Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

20 jul

Mais um partido importante entrou na roda de conversações iniciada pelo PSD, PP e PRB, para abandonar a base governista: é o PR, da deputada federal Magda Mofato

Mais um partido importante entrou na roda de conversações iniciada pelo PSD, PP e PRB, para abandonar a base governista: é o PR, da deputada federal Magda Mofato.

 

Apesar das notícias insistindo em que ela não quer deixar a base governista, a verdade é outra. Magda está preocupada com a sua reeleição à Câmara Federal, onde conquistou um espaço de atuação com repercussão nacional, e não quer colocar em risco as suas possibilidades. Ela, portanto, está decidida59 a ir para a coligação onde as suas chances seriam maiores e ofereceriam mais segurança.

 

Nesta sexta, Magda passou a conversar com o presidente do PSD Vilmar Rocha, que encabeça um movimento de partidos dispostos a deixar a base governista e a se aliar ao MDB, apoiando a candidatura de Daniel Vilela e a ocupar espaços na sua chapa, ou a lançar uma chapa própria.

20 jul

Vilmar Rocha cresce dentro do PSD e tem plenas condições de vencer a convenção e levar o partido a apoiar Daniel Vilela ou se coligar ao PP e ao PRB para lançar uma chapa própria

O ex-deputado federal Vilmar Rocha, presidente estadual do PSD, cresceu dentro do partido e tem hoje plenas condições de vencer a convenção e escolher apoiar Daniel Vilela, do MDB, ou se coligar com o PP e PRB para lançar uma chapa própria.

 

A comissão executiva do PSD, que votará na convenção da legenda, tem 49 membros, alguns, como é o caso dos detentores de mandato, com direito a dois votos.  Vilmar, que formou cuidadosamente essa comissão, tem a maioria esmagadora dos membros a seu lado – na época os deputados do partido, como Thiago Peixoto, Simeyzon Silveira, (Lincoln Tejota,antes de se transferir para o PROS) e Francisco Jr., entregaram a ele uma espécie de procuração branca para formar para formar o diretório. E Lucas Calil, que chegou mais tarde ao PSD, não exigiu posições na comissão executiva.

 

Vilmar, animado pelas pesquisas que apontaram o seu nome com até 20% de intenções de voto para o Senado, busca uma vaga para se candidatar e, ao mesmo tempo, deixar de modo patente a sua rejeição ao nome do governador Zé Eliton como candidato da base governista, que ele sempre contestou.

 

O governo subestimou Vilmar.

20 jul

Herança maldita de Marconi, ou seja, a grave situação financeira do Estado, influiu na decisão de Zé Eliton de colocar em avaliação a hipótese de renunciar à candidatura e cumprir o mandato-tampão até o fim

O governador Zé Eliton desabafou a auxiliares do seu círculo íntimo indicando que não está disposto a carregar nas costas a herança maldita que recebeu de Marconi Perillo, expressa nas graves dificuldades financeiras que o Estado enfrenta.

 

Por isso, ele passou a admitir a hipótese de renunciar à candidatura ao governo, que está também pressionada pelo seu mau desempenho nas pesquisas e pela radicalização de partidos da base, que ameaçam mudar de lado.

 

O maior exemplo é a decisão que Zé Eliton foi obrigado a tomar, lançando mão de uma transferência de R$ 70 milhões do governo federal, destinada ao pagamento do salário escola e do auxílio ao transporte de alunos pelas prefeituras, para completar a folha de pagamento do mês de junho.

 

Esse foi, aliás, o verdadeiro motivo do pedido de demissão do secretário da Educação, Marcos das Neves, que não aceitou o desvio dos recursos, cujas consequências penais podem ser graves para ele.

20 jul

Incêndio na base(8): Simeyzon e Francisco Jr. fecham com Vilmar Rocha e admitem abandonar a base governista caso o PSD decida apoiar Daniel Vilela ou escolha lançar chapa própria em coligação com PP e PRB

Os deputados Simeyzon Silveira e Francisco Jr. mudaram de opinião e hoje admitem acompanhar a posição do presidente estadual do PSD, Vilmar Rocha, que está avaliando duas opções de posicionamento para o partido: um acordo com Daniel Vilela, com a ocupação de vagas na chapa do MDB, ou o lançamento de uma chapa própria, em coligação com o PP e o PRB.

 

A notícia já chegou ao governador Zé Eliton, levada pelo deputado Francisco Jr., e provocou uma reação irritada, para não usar palavras mais pesadas.

 

Os dois, Simeyzon e Francisco Jr., estão acompanhando Vilmar em todas as conversações. Estavam presentes, inclusive, na reunião com Vanderlan Cardoso, que seria o candidato a governador no caso de um movimento conjunto do PSD com o PP e o PRB.

 

 

20 jul

Incêndio na base(7): Zé Eliton estaria convencido da inviabilidade da sua candidatura, que não deslancha nas pesquisas e enfrenta a radicalização de partidos da base, e está a um passo de renunciar

O governador Zé Eliton mudou o comportamento, refugiou-se no Palácio das Esmeraldas e ameaça renunciar à sua candidatura, propondo-se a cumprir até o último dia o seu mandato tampão.

 

Ele estaria abalado pela defecção do PROS, pelo mau desempenho nas pesquisas e pela radicalização de partidos como o PP, PSD e PRB, que articulam abertamente alternativas à sua candidatura e admitem até apoiar Daniel Vilela, do MDB, ou lançar uma chapa própria.

 

Interlocutores que estiveram com Zé Eliton em sua clausura palaciana, desde o dia 7, quando por proibição legal deixou de participar de eventos públicos do governo, registraram que ele está mudado e mostra muita “tristeza no semblante”.

 

O fato do ex-governador Marconi Perillo ter admitido, em uma reunião com partidos, com a presença de Zé Eliton, que pode desistir da candidatura ao Senado e disputar uma vaga na Câmara Federal, afundou ainda mais os ânimos do atual governador.

20 jul

Incêndio na base(6): Zé Eliton dormiu na chácara de Marconi em Pirenópolis para discutir a sua desistência e o lançamento de Zé Vitti como candidato da base governista

A defecção do PROS e a indicação de Lincoln Tejota para a vice de Ronaldo Caiado provocou um terremoto na base governista e expôs a fragilidade da candidatura do governador Zé Eliton, abrindo a porteira para a fuga de outros partidos, como o PP, o PSD e o PRB, que estão discutindo abertamente outras alternativas à candidatura do governador Zé Eliton.

 

Na quinta-feira, Zé Eliton foi para Pirenópolis e mergulhou em uma longa conversa com Marconi. Tão longa que entrou noite adentro e ele acabou dormindo na chácara do ex-governador.

 

Além do forte impacto da última pesquisa Grupom/Diário da Manhã, que mais uma vez mostrou estagnação nos índices de intenções de votos de Zé Eliton mesmo depois de 100 dias como governador titular, as dificuldades de articulação política para a afirmação da candidatura do atual governador acabaram abalando o seu ânimo e ele resolveu colocar a hipótese da sua renúncia, propondo-se a encerrar o seu mandato-tampão de cabeça erguida e não ser responsabilizado como coveiro do Tempo Novo.

20 jul

Marconi é expulso da coordenação da campanha de Alckmin por exigência do DEM, que vai apoiar o ex-governador paulista e não aceita o tucano pela sua briga com Caiado e por ter sabotado o partido em Goiás

Este blog anotou em diversas ocasiões que a inimizade do ex-governador Marconi Perillo com o senador Ronaldo Caiado, que provocou uma ação constante do tucano para esvaziar e enfraquecer o DEM em Goiás, estaria inviabilizando a permanência dele na coordenação política da campanha de Geraldo Alckmin.

 

Pois agora a bomba explodiu: para fechar apoio a Alckmin, o DEM exigiu a expulsão de Marconi da função de coordenador político da campanha do ex-governador paulista.

 

E Alckmin não titubeou. Marconi, conforme o noticiário da imprensa nacional, foi colocado para fora.

20 jul

Marconi e Zé Eliton entregaram a Secretaria de Desenvolvimento ao PTB e aí está o resultado: pasta sucateada, quadros técnicos substituídos por apaniguados políticos e a área Inovação sem titular há 100 dias

Poucas decisões dos governos Marconi Perillo e Zé Eliton foram tão catastróficas para Goiás quanto a entrega da Secretaria de Desenvolvimento para o PTB.

 

O partido invadiu a SED com apetite de leão. A maioria dos quadros técnicos em cargos de chefia foi substituída por ex-vereadores, ex-prefeitos e mais uma leva de apadrinhados políticos. O novo secretário, o apagado ex-vereador de Anápolis, Leandro Ribeiro(foto acima, na solenidade em que assumiu o cargo, com os aplausos do governador Zé Eliton), assumiu sem nenhuma interlocução com o setor produtivo ou com as universidades produtoras de conhecimento tecnológico e, pior, sem conhecimento das funções de articulação da pasta com o crescimento econômico do Estado.

 

Um exemplo é significativo: a Superintendência de Inovação da SED está vaga há 100 dias. O PTB ainda não teve coragem de nomear um dos seus apaniguados para o lugar.

20 jul

Futuro do Tempo Novo está nas mãos de Baldy, Vilmar Rocha e João Campos. Se eles levarem o PP, PSD e PRB para fora da base governista, para apoiar Daniel ou lançar chapa própria, Zé Eliton derrete

A sobrevivência da candidatura do governador Zé Eliton, ameaçada pela falta de articulação política dentro da base governista e por um acúmulo de erros inédito nos 20 anos de poder dos tucanos em Goiás, está hoje nas mãos do ministro Alexandre Baldy, presidente estadual do PP, do ex-deputado federal Vilmar Rocha, presidente estadual do PSD, e do deputado federal João Campos, presidente estadual do PRB.

 

Os três partidos estão em conversações ostensivas em busca de alternativas dentro do quadro sucessório, admitindo, no momento, duas hipóteses: 1) um acordo com o MDB, para ocupar espaços na chapa de Daniel Vilela, ou 2) o lançamento de uma chapa própria, com o empresário Vanderlan Cardoso como candidato a governador.

 

Caso essas articulações prossigam e  Baldy, Vilmar e Campos cheguem a bom termo, Zé Eliton derrete.

 

Isso mostra que o governador e seu tutor Marconi Perillo perderam o poder de iniciativa dentro do atual processo sucessório e estão reféns de decisões completamente fora do controle do Palácio das Esmeraldas, tendo como consequência a fragilização do projeto de continuidade do Tempo Novo.

20 jul

Coordenador político oficial da campanha de Alckmin a presidente, Marconi não participa da principal e mais importante articulação até agora, que foi o acordo com o Centrão

A mais importante e bem sucedida articulação a favor da candidatura de Geraldo Alckmin a presidente – o acordo com o Centrão, trazendo partidos importantes para a base de apoio do tucano e turbinando o seu tempo na propaganda eleitoral pela televisão – foi executada sem a participação do coordenador político oficial da campanha do PSDB, Marconi Perillo.

 

Enquanto Marconi estava em Goiás, descansando na sua chácara em Pirenópolis, as negociações se precipitaram em Brasília e São Paulo, chegando rapidamente a bom termo com a posição favorável a Alckmin de siglas de peso como o DEM, PP, PR, SD e PRB e talvez viabilizando em definitivo a candidatura do ex-governador paulista.

 

Marconi não se manifestou sobre a sua exclusão do processo que acabou produzindo o mais importante movimento na sucessão presidencial, até agora.

20 jul

Princípios iniciais do plano de governo de Daniel Vilela são bem formatados e embalados em apresentação fácil de ser assimilada pelo eleitorado

Vejamos um resumo sobre os sete pilares do plano de governo apresentado pelo deputado federal Daniel Vilela para embasar a sua candidatura a governador (do ponto de vista eleitoral, é evidente a facilidade de assimilação pelo eleitorado, devido ao criativo formato de comunicação utilizado):

 

Amparar indica que o desenvolvimento social em um novo governo emedebista em Goiás visaria à defesa e proteção da cidadania.

 

Conhecer seria o investimento em educação com o objetivo de capacitar melhor o cidadão do futuro, principalmente os jovens.

 

Cuidar focaria a área de Saúde, com a proposta básica de implantação de um sistema digital para gerir todo o sistema estadual de atendimento médico, disponibilizando dados em tempo real sobre vagas (na rede pública e na rede particular conveniada) e também com o prontuário dos pacientes.

 

Empreender trataria do desenvolvimento econômico, com foco na geração de mais empregos e em melhorar a renda do cidadão.

 

Proteger se daria através de aplicação massiva de recursos para garantir a segurança de toda a população, priorizando homens e mulheres que integram as forças policiais, com apoio na tecnologia da informação.

 

Gerir buscaria a satisfação plena do cidadão, através da racionalização da prestação dos serviços públicos e de suas interações com a sociedade, como no caso dos incentivos fiscais e das organizações sociais contratadas pelo governo, setores que seriam orientados pela transparência e pela busca de resultados efetivos.

 

E finalmente Conectar, representando uma espécie de eixo de tecnologia de última geração, para garantir avanços na área de inovação e de redução de gastos.

20 jul

Calendário das pesquisas: próxima a ser divulgada é a do instituto Real Time, ligado à Rede Record. Depois, só haverá novidades após a definição das chapas, em 5 de agosto

Já está registrada no Tribunal Regional Eleitoral a pesquisa do instituto Real Time, ligado à Rede Record, que será divulgada no final do mês pela TV Record Goiás.

 

Depois dessa, novas pesquisas só virão após o dia 5 de agosto, data final para a realização das convenções e, portanto, para a definição das chapas que disputarão as eleições deste ano.

 

Dentre os institutos que estão divulgando pesquisas em Goiás, o ranking de credibilidade elaborado por este blog é o seguinte:

 

Serpes: credibilidade alta.

Grupom: credibilidade alta.

Diagnóstico: credibilidade em alta.

Ibope: credibilidade média

Real Time: credibilidade média

Exata: credibilidade baixa.

Directa: credibilidade baixíssima

20 jul

Além do empate com Zé Eliton nas pesquisas, Daniel Vilela surpreende também como o primeiro candidato a divulgar as linhas gerais do plano de governo que apresentará na campanha

O deputado federal e candidato a governador pelo MDB, Daniel Vilela, apresentou nesta semana as linhas gerais do seu plano de governo e metas. O material, absolutamente inovador, traz sete fios condutores para “retomar o crescimento do Estado”, segundo a definição do próprio emedebista.

 

O plano de governo de Daniel Vilela está muito bem embalado do ponto de vista da comunicação eleitoral, combinando conteúdo com uma forma palatável e de fácil compreensão para o eleitorado. Os sete pilares, na verdade capítulos, são fáceis de entender e digerir: Amparar, Conhecer, Cuidar, Empreender, Gerir, Proteger e Conectar.

 

Candidatos com maior estrutura, como Ronaldo Caiado e Zé Eliton, ainda não conseguiram formular e divulgar as ideias que defendem para o desenvolvimento de Goiás e para o futuro dos goianos.

 

É a segunda surpresa positiva que Daniel Vilela exibe na atual campanha. A primeira é o bom desempenho que vem tendo nas pesquisas, ao empatar no 2º lugar, na faixa dos 10% das intenções de votos, com o candidato da base governista, Zé Eliton, que tem muito mais estrutura que qualquer outro na presente corrida eleitoral.

19 jul

Há duas semanas que Zé Eliton está praticamente recluso no Palácio. Nesse período, só foi a dois eventos públicos e dormiu na chácara de Marconi em Pirenópolis. Não há campanha na base governista

Nesta sexta, o governador Zé Eliton completa duas semanas de reclusão no Palácio das Esmeraldas, período em que, em termos de aparições públicas, só foi às cavalhadas de Palmeiras e a um encontro da Assembleia de Deus em Catalão. Além disso, dormiu uma noite na chácara de Marconi Perillo em Pirenópolis.

 

Ou seja: enquanto os concorrentes Ronaldo Caiado e Daniel Vilela varrem o Estado participando de eventos, festas populares e encontros políticos, em campanha eleitoral ostensiva, o candidato tucano mergulhou em inércia profunda.

 

Há duas semanas, no dia 7 de julho, entrou em vigor a proibição para que candidatos estejam presentes em inaugurações de obras e entregas de benefícios de governo. Zé Eliton, que tinha uma agenda até animada, às vezes com cinco atos públicos por dia, não teve mais o que fazer. Coincidência ou não, Marconi também paralisou as suas atividades.

 

Há um clima de tensão na base governista com a estagnação completa do governador nas pesquisas e com o travamento da sua movimentalão política (que já era marcha lenta) passando sinalização negativa para os aliados.

19 jul

Bárbara, mulher de Zé Vitti, diz a todos que vão à sua casa que o marido pode até ficar com a candidatura de Zé Eliton ao governo, mas que ela e a família votam e trabalham por Caiado

Bárbara Alvarenga(foto), casada com o presidente da Assembleia, Zé Vitti, diz aos amigos do marido que aparecem na sua casa que os votos dela e da família serão em Ronaldo Caiado.

 

Ela é enteada de Ailton Barreto, o Barretinho, prefeito de Nova Crixás, caiadista histórico e filiado ao DEM. Caiado tem fazenda no município.

 

Em fevereiro último, Nova Crixás completou 35 anos. A prefeitura fez uma festa e… advinhem que foi o convidado principal? Sim, Caiado. E, junto com ele, Zé Vitti.

 

O próprio Zé Vitti, na eleição de 2014, anunciou publicamente que o seu voto para senador seria em Ronaldo Caiado. Ele teve o cuidado de procurar Vilmar Rocha, candidato pela base governista, e explicar que tinhas ligações históricas com o democrata, através de quem entrou na política e a quem devia as atenções que, como médico, Caiado dedicou ao seu pai. Vitti mantém ótimas relações e contato frequente com o senador.

Página 108 de 141« Primeira...102030...106107108109110...120130140...Última »