estado afora, revelando um mau costume dos políticos que precisa acabar – por se constituir em prática retrógrada, enganadora e incompatível com os tempos modernos.

 

Cabe aos candidatos a governador firmar um pacto com a sociedade para que nunca mais, em Goiás, obras públicas inacabadas sejam “inauguradas”

18 jul

Quadro desenhado pela pesquisa Grupom/Diário da Manhã é de deixar Marconi com os cabelos em pé: quase metade do eleitorado rejeita votar nele para o Senado

Além de ter cair de 27,10% para 24,4% nas suas intenções de voto, na comparação entre as pesquisas do instituto Grupom, ambas publicadas no Diário da Manhã agora e há dois meses, o ex-governador Marconi Perillo continua como o candidato mais rejeitado: quase metade do eleitorado, ou 43,8%, não votariam nele de jeito nenhum.

 

O quadro da eleição senatorial é preocupante para Marconi. Em maio, na pesquisa anterior, ele tinha o nome desaprovado por 47,7% do eleitorado.

18 jul

Pesquisa Grupom/DM mostra que os 3 meses de Zé Eliton como governador, com participação intensiva em inaugurações e entregas de benefícios sociais, além de muita publicidade, não surtiram efeito

A pesquisa Grupom/Diário da Manhã publicada nesta quarta mostra que os três meses de Zé Eliton como governador do Estado, período em que participou intensivamente de inaugurações e entregas de benefícios sociais pelo Estado afora, não surtiram efeito para alavancar o candidato tucano. Adicionalmente, houve uma overdose de publicidade oficial nas televisões, como registrou a jornalista Cileide Alves no site da rádio Sagres, também com reflexo zero para Zé Eliton.

 

Em meados de maio passado, o Grupom divulgou o seu levantamento anterior, em que Zé Eliton tinha 9,8% (em 3º lugar, atrás de Daniel Vilela, com 10,65%). Em 7 de abril, ele tomou posse como governador e agora, na nova pesquisa, que foi a campo exatamente três meses após, tem 10,5% (empatado em 2º lugar com Daniel Vilela, que tem 10,3%).

 

A base governista acreditava em um mantra vendido como artigo de fé pela equipe do governador e disseminado dentro da base governista na tentativa de acalmar os ânimos inquietos com a má performance nas pesquisas: assumindo o cargo e ganhando visibilidade, Zé Eliton se tornaria mais conhecido e subiria nas pesquisas.

 

Segundo os dados do Grupom, essa conversa não passou de balela.

18 jul

Com 24,4% (em maio tinha 27,10%), Marconi cai para o 2º lugar na pesquisa Grupom/Diário da Manhã, mas mantém o empate técnico com Lúcia Vânia, que agora é a 1ª colocada com 25%

O ex-governador Marconi Perillo tem motivos de sobra para se preocupar com a sua candidatura ao Senado Federal.

 

Na pesquisa Grupom/Diário da Manhã desta quarta-feira, ele, que estava com 27,1% de intenções de votos, segundo o mesmo instituto, em maio último, agora caiu para 24,4% e passou para o 2º lugar.

 

Em 1º lugar, aparece Lúcia vânia, que, em maio, tinha 25,1% e agora está com 25%.

 

A novidade é o crescimento do empresário Vanderlan Cardoso, que, nesta rodada do Grupom, desponta com 20,1% (em maio, tinha 17,20%). O vereador Jorge Kajuru subiu de 15,6% para 17,3%.

18 jul

Continua o empate: pesquisa Grupom aponta Zé Eliton, que tem a máquina governista, e Daniel Vilela, praticamente sozinho e com o MDB dividido, empatados no 2º lugar

A pesquisa do instituto Grupom divulgada nesta quarta-feira no Diário da Manhã mantém a base governista descrente: o governador Zé Eliton continua empatado com o deputado federal Daniel Vilela

 

Zé Eliton tem 10,5%, enquanto Daniel alcançou 10,3%. A diferença entre os dois é de ínfimos 0,2  pontos.

 

A forte exposição de pouco mais de três meses como governador, com viagens aos municípios, inaugurações de obras, entrega de benefícios sociais e até distribuição de dinheiro vivo a prefeitos, além de muita publicidade oficial, não produziu resultados para Zé Eliton. E Daniel Vilela parece um pequeno fenômeno: sem estrutura política, sem partidos e com o MDB dividido, está conseguindo a façanha de permanecer empatado com o candidato da máquina governista.

18 jul

Grupom mostra que nada mudou: Caiado continua em 1º lugar, muito à frente de Zé Eliton e Daniel Vilela, vencendo no 1º turno com 56,2% dos votos nominais válidos

O senador Ronaldo Caiado lidera a pesquisa Grupom/Diário da Manhã publicada nesta quarta-feira, com 37,6% das intenções de votos.

 

Em 2º lugar, estão empatados Zé Eliton, com 10,5%, e Daniel Vilela, com 10,3%.

 

Os números indicam que o candidato democrata vence a eleição no 1º  turno, com 56,2% dos votos nominais válidos.

 

Em relação à última pesquisa do Grupom, publicada em meados de maio, não houve mudanças significativas.

17 jul

Calendário das pesquisas: confirmada para esta quarta a publicação do levantamento do Grupom, no Diário da Manhã

Sai nesta quarta-feira no Diário da Manhã mais uma rodada da pesquisa Grupom sobre as eleições deste ano.

 

Em seguida, na quinta-feira, o jornal O Hoje deve publicar a pesquisa do instituto Directa, que está na gaveta do governo aguardando a divulgação dos números do Grupom para tentar minimizar o possível impacto negativo.

17 jul

Base governista está desconcertada, sob impacto da defecção do PROs e de Tejota na vice de Caiado. Zé Eliton e Marconi estão mostrando não saber o que fazer, enquanto outros partidos ameaçam sair

O governador Zé Eliton e o ex Marconi Perillo perderam o controle da base governista, a partir do impacto da defecção do PROS e da ascensão de Lincoln Tejota a vice de Ronaldo Caiado, sem falar na iminência de aliança do PP com o MDB, para apoiar a candidatura de Daniel Vilela.

 

Os dois parecem não saber o que fazer. Em uma manobra bisonha, chamaram ao Palácio cinco partidos – PSD, PTB, PRB, PR e Solidariedade –, na tentativa de produzir um nome de consenso para ocupar a vaga de vice na chapa de Zé Eliton. O PRB desprezou o convite e não apareceu. Os quatro restantes, que na verdade estavam tentando se articular para uma ação conjunta, mas ainda não chegaram a esse ponto, não entraram em acordo – e, pior ainda, segundo revela um dos participantes do encontro, ficaram impressionados com a falta de rumo mostrada por Marconi e Zé Eliton.

 

No momento, a chapa governista não tem um nome forte para a vice nem um arranjo político que permita produzir esse nome. O ambiente é ruim e o clima é de depressão.

17 jul

Fracassa reunião de Zé Eliton e Marconi Perillo para tentar acordo com os 5 partidos que estão articulando uma ação conjunta dentro da base governista – PSD, PTB, PRB, PR e Solidariedade

Zé Eliton chamou PSD, PTB, PRB, PR e Solidariedade ao Palácio das Esmeraldas na manhã desta quarta. De cara, João Campos, representante do PRB, não compareceu e não respondeu a telefonemas, o que deixou o governador e Marconi com a pulga atrás da orelha.

 

Pelo PSD, compareceu Thiago Peixoto. Pelo PTB, Jovair Arantes. Pelo Solidariedade, Armando Vergílio. E pelo PR, Flávio Canedo, marido da deputada Magda Mofato e presidente estadual do partido.

 

Marconi e Zé Eliton entregaram aos quatro partidos a vaga de vice. Consultado por telefone, Vilmar Rocha recusou-se a endossar o arranjo. Armando Vergílio colocou a candidatura do seu filho Lucas, que é deputado federal e aceita ser o vice. O PR não se posicionou. E Jovair Arantes quis, com o apoio de Thiago Peixoto, indicar o vice-prefeito de Anápolis, Márcio Cândido, que é do PSD. Mas a recusa de Vilmar em apoiar a proposta e a ponderação de Thiago de que não ficaria bem adotar qualquer solução sem o apoio do presidente do partido não seria recomendável frustraram a ideia.

 

Alguns dos presentes notaram um alto grau de ansiedade em Marconi e Zé Eliton.

17 jul

Cileide Alves avalia que “aparecer empatado com Daniel Vilela não é estimulante” para a candidatura de Zé Eliton, que não subiu nas pesquisas apesar da “overdose” de mídia e exposição

A jornalista Cileide Alves, no site da rádio Sagres, avalia que “aparecer empatado com Daniel Vilela não é estimulante” para a candidatura de Zé Eliton ao governo do Estado.

 

“Enquanto o governador estava na mídia criando fatos administrativos, o peemedebista enfrentava dificuldade para manter de pé sua própria candidatura, isolado, com um racha significativo dentro de seu próprio partido”, analisa Cileide Alves. “Eliton descobriu que agenda apertada no interior e mídia oficial por si só não movem índices eleitorais, aliás, fato que o próprio Marconi Perillo já descobrira. Ninguém mais do que este correu por todo o Estado desde março de 2017, quando lançou o Goiás na Frente, até deixar o governo em abril. Apesar disso tem praticamente os mesmos índices de voto da senadora Lúcia Vânia na disputa ao Senado”, complementa.

 

Para a pesquisa, a julgar pelos números das últimas pesquisas, a “overdose de mídia” e a superexposição não ajudaram Zé Eliton.

Página 106 de 137« Primeira...102030...104105106107108...120130...Última »