Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

12 jun

Índices de Marconi na pesquisa Serpes/O Popular mostram que o nome dele passou a enfrentar forte resistência na sociedade e que a candidatura o Senado está fragilizada e será difícil

Os índices obtidos pelo ex-governador Marconi Perillo na última pesquisa Serpes/O Popular evidenciam que surgiu e é forte na sociedade uma resistência ao seu nome, depois de 20 anos de poder. Em consequência, a candidatura ao Senado está fragilizada e com perspectivas incertas.

 

Nas intenções de voto ao Senado, Marconi ainda está em 1º lugar, com 14%, quando na pesquisa anterior, do mesmo Serpes, tinha 16,1%. Nos dois cenários pesquisados para o 2º voto, o Serpes alegou erro e anulou a pesquisa.

 

Os demais números permanecem. Marconi é o mais rejeitado. Quase um terço do eleitorado, ou 32,1%, não vota nele para o Senado de jeito nenhum.

 

E ainda: para um nome que tem duas décadas de forte exposição, Marconi revela desempenho pífio na pesquisa espontânea. Seu nome é lembrado por apenas 2,6% do eleitorado.

 

Por último: 52,4% dos entrevistados não votariam em hipótese alguma em um candidato a governador indicado por ele.

 

Definitivamente, Marconi não é mais o mesmo.

11 jun

82% rejeitam Temer e 92% não votariam jamais em candidato indicado por ele. Esse é o fardo que Daniel Vilela carrega como candidato do MDB e do presidente a governador de Goiás

A última pesquisa Datafolha massacrou o presidente Michel Temer, que apareceu com 82% de rejeição. Além disso, 92% declararam não votar jamais em candidato indicado por ele, referindo-se à corrida presidencial, mas é claro que a definição também é válida para as eleições nos Estados.

 

E é aí que as coisas se tornam mais complicadas para Daniel Vilela, candidato a governador pelo MDB, mesmo partido… de Temer.

 

A vinculação entre os dois pode ter efeito carbonizante. Temer tem se esforçado para apoiar ostensivamente o filho de Maguito. Entre outras ações, pressiona o ministro Alexandre Baldy e o presidente nacional do PP Ciro Nogueira para levar o partido a uma aliança com o MDB goiano. Há dezenas de fotos na internet mostrando ambos sorridentes e camaradas. Para azar de Daniel, a ligação é tóxica.

11 jun

Duelo nas redes sociais: Caiado posta 10 fotos e 10 vídeos da visita ao Festival Italiano de Nova Veneza, com cenas calorosas, enquanto Zé Eliton posta 2 fotos e 3 vídeos, frios, e Marconi nada

O Festival Italiano de Nova Veneza, evento para 50 mil pessoas em três dias, terminou no último domingo com visitas do governador Zé Eliton, do ex Marconi Perillo e do senador Ronaldo Caiado.

 

Daí para as redes sociais dos candidatos, foi um pulo. Ronaldo Caiado saiu na frente, postando 10 fotos e 10 pequenos vídeos, vendendo uma imagem de recepção acalorada, inclusive documentando um coro do público presente gritando o seu sobrenome.

 

Zé Eliton postou apenas duas fotos e três vídeos cumprimentando as pessoas, dentro do seu estilo algo frio. Em uma das fotos,  Marconi aparece. Este, por sua vez, não publicou nada sobre o Festival Italiano nas suas redes.

11 jun

Marconi diz que pesquisa Serpes/O Popular “mostra estagnação de Caiado”. Na verdade a pesquisa revela estabilidade. Alimentando esse tipo de ilusão, a base governista chegará mais facilmente a uma derrota

Em declarações à coluna Giro, em O Popular, o ex-governador Marconi Perillo desdenha dos adversários e diz que a pesquisa Serpes/O Popular, que apontou Ronaldo Caiado em 1º lugar com 38%, exatamente 28 pontos à frente do governador Zé Eliton, “mostra estagnação” do senador.

 

É pura ilusão. A pesquisa, mostra, na verdade, a estabilidade da liderança Caiado. E muita estabilidade. Desde 2014, quando disputou a corrida senatorial, ele vem mantendo uma média de 38 a 41% nas pesquisas, seja para ganhar o Senado naquela eleição, seja agora para governador.

 

Marconi acrescenta ainda que Zé Eliton está crescendo. Não está. Além de se situar muito abaixo dos números de outro vice indicado como poste do tucano, Alcides Rodrigues, que em junho de 2010 tinha 17,7%, os atuais 10% do candidato do PSDB estão na mesma faixa dos 9,8% apurados pelo Grupom, em pesquisa publicada no Diário da Manhã no início de maio.

 

Marconi sabe que não há nada de positivo para a base governista na pesquisa Serpes/O Popular.

11 jun

Oposição em tempo integral e sem trégua: até o Festival Italiano de Nova Veneza serve para Caiado criticar o governo, por não ajudar na infraestrutura do evento

Há quem veja na campanha da oposição muito mais eficácia com vistas a vencer a eleição para governador de Goiás em outubro próximo.

 

Enquanto o governador Zé Eliton gasta seu tempo com uma rotina administrativa insossa e, quando aparece em eventos oficiais, desfia um discurso difícil de ser entendido pela maioria das pessoas, o senador Ronaldo Caiado não perde um segundo sequer no afã de fazer o que qualquer candidato oposicionista deve fazer: criticar o governo.

 

Exemplo marcante foi a visita de Caiado ao Festival Italiano de Nova Veneza, no último domingo, quando foi aplaudido por um público não partidário e ouviu um coro com o seu nome. Ele aproveitou e… fez mais críticas.

 

Veja só, leitor: Caiado disse que o festival de Nova Veneza está próximo da perfeição, é o maior do Brasil, mas não conta com a infraestrutura adequada – estacionamento, guias turísticos, mapas das atrações, bureaus de informações –, que, segundo ele, seria o que falta também nas demais cidades turísticas do Estado. A responsabilidade por suprir essas falhas, acrescentou, é do governo do Estado. E foi por aí afora.

 

Como se vê, o candidato-líder das pesquisas não perde uma oportunidade para fazer o seu trabalho.

11 jun

Pesquisa Serpes/O Popular revela a verdadeira aprovação do “governo” Zé Eliton: apenas 18,4%. E a reprovação é maior, somando 21% de ruim e péssimo

Depois que o governo Ze Eliton comemorou uma suposta aprovação de 49,9%, segundo a pesquisa Grupom/Diário da Manhã do início de maio, a verdade tardou, mas chegou: conforme levantamento do insuspeito instituto Serpes, publicado em O Popular nesta segunda-feira, a atual gestão é aprovada por apenas 18,4% dos goianos.

 

O Grupom, na verdade, havia chegado ao número de 49,9% como resposta a uma pergunta a respeito das expectativas e esperanças sobre o governo Zé Eliton e aquele percentual se manifestou positivamente. Mas a base governista comemorou como se fosse um índice de aprovação, o que não era.

 

Já os 18,4% apurados pelo Serpes são aprovação real, sim. O instituto verificou também que 21% reprovam o governo Zé Eliton como ruim e péssimo. E 32%o  consideram apenas regular. Não há o que comemorar.

 

Mais de dois meses já se foram depois que o atual governador tomou posse. Faltam quatro meses para a eleição e sete para o fim do seu mandato-tampão. Nesse tempo, curto, ninguém se consolida como administrador. A não ser negativamente.

 

11 jun

Zé Eliton insiste em se portar como governador, acaba preso a uma agenda morna, deixa de assumir a candidatura e evita um debate com os adversários que só beneficiaria a divulgação do seu nome

Alguém meteu na cabeça de Zé Eliton que ele deve primeiro se afirmar como governador, vendendo para a sociedade uma imagem de estadista, para depois se apresentar como candidato a mais uma temporada no palácio.

 

Isso mostra desconhecimento de estratégia e de história. Ninguém convence como governador em dois ou três meses, que é o tempo que Zé Eliton terá antes de ser ungido candidato pelas convenções dos partidos aliados. Menos ainda como estadista.

 

Não adianta argumentar com os 10% nas pesquisa Serpes/O Popular deste domingo, que deram a ele o 2º lugar: continua muito, mas muito distante de Ronaldo Caiado, em 1º com 38%. Em 2010, Alcides Rodrigues, outro poste de Marconi Perillo, já havia alcançado 17,7%, no mesmo mês de junho.

 

É óbvio que se mostrar como postulante desde já seria muito mais vantajoso para Zé Eliton. Ocuparia um espaço vago. É mais fácil. Não desperdiçaria os eventos que tem por conta da agenda de governador. Como é bom de palavra, debateria bem com os adversários, como Ronaldo Caiado, por exemplo, que tem mais tempo de estrada e mais nome que ele. Se houvesse um acirramento da campanha, o único beneficiado seria… Zé Eliton e não seus concorrentes, que já estão  na rotina de criticar e atacar o governo, enquanto ele está no rame-rame neutro de administrar o Estado.

10 jun

Fiasco de Daniel na pesquisa Serpes/O Popular (5,6%) vai afastar ainda mais as bases do MDB. Consequência pode ser uma composição para integrar a chapa de Caiado

Ao amargar o 3º lugar na pesquisa Serpes/O Popular deste domingo, com apenas 5,6% das intenções de voto, com Zé Eliton marcando quase o dobro (10%) e Ronaldo Caiado na liderança com 38%, o deputado federal Daniel Vilela vê a sua candidatura a governador entrando em processo de enfraquecimento inexorável.

 

Grande parte das bases do MDB já debandaram em direção a um porto mais seguro, no caso, Caiado. Novas defecções deverão ocorrer, a menos que ocorra um milagre – e isso em política não costuma acontecer – e fatos novos venham a reanimar a candidatura moribunda de Daniel.

 

Uma consequência da má performance nas pesquisas pode ser uma composição, muito mais realista que o voo solo, entre Daniel e Caiado. O filho de Maguito seria um excelente nome para a vice e até mesmo para o Senado (hipótese em que as coisas ficariam ainda mais complicadas para Marconi Perillo, que apareceu na pesquisa em 1º lugar na corrida senatorial, mas com menos intenções de votos que o levantamento anterior, ou seja, caiu de 16,1 para 14%).

10 jun

Enquanto Zé Eliton chega a 10%, Alcides, outro vice que assumiu no lugar de Marconi, na mesma época (junho), em 2010, estava melhor e alcançava 17,7% das intenções de voto

 

Dois vices que assumiram no lugar de Marconi Perillo e se candidataram a governador, Alcides Rodrigues, em 2010, e Zé Eliton, agora, mostram desempenho diferente nas pesquisas de intenções de voto, considerado o mesmo mês de junho.

 

Alcides, segundo o instituto Serpes, tinha 17,7% em junho de 2010 (ele acabaria vencendo a eleição, sobrepujando Maguito Vilela, do PMDB). Hoje, Zé Eliton, conforme o mesmo Serpes, está bem abaixo, com 10% redondos. Alcides, que o Tempo Novo execra, na verdade era bom de voto.

10 jun

Pesquisa Serpes-O Popular melhora posição de Caiado, firme no 1º lugar e com vitória no 1º turno e agora, se a eleição fosse hoje, com 64,1% das intenções de votos

A pesquisa Serpes/O Popular divulgada neste domingo traz o senador Ronaldo Caiado, mais uma vez, em primeiríssimo lugar, com 38% das intenções de votos.

 

Esse percentual, aplicado ao universo de votos nominais válidos, corresponde a 64,1%, ou seja, garante com folga uma vitória no 1º turno, se a eleição fosse hoje.

10 jun

O Marconi que entra em campo para tentar remendar a base governista não é aquele de antes: desgastado, sua aprovação como governante, ao sair, foi menor que a de Alcides na mesma época em 2010

A erosão da liderança do ex-governador Marconi Perillo pode ser medida pela comparação entre a aprovação do seu governo, segundo o Serpes, em abril, quando deixou o mandato para se candidatar a senador, e a situação do então governador Alcides Rodrigues(foto), na mesma época, em 2010.

 

Isso tem importância porque Marconi entrou nesta semana no jogo político para tentar tapar as brechas da base governista e dar viabilidade para a candidatura do governador Zé Eliton, que necessita se afirmar e vencer as dúvidas que cercam as suas possibilidades de sucesso.

 

O Marconi que sai a campo agora não é o mesmo Marconi de antigamente. Em 2010, começou a campanha ao Senado com 77% das intenções de voto. Hoje, deu partida com 16,1%, na pesquisa Serpes de abril, mais de quatro vezes menos (lembrando que são números do Serpes). No levantamento do mesmo instituto publicado neste domingo, caiu para 14%, mais de cinco vezes menos que 2010 – o que deve acender em definitivo a luz amarela no caminho da sua candidatura.

 

E olha esse dado, leitor: em 2010, em meados de abril, o Serpes apontou uma aprovação de 37,7% para o governo Alcides Rodrigues. Agora, em 2018, com o governo já findo, também em meados de abril, Marconi recebeu pelo mesmo Serpes uma aprovação de 33,2% – abaixo, portanto, de Alcides.

 

O pior vem agora: a gestão Alcides tinha uma reprovação (ruim e péssima) de apenas 17,3%. A gestão Marconi, quase o dobro: 32,4%. Outro dado apavorante: na pesquisa Serpes deste domingo, Marconi é o campeão no quesito rejeição: quase um terço do eleitorado, 32,1%, não votaria nele de jeito nenhum.

 

Mudou muito.

10 jun

Pesquisa Serpes/O Popular evidencia fragilidade da candidatura de Marconi ao Senado, especialmente ao apontá-lo como o mais rejeitado: quase um terço do eleitorado (32,1%) não votaria nele

O Marconi Perillo de hoje não é o Marconi Perillo de antigamente.

 

A pesquisa Serpes/O Popular trouxe números péssimos para o ex-governador, que é candidato ao Senado. Ele lidera o páreo, mas com um índice muito baixo – 14%, que, para agravar, representa uma queda em relação ao obtido no levantamento anterior, em abril, que foi de 16,1%.

 

Mas essa não foi a pior das notícias que o Serpes trouxe para Marconi. Ele agora é o número um do ranking da rejeição. Quase metade do eleitorado, ou 32,1%, não votaria nele de jeito nenhum, conforme a pesquisa.

 

O risco de perder a eleição para o ex-governador, é real. Ele nunca passou por uma situação dessas em qualquer uma das disputas eleitorais em que se meteu até aqui.

10 jun

Ao conquistar o 2º lugar na pesquisa Serpes/O Popular, Zé Eliton ganha fôlego para permanecer como candidato e empurra Daniel Vilela para uma lanterna constrangedora

Saiu neste domingo a pesquisa Serpes/OPopular, que mantém Ronaldo Caiado em 1º lugar, com 38% (na anterior, no início de abril, tinha 39,7%, variação sem significado, já que está folgadamente dentro da margem de erro de 3,5 pontos para mais ou para menos), e agora trouxe como novidade a ascensão do governador Zé Eliton para o 2º lugar, com 10% (com uma alta expressiva em relação ao último levantamento, no limite da margem de erro, quando apresentou 6,7%).

 

O resultado empurra Daniel Vilela para uma constrangedora lanterna dentre os principais candidatos, já que aparece em 3º lugar, com 5,6% (na anterior, tinha 6,2%).

 

O emedebista perde fôlego, portanto. Zé Eliton ganha oxigênio redobrado para seguir como candidato da base governista.

09 jun

Atualização: Vilmar Rocha e Marconi se encontraram no escritório do ex-governador, na rua 109 nº 250, no setor Sul

Não foi no condomínio Aldeia do Vale e sim no escritório de Marconi Perillo, no endereço acima, que o ex-governador e Vilmar Rocha se encontraram na última quinta-feira.

 

Segundo Vilmar, tratou-se de uma conversa de cortesia entre velhos amigos. Falou-se muito de política nacional – os dois estão engajados na coordenação da campanha de Geraldo Alckmin a presidente.

 

A candidatura de Zé Eliton a governador não teria sido mencionada.

09 jun

Comunicação palaciana leva banho da oposição: Caiado consegue transmitir muito mais movimentação e crescimento do que a fria e neutra divulgação da rotina administrativa de Zé Eliton

Já se sabe que, ao assumir o seu mandato-tampão, o governador Zé Eliton desmontou a máquina de comunicação montada pelo ex-governador Marconi Perillo – que em 20 anos de poder foi decisiva para a sua trajetória de sucesso. A famosa “comunicação para o bem e para o mal”.

 

Os profissionais entronizados por Zé Eliton no lugar do antigo time de Marconi são ingênuos e inexperientes. Eles estão permitindo que o governador seja suplantado, na mídia em geral, pelos seus adversários, Ronaldo Caiado e Daniel Vilela. E com facilidade.

 

Exemplo marcante: neste sábado, os perfis de Zé Eliton no Instagram mostram uma visita a Campo Alegre, para uma repetitiva entrega de benefícios. Sem graça e fria como uma geleira. E pior: algo assim como exigir que, se você ganha um cartão de R$ 100 reais por mês do programa Renda Cidadã, você deve ser grato ao governador.

 

Enquanto isso, Caiado, por exemplo, exibe no mesmo Instagram imagens portentosas de um grande encontro também neste sábado em Goianésia, com trechos de discursos afirmativos (dele e de apoiadores), imagens de multidões e um clima de confiança na vitória. A edição é muito superior ao material pouco criativo que a equipe de Zé Eliton postou.

 

O pior cego é o que não quer ver.

Página 120 de 134« Primeira...102030...118119120121122...130...Última »