Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

29 jun

Estrago será grande: migração de Lúcia Vânia da base governista para a chapa de Caiado influencia a posição de Magda Mofato e Flávia Morais, que podem acompanhá-la (principalmente Flávia, que seria a vice)

O estrago provocado pela saída de Lúcia Vânia da base governista, onde não aceita conviver com Demóstenes Torres, será muito maior do que a simples perda do PSB e do PPS (partido controlado pelo sobrinho da senadora, o deputado federal Marcos Abrão, que segue a tia, embora pessoalmente prefira se manter na coligação com o PSDB para facilitar a sua reeleição).

 

Caso ela se transfira para a chapa de Ronaldo Caiado, isso provocará um efeito devastador na articulação dos partidos de sustentação da candidatura do governador Zé Eliton.

 

Duas outras mulheres que têm poder e prestígio na política estadual – as deputadas federais Magda Mofato, do PR, e Flávia Morais, do PDT – admitem a seguir a senadora, por oportunidade eleitoral (a chapa de Caiado estaria muito fortalecida) e por solidariedade de gênero.

 

No caso de Flávia Morais, pela representatividade do próprio nome e do partido, ela tem tudo para figurar como a vice de Caiado, que assumiria ares de modernidade e contemporaneidade com a presença de mulheres – Flávia e Lúcia – disputando cargos majoritários ao seu lado.

29 jun

Na rádio Sagres, Caiado aponta favorecimento na construção de estrada de R$ 65 milhões que passa pela fazenda de Zé Eliton, no trecho Posse-Guarani e já é investigada pelo Ministério Público

Um dos temas de Ronaldo Caiado na entrevista desta sexta à Rádio Sagres foi a construção de uma rodovia, pela Agetop, ao custo de R$ 65 milhões, passando por uma fazenda do governador Zé Eliton no trecho Posse-Guarani.

 

A obra já está sendo investigada desde o ano passado pelo Ministério Público, que expediu uma recomendação ao governo de Goiás para a sua suspensão, diante dos indícios de falta de urgência para a implantação da rodovia e favorecimento ao governador.

 

Segundo Caiado, que levou um mapa para mostrar a localização da fazenda e da estrada, não existe justificativa para a obra – mesma avaliação que resultou na abertura do inquérito investigativo no MP.

29 jun

Caiado descarta polêmica com Jaime Rincon (“Ele é o Paulo Preto do Marconi”) e vai à rádio Sagres responder a Zé Eliton: “Empréstimo junto à Caixa é inconstitucional. Aprová-lo é ato de irresponsabilidade”

Em entrevista à rádio Sagres na manhã desta sexta, o senador Ronaldo Caiado não quis comentar as críticas feitas a ele na mesma emissora pelo presidente da Agetop, Jaime Rincon, resumindo: “Ele é o Paulo Preto do Marconi.

 

Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, foi preso como operador financeiro do PSDB, envolvido em desvios de recursos em São Paulo nos governos de Geraldo Alckmin, pré-candidato tucano à Presidência.

 

Caiado reportou-se diretamente ao governador Zé Eliton, começando com uma ironia: “É advogado, mas não conhece a Constituição”.

 

Ele defendeu os questionamentos que fez no Senado sobre um vultoso empréstimo da Caixa Federal ao governo de Goiás (na verdade, são dois, totalizando R$ 604 milhões). Segundo o senador, a operação desrespeita normas constitucionais e piora ainda mais o endividamento do Estado, que estaria, na sua visão, vivendo uma situação fiscal difícil, “como prova o fato de que os salários dos servidores são pagos parceladamente”.

 

“Como detentor de mandato outorgado pelos goianos,  eu não poderia me omitir diante de uma ilegalidade tão grave. Aprovar esse empréstimo seria uma irresponsabilidade”, disse

29 jun

Ao se recusar a participar de eventos de governo onde Demóstenes esteja presente, Lúcia Vânia criou um enorme constrangimento público para Zé Eliton e Marconi, além de todos os políticos que comparecem

Ao radicalizar em relação ao senador Demóstenes Torres, anunciando que se recusa a comparecer a eventos de governo onde ele esteja presente, Lúcia Vânia criou um enorme constrangimento para o governador Zé Eliton, para o ex-governador Marconi Perillo e para todos os políticos que comparecem.

 

Segundo a senadora, ela não vai por uma questão de princípios, sugerindo que o ex-senador é alguém cuja proximidade traz algum tipo de contágio negativo.

 

Isso significa, na visão dela, que Zé Eliton, Marconi e todos os demais não se importariam em compartilhar o mesmo ambiente com um “marginal”, ou seja, um senador cassado, que não foi absolvido pelo Supremo Tribunal Federal, mas apenas teve provas condenatórias invalidadas por erros formais.

 

Lúcia Vânia demonstrou uma arrogância cavalar com essa posição. E expôs toda a base governista a um embaraço sem sentido: como sempre, ela fica bem na fita, aferrada, como diz, a “princípios morais”, enquanto os outros…

29 jun

Oposição mostra profissionalismo e não trabalha mais na base do improviso. Veja o exemplo de Caiado: em evento em Anápolis, havia até vídeo mostrando obras inacabadas do governo na cidade

Nas eleições de 2010 e 2014, vencidas por Marconi Perillo, a oposição deu a sua cota de contribuição para a vitória do tucano ao atuar na base do improviso e sem soluções efetivas para levar as suas propostas e críticas até a população.

 

Agora, parece diferente. A oposição que vai disputar a próxima eleição adquiriu um alto grau de profissionalismo. Veja o exemplo de Ronaldo Caiado, leitor. Ele promoveu um grande evento em Anápolis, nesta semana, em que até um vídeo, narrado em off, apontando as obras inacabadas do governo do Estado na cidade foi exibido(imagem acima, retirada do Stories do Instagram do senador).

 

Aliás, as imagens do encontro anapolino da denominada frente Unidos para Mudar Goiás são impressionantes ao retratar um ambiente caloroso e entusiasta em torno de Caiado.

29 jun

Questionar os estranhos empréstimos de R$ 604 milhões da Caixa ao governo de Goiás, às vésperas da eleição e em final de mandato, não é trabalhar contra o Estado, é apenas exercer o direito de fiscalização

O governo de Goiás está ultimando tratativas para arrumar dinheiro emprestado com a Caixa Federal. São dois contratos, um de R$ 94 milhões e outro de R$ 510 milhões, totalizando R$ 604 milhões.

 

Esse dinheiro iria para novas obras. Mas, como? Em final de mandato e com uma série de restrições impostas pela legislação eleitoral, às vésperas das eleições? Ou os recursos seriam na verdade para viabilizar o pagamento de obras antigas?

 

Não à toa, Ronaldo Caiado questionou no Senado os empréstimos, argumentado que são irregulares, pois o banco receberia como garantia cotas do Fundo de Participação dos Estados (FPE), o que, diz ele, é proibido. O artigo 167 da Constituição trata do assunto. Caiado também argumenta que Goiás tem nota C no ranking de capacidade de pagamento (CAPAG) do Tesouro Nacional.

 

O senador quer esclarecimentos. E isso não é “trabalhar contra Goiás”, como reclamou o governador Zé Eliton. Na verdade, é obrigação de todo homem público sério e responsável, ainda mais em meio a informações de que as finanças do Estado não vão bem. É apenas o exercício do direito de fiscalização. Ainda mais no caso de quem é senador e candidato a governador em 1º lugar nas pesquisas.

 

Que esses empréstimos, nessa época, são estranhos, isso são. Muito mesmo.

29 jun

Credeqs são modelo sem igual no mundo, não tiveram planejamento nenhum e somente o de Aparecida, único em funcionamento, gastou quase R$ 40 milhões, até agora, para apenas 679 internos

O jornal O Popular fez descobertas preocupantes sobre o projeto de implantação de 10 Credeqs – Centros de Tratamento de Dependentes Químicos – em Goiás, ideia do ex-governador Marconi Perillo.

 

Você sabia, leitor, que, segundo O Popular, “o modelo de tratamento através dos Credeqs, que é inédito no mundo, foi implantado sem nenhum outro equivalente ou anterior que tenha servido de parâmetro”?

 

Ou seja: tudo indica que não houve planejamento algum. Nenhuma experiência pregressa. Nada que indicasse uma possível eficiência do modelo adotado. Que a solução foi improvisada.

 

Muito pior, somente o Credeq de Aparecida(foto), o único dos 10 previstos em funcionamento, já torrou quase R$ 40 milhões em repasses recebidos pela organização social Luz da Vida (que faz a sua gestão) para o atendimento, em dois anos, de apenas 679 homens e mulheres com dependência química. Está lá, em O Popular.

 

Essas pessoas passaram, cada uma, no máximo 90 dias internadas no Credeq. E isso sem falar no custo da obra, em torno de R$ 26 milhões de reais (embora tivessem sido estimados R$ 10 milhões, inicialmente).

 

Isso tem tudo para se transformar em um escândalo.

28 jun

Mais uma má notícia para Alckmin, depois que Marconi assumiu a coordenação política da sua campanha presidencial: na pesquisa Ibope/CNI divulgada nesta quinta, ele caiu para 6%

Uma coisa não tem nada a ver com a outra, mas o fato é que, após Marconi Perillo assumir a coordenação política da campanha presidencial de Geraldo Alckmin, ele caiu um ponto e agora, segundo a pesquisa Ibope/CNI divulgada nesta quinta, está com 6% das intenções de votos.

 

Alckmin é um fiasco. E o PSDB também é.

28 jun

Base governista se divide entre as vantagens e desvantagens da candidatura de Lúcia Vânia na 2º vaga ao Senado e tende a achar muito mais conveniente arriscar com Demóstenes

Se possível fosse fazer uma votação na base governista, para apurar as preferências por Lúcia Vânia ou por Demóstenes Torres para ocupar a 2ª vaga ao Senado na chapa de Zé Eliton, haveria um empate.

 

Por pragmatismo, metade enxergaria maior conveniência na candidatura da senadora, que é mulher, lidera algumas pesquisas, aparece bem em 2º lugar em outras e tem serviços prestados aos municípios, importando, nessa visão, ganhar a eleição a qualquer custo.

 

Mas outra metade, pragmática, ficaria com o procurador, na certeza de que não adianta trabalhar para eleger alguém – Lúcia – que só pensa em si mesmo e nos familiares, jamais se prontificando a vestir a camisa do time, recusando-se a qualquer sacrifício, exatamente o contrário de Demóstenes – um leão na defesa da base governista, dos seus interesses e dos seus líderes.

 

Melhor então arriscar com Demóstenes. Ele não dá chiliques, não desaparece da convivência com os amigos e aliados, não chantageia, não faz ameaças, fica à vontade para solidarizar-se com companheiros em momentos difíceis e não corre de nenhuma briga, seja dele, seja do grupo. Não coage para ser indicado candidato na 2º vaga ao Senado e se dispõe democraticamente a se submeter a critérios e filtros que eventualmente venham a ser determinados para a escolha final.

 

Demóstenes está pronto para o embate da campanha, quaisquer que sejam os termos. Em poucas palavras, ele é tudo que ela não é nem nunca será para a base governista.

28 jun

Locutor do carreiródromo, em Trindade, pede aplausos a José Eliton, “o governador que vem avançando o nosso Estado”, mas o público reage friamente

A visita do governador Zé Eliton ao “carreiródromo”, espaço em Trindade que recebe as comitivas de carros de bois durante a romaria de Trindade, não terminou muito bem, nesta quinta-feira, 28.

 

Tentando entusiasmar a multidão, o locutor pediu aplausos para o governador Zé Eliton, que chegava acompanhado pelo prefeito Jânio Darrot. “Peço uma salva de palmas para as nossas autoridades, em especial o governador Zé Eliton, o governador que vem avançando o nosso Estado”, gritou o animador.

 

Ninguém reagiu. Sem graça e constrangido, Zé Eliton tentou levantar os braços para saudar o público, mas não completou o gesto. A cena pode ser vista e ouvida no Stories do perfil do governador no Instagram(imagem acima).

28 jun

Raquel Teixeira na vice de Zé Eliton arrepia prefeitos e deputados da base governista, que ela tratava como “nada” nas várias secretarias que ocupou nos últimos 20 anos

Anunciou-se, há um mês atrás, que os deputados Thales Barreto e Jean Carlo estariam comandando um abaixo-assinado entre os colegas para apoiar a a pretensão de Raquel Teixeira no sentido de vir a ser candidata a vice-governadora na chapa de Zé Eliton.

 

O tempo passou e o tal abaixo-assinado não apareceu. O motivo? Entre os parlamentares governistas, na Assembleia, Raquel é detestada. E, de quebra, entre os prefeitos da base também.

 

Acontece que, nas inúmeras secretarias que ocupou nos últimos 20 anos, ela nunca dispensou tratamento adequado a esse pessoal. Em 2015, por exemplo, uma nota do Jornal Opção revelava que Raquel estava exigindo que os deputados pedissem audiência por email, detalhando os motivos e os possíveis acompanhantes que iriam com eles.

 

Segundo o semanário, a professora seria hors concours: “Praticamente todos os deputados reclamam que a educadora, embora não os destrate, evita atendê-los. Eles frisam que ela nunca retorna nenhuma ligação telefônica. Trata os deputados como se fossem ‘nada’. O curioso é que ela também foi parlamentar, disse um tucano”.

 

Tratou mal e agora quer ser tratada bem.

28 jun

Maguito não sabe para onde foi o dinheiro da privatização de Cachoeira Dourada, assim como Marconi e Zé Eliton, daqui a alguns anos, também não saberão dizer para onde foram os recursos da venda da Celg

A usina de Cachoeira Dourada, o maior patrimônio dos goianos em todos os tempos, foi privatizada em 1997 pelo então governador Maguito Vilela, do PMDB, que até hoje não sabe o que dizer sobre a destinação do dinheiro arrecadado – quase R$ 1 bilhão de dólares.

 

Da mesma forma, o ex-governador Marconi Perillo e o atual governador José Eliton, daqui a alguns anos, também não saberão o que falar sobre o que foi feito com os recursos recebidos pela venda da Celg, uma das 130 maiores empresas do Brasil, passada adiante por pouco mais de R$ 1 bilhão de reais – que estão sendo pulverizados em despesas de custeio e obras fúteis como o recapeamento de asfalto deteriorado nos municípios, que deveria ser de responsabilidade dos prefeitos.

 

Segundo um editorial de O Popular, o mais importante jornal de Goiás, a venda da usina de Cachoeira Dourada foi um “equívoco histórico irremediável”. A privatização da Celg vai ficar para a posteridade com a mesma classificação. MDB e PSDB se igualaram no mesmo crime contra os goianos.

28 jun

Se eleita para mais um mandato, Lúcia Vânia ficará 24 anos no Senado. É mais tempo que a ditadura militar

Caso se candidate e caso seja eleita, Lúcia Vânia, que já tem dois mandatos, entrará no terceiro e ficará por 24 anos no Senado Federal.

 

É mais tempo que a ditadura militar.

28 jun

Mais um jornalista político experiente prevê a candidatura de Lúcia Vânia fora da base governista: para Divino Olávio, ela está próxima de “chutar o balde”

Jornalistas políticos experientes apostam cada vez mais na recandidatura de Lúcia Vânia ao Senado fora da base governista. O último é o veterano Divino Olávio, que enxerga a senadora próxima de “chutar o balde” e tomar outro rumo.

 

Divino Olávio acredita que o espaço de Lúcia Vânia junto aos políticos governistas está se reduzindo rapidamente.

 

“Lúcia argumenta também dificuldades em aceitar disputar espaço com um senador que teve o mandato cassado em 2012, inclusive com o seu voto, por envolvimento com o contraventor Carlos Cachoeira. Do lado do ex-senador, há o exercício do direito de buscar uma nova candidatura, já que o Supremo Tribunal Federal lhe conferiu, sem, contudo, anular o ato da cassação do seu mandato”, avalia o traquejado jornalista.

 

E conclui: “Ela deve tomar alguma decisão de rompimento, em breve, e ir para casa ou optar por participar da chapa do democrata Ronaldo Caiado, seu colega de Senado e com quem vem mantendo conversas frequentes”.

28 jun

Romaria a Trindade mostra Marconi, de madrugada, acompanhado por 10 pessoas, e Caiado, à noite, cercado por uma multidão. Talvez seja mais um sinal de que a vantagem, nesta eleição, é da oposição

Fotos postadas no Instagram mostram flagrantes das caminhadas de Marconi Perillo e Ronaldo Caiado, de Goiânia até a Basílica do Divino Pai Eterno em Trindade.

 

Marconi procurou a discrição e partiu de madrugada, quando o movimento na rodovia dos romeiros é pequeno. A fotografia que postou no seu perfil revela que ele estava acompanhado por 10 pessoas. Ele caminhou praticamente incógnito até o santuário.

 

Já Caiado não teve medo da exposição e foi no horário de maior movimento, no início da noite. A foto que ele publicou no Instagram o mostra cercado por mais de 70 acompanhantes. Do início ao fim da caminhada, em meio ao grande tráfego de pedestres, Caiado posou com admiradores e foi aclamado até mesmo quando entrou na barraca da OVG, que distribui café e lanche aos romeiros, conforme os vídeos no Stories.

 

Veja as imagens, acima, leitor. E tire suas próprias conclusões sobre quem está em vantagem nesta eleição.

Página 120 de 141« Primeira...102030...118119120121122...130140...Última »