Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

31 maio

Emendas orçamentárias de Wilder Morais chegam a R$ 4 bilhões em investimentos para o Estado, muito mais que o programa Goiás na Frente. E parece que é verdade

Um balanço das emendas orçamentárias apresentadas pelo senador Wilder Morais, encaminhando recursos para investimentos em Goiás, fecha com um total entre R$ 3,6 e 4 bilhões de reais.

 

Não é conversa fiada. Os números foram conferidos pelo jornalista Weliton Carlos, do Diário da Manhã, que concluiu pela sua veracidade, com a inclusão também de liberações diretas a cargos dos diversos Ministérios, negociadas pelo senador.

 

Os recursos canalizados por Wilder Morais são superiores aos aplicados pelo programa Goiás na Frente, que, no lançamento, fez a previsão de R$ 9 bilhões – conta que levava em consideração R$ 3 bilhões da iniciativa privada, que ninguém sabe onde estão, e R$ 6 bilhões que o governo do Estado não comprovou até hoje. Estima-se o total investido até agora pelo Goiás na Frente ainda não chegou a R$ 600 milhões.

31 maio

Comparados aos de Caiado, com quase um milhão de seguidores, perfis de Zé Eliton e Daniel no Instagram, Facebook e Twitter podem ser considerados… insignificantes

A comparação direta entre o número de seguidores de Ronaldo Caiado no Instagram, Facebook e Twitter com os de Zé Eliton e Daniel Vilela, nas mesmas redes sociais, mostra que o candidato oposicionista e líder absoluto nas pesquisas de intenções de voto está em descomunal vantagem também nesse campo de batalha eleitoral.

 

Caiado beira um milhão de seguidores, no Facebook; quase 400 mil no Twitter e quase 100 mil no Instagram.

 

Zé Eliton e Daniel apresentam performance fraquíssima, diante da força do concorrente. Ambos ficam entre 10 e 40 mil seguidores, nas três redes.

 

Nas mídias do Instagram, Facebook e Twitter Caiado já ganhou a eleição.

 

31 maio

PSDB diz ter “pesquisas internas” mostrando que está se consolidando a polarização entre Zé Eliton e Caiado. Não acredite, leitor. Por enquanto, a disputa de Zé Eliton é com Daniel Vilela

“O PSDB goiano avalia, com base em pesquisas eleitorais internas, que está se consolidando a polarização entre o senador Ronaldo Caiado e o governador José Eliton para outubro”.

 

É o que diz nota plantada na coluna Giro, em O Popular, nesta quinta.

 

Não acredite, leitor. Primeiro, essa conversa de “pesquisas internas” é o velho recurso de quem está atrás nas pesquisas. Segundo, como é que alguém (Zé Eliton) com menos de 10% de intenções de voto estaria polarizando com outrem (Caiado) com mais de 40%?

 

E terceiro: por enquanto, a disputa de Zé Eliton – a tal polarização – é com Daniel Vilela, que está à frente dele nas pesquisas, por décimos, mas está.

31 maio

Faltam apenas 16 semanas para a eleição: base governista espera um “milagre marconista” para desarmar as bombas que ameaçam a candidatura de Zé Eliton

A base governista vive dias de tensão, com o acúmulo de problemas que vão se agravando e diminuindo as possibilidades de uma vitória na próxima eleição – daqui a apenas 16 semanas.

 

O ex-governador Marconi Perillo, desaparecido há mais de 20 dias, supostamente em uma misteriosa viagem à Ásia, é aguardado com ansiedade: espera-se dele uma espécie de “milagre”, capaz de desarmar bombas como a disputa entre Lúcia Vânia e Demóstenes Torres pela 2ª vaga ao Senado, melhorar os números de Zé Eliton nas pesquisas, segurar o PP (que está saindo para apoiar Daniel Vilela) e equacionar a chapa de candidatos à Assembleia (os partidos da coligação recusam-se a formar um “chapão” com o PSDB, que só beneficiaria os tucanos).

 

É trabalho de Hércules. Segundo o jornalista Weliton Carlos, em avaliação no Diário da Manhã, “Marconi vai enfrentar dificuldades para definir o que fazer. Ele pode tanto ajudar Zé Eliton quanto aceitar o convite para comandar a campanha de Geraldo Alckmin”. Além disso, lembra, Marconi tem também a sua própria campanha ao Senado para resolver. Tudo de uma vez ele não vai dar conta”.

30 maio

Propostas de campanha mais atrativas estão com Caiado: redução de impostos, aumento para professores e policiais, corte de despesas do governo, rompimento com Temer e… mudança

Enquanto Zé Eliton foca na rotina administrativa e Daniel Vilela prepara um projeto para Goiás, Ronaldo Caiado saiu na frente e já acrescentou à sua candidatura bandeiras de campanha que têm poder de atração sobre o eleitorado.

 

Entre elas, a redução de impostos, a correção salarial para professores e policiais, o corte de despesas do governo, o rompimento com Temer e a mudança para melhorar Goiás.

 

Além disso, o senador incorporou também um perfil desenvolvimentista que nenhum outro candidato tem. São temas que Caiado pisa e repisa diariamente em discursos, entrevistas, mensagens nas redes sociais e em toda a sua comunicação.

 

Ele faz campanha sozinho, praticamente sem concorrência.

30 maio

Com o PSD dividido, o PP de saída para apoiar Daniel e o PTB e o PSB esperando pelo nome à 2ª vaga ao Senado, “coligação de Zé Eliton só tem certos até agora o PSDB e uma cambulha de partidos nanicos”

A análise é do colunista Divino Olávio, do Diário Central: Zé Eliton tem problemas demais na sua base, mas não age para resolver. Um exemplo é a escolha de Sofia que ele tem de fazer entre Lúcia Vânia e Demóstenes Torres, para a 2ª vaga ao Senado, sabendo que a preferência por um significa o rompimento com o outro. Se optar pela senadora, perde o apoio do PTB, se ficar com Demóstenes, perde o PSB que, de quebra ainda leva o PPS do deputado-sobrinho Marcos Abrão.

 

Somando-se a essa situação o PSD, dividido entre os deputados do partido e o presidente Vilmar Rocha, e o PP, que está de saída da base governista para apoiar Daniel Vilela, “Zé Eliton só tem apoio certo até agora do PSDB e de uma cambulha de partidos nanicos”, arredonda Divino Olávio.

 

O veterano jornalista dá um conselho ao governador: daqui até as convenções, melhor dormir de olhos bem abertos.

30 maio

Mais críticas de Vilmar Rocha a Zé Eliton: “Não tem perfil para um projeto avançado, moderno e diferente para Goiás. Não motiva, não entusiasma, não transmite inovação”

O presidente do PSD Vilmar Rocha mostra-se incansável nas críticas que continua disparando sem parar contra o governador e candidato da base liderada pelo PSDB Zé Eliton.

 

Entrevistado pelo jornalista Helton Lenine, do Diário da Manhã, Vilmar Rocha pesou ainda mais a mão. Confira:

 

1 – “A base governista precisa de um candidato que traga renovação, reciclagem e mudança. Zé Eliton não tem esse perfil”.

 

2 – “Não motiva, não entusiasma, não transmite inovação e um modelo novo de gestão pública”.

 

3 – “Não compreendeu que o Tempo Novo está esgotado e que somente o lançamento de um nome de renovação ganharia a sociedade”.

 

4 – “Se a base governista insistir nesse caminho, vai perder a eleição. Falta a ele o perfil ideal para liderar um projeto avançado, moderno e diferente para Goiás. Ainda há tempo para trocar o candidato”.

 

30 maio

Vai fazer falta: comunicação de Marconi, “para o bem e para o mal”, decisiva para os seus governos, foi desmontada por Zé Eliton e substituída por um grupo sem experiência no setor público

O governador Marconi Perillo, em seus últimos mandatos, teve como característica um setor de comunicação ágil e inteligente, que deu sustentação para a sua administração mesmo em momentos difíceis como a Operação Monte Carlo – quando o tucano quase beijou a lona – e foi fundamental nas eleições de 2010 e 2014.

 

Seu sucessor, Zé Eliton, adotou como uma das primeiras providências o desmonte desse sistema estratégico, substituindo as equipes vitoriosas por profissionais sem experiência no setor público e na articulação com a política. Um exemplo é o novo chefão da área de divulgação, Jarbas Rodrigues(foto), ex-titular da coluna Giro, em O Popular, que nunca atuou em governos e nunca escondeu ojeriza a quem atuava.

 

O comentarista Vassil Oliveira, crítico acerbo do ex-governador, costuma definir o que era feito nas gestões dele como “comunicação para o bem e para o mal”. Ou seja: funcionava para promover e sustentar a gestão, mas também servia para implacavelmente demolir os inimigos.

 

A eleição é daqui a 120 dias, pouco mais, e Zé Eliton está na rabeira das pesquisas. A poderosa comunicação estratégica que foi um trunfo para Marconi vai fazer falta.

30 maio

Mais um trunfo para a eleição: Caiado leva vantagem monumental nas redes sociais, com número de seguidores muitas vezes maior que o de Zé Eliton e Daniel Vilela

Diferença brutal: Ronaldo Caiado tem um número de seguidores, nas redes sociais, muitas vezes maior que o de Zé Eliton e Daniel Vilela, dependendo do perfil consultado.

 

Veja:

 

Instagram

Caiado – 93,3 mil

Zé Eliton – 24,2 mil

Daniel – 11,2 mil

 

Facebook

Caiado – 938 mil

Zé Eliton – 44 mil

Daniel – 39 mil

 

Twitter

Caiado – 394 mil

Zé Eliton – 26,4 mil

Daniel – 7,1 mil

30 maio

STF decide que críticas do deputado Major Araújo a Marconi são garantidas pela liberdade de expressão, prevista na Constituição, e não podem ser censuradas

Através de decisão monocrática do ministro Luís Roberto Barroso, o Supremo Tribunal Federal suspendeu nesta terça-feira decisão da Justiça goiana que havia determinado a exclusão de mensagem publicada pelo deputado estadual Major Araújo, em sua conta no Twitter, contra o então governador Marconi Perillo.

 

Segundo o ministro, “a liberdade de expressão é de extrema relevância para a ordem constitucional, por ser pré-condição para o exercício de outros direitos e liberdades e para o adequado funcionamento do processo democrático”.

 

Ele acrescentou ainda que, “negar o exercício do direito de manifestação implicaria intimidação, não só do deputado estadual Major Araújo, mas de toda a população, que restaria ainda mais excluída do controle e da informação sobre matérias de interesse público”.

30 maio

Em alta na base governista e lembrado até para ser candidato a governador, caso Zé Eliton não se viabilize, Zé Vitti recebe convite também para a suplência de Demóstenes

Através do deputado federal Jovair Arantes, o presidente da Assembleia, Zé Vitti, foi convidado para ocupar a 1ª suplência de Demóstenes Torres, caso venha a ser confirmado na 2ª vaga ao Senado na chapa governista.

 

Segundo a senadora Lúcia Vânia, que também aspira a 2ª vaga, Zé Vitti pode também ficar com a sua suplência, embora não tenha dito se a 1ª ou a 2ª.

 

O presidente da Assembleia está em alta na base governista. Nos bastidores, é citado como a melhor opção disponível caso a candidatura do governador Zé Eliton, com dificuldades nas pesquisas, não se viabilize.

 

30 maio

Sobre a decisão de Zé Eliton de demitir aliados seus que estavam trabalhando no governo, Vilmar Rocha diz: “É um erro grave fazer política com base em nomeação e exoneração”

Perguntado por Jackson Abrão, na entrevista em vídeo a O Popular, o presidente do PSD Vilmar Rocha mandou um recado ao governador Zé Eliton a propósito da demissão de aliados seus que estavam trabalhando no governo:

 

“É um erro grave dele, até é uma coisa que está ultrapassada, fazer política com base em nomeação e exoneração. Isso é coisa velha, eu achei que nós já tínhamos virado essa página. É a velha política”.

30 maio

Maior responsável pela tragédia, governo não mandará representante ao ato em memória dos 9 adolescentes que morreram queimados no Centro de Internação Provisória

Um grupo de entidades ligadas à proteção de crianças e adolescentes, inclusive a Defensoria Pública do Estado, fará nesta quarta às 16 horas, um ato em memória dos nove menores que morreram queimados no Centro de Internação Provisória. O ato acontecerá em frente ao batalhão da Polícia Militar onde fica o CIP.

 

Nenhum representante do governo do Estado comparecerá.

 

Os nomes dos jovens mortos: Daniel, Douglas Matheus, Elias, Elizeu, Gabriel, Johny, Lucas e Wallace.

30 maio

Vilmar Rocha sobre Zé Eliton: “Marconi cometeu um equívoco enorme ao escolher esse nome. Ele não tem o perfil de que Goiás precisa”

Como sempre, as críticas de Vilmar Rocha, presidente do PSD, ao governador Zé Eliton, em entrevista ao Jackson Abrão Entrevista, no site de O Popular(foto acima), foram duríssimas.

 

Uma: “Não tenho nada de pessoal contra. O problema é o perfil, ele não é o que Goiás precisa, não tem nada de renovação. Nomes como o de Otavinho Lage, ex-prefeito de Goianésia, teriam muito mais sucesso. Mas infelizmente, a base fez a sua opção, e se trata de um enorme equívoco que pode nos levar à derrota”.

 

Outra: “O ex-governador Marconi Perillo poderia ter liderado a busca de uma solução condizente com o que a sociedade espera. Eu disse isso a ele, várias vezes, mostrei que precisávamos de um candidato novo, não de um candidato do governo. Mas ele, Marconi, também se equivocou”.

 

E: “O candidato ideal seria aquele que representasse uma mudança. O ciclo do Tempo Novo está no fim, acabou”.

29 maio

Vilmar Rocha volta a atacar: “PSDB está hoje onde o PMDB estava em 1998, ou seja, esgotou-se um ciclo de governo que foi bom para Goiás, mas agora é preciso renovação”

Em entrevista a Jackson Abrão, gravada em vídeo e postada no Facebook de O Popular, o presidente do PSD Vilmar Rocha – com o tom elegante e diplomático de sempre – voltou a despejar críticas a respeito do chamado Tempo Novo.

 

Olha só:

 

“Em 1998, nós pregávamos o esgotamento do ciclo de gestão do PMDB, que estava no poder havia 16 e mostrava-se esgotado. Nós temos que ter coragem e humildade para aceitar a verdade. Os 20 anos de Tempo Novo foram bons para Goiás, mas, tal qual aconteceu com o PMDB, isso acabou. Agora, é preciso mudança, renovação, reciclagem, é o que a sociedade quer”.