Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

08 jul

Ações desastradas de Marconi como coordenador político da campanha de Alckmin e falta de diálogo com a cúpula do DEM, por causa da inimizade com Caiado, expõem inabilidade e falta de tato

O coordenador político da campanha de Geraldo Alckmin, Marconi Perillo, não está indo bem na função.

 

Marconi, que sempre se opôs ao DEM em Goiás e trabalhou duro para esvaziar o partido no Estado em razão da sua inimizade com Ronaldo Caiado, não é bem visto pela cúpula nacional dos democratas – segundo informação  da colunista Daniela Lima na Folha de S. Paulo.

 

Ela publicou uma nota com um comentário do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, no contexto das articulações para levar o DEM a apoiar Ciro Gomes, do PDT, e não Geraldo Alckmin, do PSDB, a propósito de um jantar na casa de Maia para encaminhar uma definição para a posição final do partido: “Ainda bem que no jantar de quarta (4) não vamos servir pequi”, disse Maia, em uma ironia fina em relação a Marconi.

 

Outra escorregada de Marconi foi a declaração infeliz que ele deu ao dizer em um encontro com líderes do MDB que Henrique Meirelles seria uma boa opção para a vice de Alckmin. Veja o que Daniela Lima escreveu:

 

“A fala de Perillo ao MDB repercutiu mal na pré-campanha de Henrique Meirelles, o nome da sigla para o Planalto. No QG do ex-ministro da Fazenda a resposta à insinuação de que ele seria um bom companheiro de chapa para os tucanos veio em tom de chacota. ‘Vamos oferecer a vice para João Doria (PSDB-SP)’, disse um colaborador de Meirelles. Doria é pré-candidato ao governo de SP, mas o imobilismo de Alckmin nas pesquisas alimenta especulações sobre uma troca”.

08 jul

Oposição a André Pitta lança Jayme Rincón para presidência da Federação Goiana de Futebol, com apoio de Maguito e Jovair Arantes

O presidente da Agetop, Jayme Rincón, é candidato à presidência da Federação Goiana de Futebol, com apoio do ex-governador e ex-prefeito de Aparecida Maguito Vilela e do deputado federal Jovair Arantes.

 

Rincón está sendo lançado como candidato de oposição a André Pitta, atual presidente da FGF, que representa um grupo há 20 anos no poder na FGF.

 

As eleições, pelo estatuto, devem ser realizadas entre 1º de julho e 31 de dezembro deste ano, em dia a ser escolhido pela atual diretoria. O colégio eleitoral é formado pelos times profissionais e ligas amadoras, alguns com direito a dois votos, totalizando entre 70 e 80 sufrágios.

 

O salário do presidente da FGF gira em torno de R$ 120 mil reais por mês, somando os vencimentos locais e ajudas extraordinárias da Confederação Brasileira de Futebol.

07 jul

Veja vídeo do deputado José Nelto, na porteira da fazenda do governador Zé Eliton, mostrando máquinas da Agetop construindo rodovia que é paralela a outra já pronta ligando Posse a Guarani

O deputado estadual José Nelto, do Podemos, que apoia a candidatura do senador Ronaldo Caiado ao governo, gravou um vídeo na manhã deste sábado na porteira da fazenda do governador Zé Eliton, no município de Iaciara, onde passa a nova rodovia que está sendo construída pela Agetop ligando Posse a Guarani, na região nordeste do Estado.

 

A estrada foi denunciada por Ronaldo Caiado como favorecimento ao governador, uma vez que é paralela a uma outra rodovia, já asfaltada, também conectando Posse a Guarani. Pelas imagens, vê-se que, mesmo no sábado, as obras de asfaltamento continuam.

 

Veja o vídeo.

07 jul

A 90 dias da eleição, Marconi volta ao noticiário negativo com o pedido da PGR para quebrar o sigilo bancário e telefônico dele e de Jayme Rincón, para apurar recebimento de R$ 10 milhões da Odebrecht

A 90 dias da eleição e se defrontando com pesquisas onde às vezes aparece em até 3º lugar na corrida para o Senado, o ex-governador Marconi Perillo estrela o noticiário negativo deste fim de semana, na imprensa nacional, como alvo de um pedido de quebra de sigilo bancário e telefônico formulado pela Procuradoria Geral da República ao Superior Tribunal de Justiça.

 

“Considerando os indícios de crime e a necessidade de apuração do vínculo mantido entre os colaboradores e investigados, deve ser afastado o sigilo das comunicações telefônicas referente aos terminais telefônicos utilizados nos anos de 2010 e 2014 por Fernando Cunha Reis, Alexandre Barradas, Marconi Perillo e Jayme Rincón”, diz o pedido assinado pelo vice-procurador-geral, Luciano Mariz Maia.

 

Reis e Barradas são ex-funcionários da Odebrecht que citaram em suas delações terem repassado R$ 10 milhões a Perillo – R$ 2 milhões na eleição de 2010 e outros R$ 8 milhões em 2014. Rincón, por sua vez, é presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop) e foi tesoureiro das campanhas de Perillo ao governo de Goiás.

07 jul

Se as novas pesquisas não mostrarem Zé Eliton subindo, a situação se complica e o clima dentro da base governista, que é de apreensão, vai se transformar em depressão

Nas pesquisas publicadas até agora, o governador Zé Eliton não mostrou boa performance.

 

Ele oscilou entre 6 a 10% das intenções de voto, quase sempre empatado tecnicamente com o deputado federal Daniel Vilela, enquanto o líder absoluto e inconteste de todos os levantamentos, Ronaldo Caiado, seguiu em 1º lugar, entre 37 a 41% – o que garante vitória no 1º turno com uma média de 60% dos votos válidos.

 

A partir da próxima semana, vêm aí novas pesquisas. Segunda-feira já sai a do Diagnóstico, no Diário da Manhã. Se Zé Eliton não se mexer, para cima, o clima de apreensão que já existe dentro da base governista com a sua candidatura se transformará em depressão.

 

O pior é que a partir deste sábado, dia 7, o governador fica proibido de comparecer a inaugurações do governo – eventos a que ele vinha recorrendo, maciçamente, para ganhar visibilidade e tentar faturar pontos nas pesquisas, até agora sem resultados.

07 jul

José Nelto está, neste momento, na nova e polêmica rodovia em construção entre Posse e Guarani, passando pela fazenda do governador Zé Eliton

O irrequieto deputado estadual José Nelto está neste momento (9h20min de sábado, dia 7 de julho) na nova rodovia que está sendo construída entre Posse e Guarani, passando pela fazenda do governador Zé Eliton.

 

Na semana passada, o senador Ronaldo Caiado denunciou a obra como favorecimento a Zé Eliton e pediu explicações – que o governo não deu, preferindo se calar. A rodovia é paralela a outra, já pronta, entre as duas cidades.

 

José Nelto está fazendo fotos, vídeos e pretende gravar uma fala diretamente da porteira da fazenda do governador.

07 jul

Confirmado: sai segunda no Diário Manhã mais uma rodada da pesquisa do instituto Diagnóstico

A edição do Diário da Manhã tratará na segunda-feira uma pesquisa do instituto Diagnóstico sobre as intenções de votos para o governo do Estado e para o Senado.

 

O Diagnóstico é dirigido pelo expert Tiller Belloti, que já prestou serviços de campo para praticamente todos os institutos de pesquisas que funcionam em Goiás. Os que têm credibilidade, pelo menos.

07 jul

Demóstenes reage a insultos de Lúcia Vânia e, sem citar o nome, a chama de “liderança carcomida” e a desafia para um debate transmitido pela internet

O ex-senador Demóstenes Torres, que vinha suportando calado os insultos da senadora Lúcia Vânia, resolveu reagir.

 

Em uma atitude extremista e radical, mas pensada politicamente para forçar a rápida definição do seu nome na 2ª vaga ao Senado na chapa governista, Lúcia Vânia chegou a anunciar que não estaria presente em eventos do governo onde Demóstenes estivesse – como se ele tivesse alguma doença contagiosa.

 

Além disso, afirmou que a vida política dele seria repleta de “desacertos”.

 

Recuperando o seu perfil de bom debatedor, o ex-senador aparece neste sábado no Diário da Manhã chamando Lúcia Vânia de “liderança carcomida”, embora não tenha citado nome dela.

 

Desafiou também a senadora para um debate cara a cara, a ser transmitido pela internet. É claro que ela não vai aceitar.

06 jul

Marconi não convence como coordenador político da campanha de Alckmin e, sem diálogo com Caiado, uma das maiores lideranças do DEM nacional, assiste imobilizado à migração do partido para Ciro Gomes

O fiasco crescente da candidatura de Geraldo Alckmin à presidência tem a colaboração do ex-governador Marconi Perillo, que assumiu a coordenação política da campanha e não conseguiu produzir, até agora, um único fato positivo para o candidato do PSDB.

 

Em certos casos, Marconi está é atrapalhando. Como, por exemplo, nas conversações para levar o DEM a apoiar Alckmin. O partido, hoje, está dividido, com uma ala majoritária propensa a fechar com Ciro Gomes, do PDT. E Marconi, o coordenador político, não tem trânsito junto aos democratas, em razão da sua inimizade com o senador Ronaldo Caiado – que é ouvido e tem muito peso dentro do DEM.

 

Um coordenador político que não coordena só serve para atrapalhar.

06 jul

Por R$ 630 mil reais, governo Marconi contratou o IDP de Gilmar Mendes, especializado em direito público, para ministrar curso de comunicação a 40 servidores estaduais

Mais uma revelação da reportagem da revista Crusoé sobre os contratos do governo de Goiás, nas gestões de Marconi Perillo, com o IDP – Instituto Brasiliense de Direito Público, que pertence ao ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes.

 

Afirma a revista, textualmente, que, “por R$ 630 mil reais, os contribuintes goianos pagaram para que 40 servidores fizessem pós-graduação em comunicação, marketing e mídias sociais no instituto de Gilmar, que é especializado em direito público”.

 

A Crusoé solicitou esclarecimentos ao governo do Estado, que, advinhem, leitores?, não respondeu – como é praxe da gestão do governador Zé Eliton.

06 jul

Lúcia está definida na 2º vaga ao Senado na chapa governista. Venceu, mas precisava colocar o pé no peito do vencido como ela faz em declarações nesta sexta ao Diário da Manhã?

A senadora Lúcia Vânia, segundo o noticiário dos jornais e colunas políticas, está definida na 2º vaga ao Senado na chapa liderada pelo governador Zé Eliton.

 

Lúcia venceu a “disputa” com Demóstenes Torres nos termos que ela impôs: sem disputar com o ex-senador, praticamente aclamada e reconhecida como dona natural da candidatura.

 

Mas, no Diário da Manhã desta sexta, que reproduz uma entrevista à rádio Sagres, ela faz o que não precisava fazer e tripudia sobre Demóstenes com declarações eivadas de arrogância.

 

Em meio a uma enxurradas de indiretas, ela diz: “Eu não tenho que reescrever a minha história, eu não tenho que corrigir desacertos, eu não tenho que prestar contas de nada que eu tenha feito que não fosse trabalhar por Goiás”.

 

Não pega bem. Demóstenes, goste-se dele ou não, teve os seus direitos restabelecidos por decisão do Supremo Tribunal Federal e é justo que reescreva a sua história, além de ter muito trabalho por Goiás. Isso não se nega, como o faz a senadora. Ela triunfou, mas não precisa colocar o pé do vencedor no peito do vencido.

06 jul

Revista Crusoé revela que os governos Marconi transferiram R$ 10 milhões, sem licitação, para o IDP – Instituto Brasiliense de Direito Público, que pertence ao ministro do STF Gilmar Mendes

A revista Crusoé, editada pelo mesmo grupo combativo de jornalistas responsável pelo site O Antagonista, revela em sua última edição que os governos Marconi Perillo transferiram grandes somas de dinheiro para o IDP – Instituto Brasiliense de Direito Público, que pertence ao ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes.

 

Segundo a revista, o governo de Goiás, nas gestões de Marconi, celebrou cinco contratos com o IDP, no valor de R$ 10 milhões de reais, todos sem licitação, para a realização de cursos de treinamento de servidores estaduais.

 

Outra informação da Crusoé: nesta semana, o governo goiano aditivou, para até o final de 2019, um dos contratos que tem com o IDP, agora com acréscimo de mais R$ 1 milhão de reais.

06 jul

Com arquivamento do processo contra Daniel Vilela, no STF, e Caiado, Kátia Maria e Edson Braz com ficha limpa, o único dos candidatos a governador com problemas judiciais é Zé Eliton

O governador Zé Eliton é o único dos cinco candidatos a governador, conhecidos até agora, a apresentar no currículo processos judiciais.

 

Zé Eliton responde a 15 ações de improbidade, propostas pelo Ministério Público Estadual.

 

Todos os demais candidatos estão com a ficha limpa na Justiça. Ronaldo Caiado, Kátia Maria e Edson Braz aparecem no levantamento do especial sobre as eleições de O Popular como isentos de quaisquer processos. Daniel Vilela, até o início da semana, constava de inquérito em andamento no Supremo Tribunal Federal, por receber recursos da Odebrecht, mas a matéria foi arquivada nesta terça, 3, por decisão do ministro Dias Toffoli.

05 jul

Caso venha a ser excluído da chapa governista em favor de Lúcia Vânia, sem critérios claros, Demóstenes estará recebendo uma condenação política, depois de ser liberado até pelo STF

Jornais e colunas políticas dão como definida a escolha de Lúcia Vânia para ocupar a 2ª vaga ao Senado na chapa do governador Zé Eliton.

 

Demóstenes Torres estaria fora. A sua exclusão, caso feita sem critérios claros, como ele e o PTB sempre pediram, representará uma nova condenação, agora por um tribunal autoritário, sem rosto, depois da sua redenção com a anulação das provas contra si e o restabelecimento da sua elegibilidade pelo Supremo Tribunal Federal.

 

São necessários critérios claros porque não se pode negar o tratamento justo que o ex-senador merece.

 

O dilema entre Lúcia Vânia e Demóstenes colocou a base governista em uma situação dramática. Qualquer solução trará prejuízos para a candidatura do governador Zé Eliton.

05 jul

Daniel diz que reuniu 24 dos 36 prefeitos do MDB na reunião no diretório, porém dissidentes garantem que só 16 apareceram e prometem novo arrastão para os próximos dias

A reunião liderada pelo deputado federal Daniel Vilela, na última terça-feira, no diretório estadual do MDB na avenida Paranaíba, para promover a sua candidatura a governador, contou com a presença de 24 dos 36 prefeitos do partido – segundo a assessoria de imprensa do diretório, que não divulgou a lista com os presentes.

 

Mas os dissidentes emedebistas, que apoiam Ronaldo Caiado e são liderados pelo deputado José Nelto e pelos prefeitos Adib Elias (Catalão), Paulo do Valle (Rio Verde), Ernesto Roller (Formosa) e Renato de Castro (Goianésia), fizeram a contagem e só confirmaram a presença de 16 prefeitos no evento.

 

Para sustentar uma candidatura a governador, 16 prefeitos é um número muito reduzido. E nem 24 resolvem.

 

Para os próximos dias, os dissidentes prometem novo arrastão, trazendo mais prefeitos para a candidatura de Caiado e adesões que eles garantem que serão de impacto, de membros da velha guarda do MDB.

Página 107 de 131« Primeira...102030...105106107108109...120130...Última »