Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt e convidados sobre política, cultura e economia

27 set

Matéria publicada por O Popular em março deste ano mostrou como a fraude para alavancar Goiás no ranking do IDEB foi operacionalizada com a extinção sigilosa do ensino médio noturno

O jornal O Popular, antecipou, em reportagem publicada em março deste ano e assinada pelo jornalista Márcio Leijoto, a fraude que a Seduce montou para alavancar a colocação de Goiás no ranking do IDEB – hoje um dos motes da campanha do governador Zé Eliton e do ex Marconi Perillo, que apresentam em seus programas eleitorais a Educação estadual como “a melhor do Brasil”.

 

Não é verdade. Segundo O Popular, a manipulação dos índices de Goiás no IDEB se deu a partir da extinção do ensino médio regular no período noturno, o que foi feito sem divulgação. Em seu lugar, foi criado um programa especial (o PROFEN – Programa de Fortalecimento do Ensino Noturno), que passou a considerar todos os alunos matriculados neste horário como estudantes do EJA (Educação de Jovens e Adultos), sigla para o ensino supletivo, e não mais alunos do ensino médio.

 

Com isso, em um passe de mágica, mais de 17 mil alunos foram excluídos dos cálculos para o IDEB, que considera, além da prova presencial, também as taxa de evasão e de aprovação nas séries regulares do ensino médio. É aí que a Seduce de Raquel Teixeira descobriu o ovo de Colombo: com a retirada das turmas noturnas das escolas da rede estadual, que têm rendimento escolar menor e números elevados em evasão e aprovação, a média dos alunos que sobraram subiu automaticamente. Estava pronta a grande ilusão: o IDEB da rede estadual deu um salto.

 

Já em março deste ano, na reportagem que publicou sobre o assunto, O Popular fazia uma previsão: o fim do ensino médio regular noturno na rede estadual de ensino em Goiás iria melhorar artificialmente o desempenho do ensino médio estadual como um todo no IDEB. E foi exatamente o que aconteceu, não como reflexo de qualquer evolução na qualidade do ensino, mas como resultado da mudança na base de cálculo do indicador, no caso da rede estadual. O que houve, portanto, foi uma fraude.

27 set

Resultados de Goiás no IDEB, celebrados por Zé Eliton e Marconi, foram alcançados graças a exclusão dos alunos dos cursos noturnos da rede estadual na gestão de Raquel Teixeira na Seduce

Não tem a menor seriedade o resultado que Goiás alcançou no IDEB, cantado em prosa e verso pela campanha do PSDB e pelos candidatos Zé Éliton e Marconi Perillo. O tal 1º lugar é fruto da manipulação e principalmente de uma jogada da então secretária Raquel Teixeira, que excluiu da aferição do IDEB os alunos dos cursos noturnos da rede estadual.

 

É fácil entender como foi montada a fraude: o IDEB leva em consideração os resultados de uma prova, mais os índices de evasão e de aprovações no final das séries. Ou seja: exame presencial + taxa de abandono + taxa de aprovação. Todos esses três indicadores foram convenientemente “trabalhados” pela gestão de Raquel Teixeira, para confluírem na suposta boa colocação de Goiás no ranking.

 

Mas, para o cômputo do IDEB, os índices de evasão e de aprovação são os mais importantes. A redução de um e a elevação de outro implicam automaticamente no avanço da posição de um Estado. E o que Raquel Teixeira fez? Ela retirou os alunos dos cursos noturnos da rede estadual do cálculo da taxa de evasão e de aprovação. Por um motivo simples: quem estuda à noite trabalha durante o dia, quando vão para a escola, está cansado e não mostra rendimento adequado – e há também muita reprovação. E, consequentemente, o número que abandona as aulas ou não consegue aprovação é muito alto. E sem falar que não se dariam bem na prova presencial. Raquel criou um emaranhado de portarias e resoluções, transferindo os alunos dos cursos noturnos, sem que eles soubessem, para um programa chamado PROFEN – Programa de Fortalecimento do Ensino Noturno, que, na prática, equivale ao ensino supletivo (tecnicamente chamado de EJA – Educação de Jovens e Adultos) e não entra na conta do IDEB. Cerca de 17 mil estudantes foram migrados, sem saber até hoje que isso aconteceu.

 

Essa manobra foi descoberta, em 2017, pelo jornal O Popular, que fez uma denúncia: a Seduce havia simplesmente extinguido o ensino médio noturno regular em Goiás, com o objetivo de alcançar artificialmente um salto no IDEB do Estado. O Popular concluiu que a operação, que não foi informada aos alunos, foi montada exclusivamente para que o Estado chegasse a esse objetivo.

27 set

Quadro embolado para o Senado é mais uma vez confirmado, agora pelo Diagnóstico/Jornal Opção: Marconi está empatado com Kajuru, Vanderlan e Lúcia Vânia seguem colados

A eleição para as duas vagas ao Senado vai trazer surpresas: segundo a pesquisa do instituto Diagnóstico publicada nesta quinta-feira pelo Jornal Opção online, o ex-governador Marconi Perillo, com 31,7%, está empatado com o vereador Jorge Kajuru, que tem 29,9% – a diferença é de ínfimo 1,8 ponto, dentro da margem de erro de 3,4 pontos para mais ou para menos.

 

Aparecem a seguir, empatados matematicamente, Vanderlan Cardoso e Lúcia Vânia, ambos com 26,5%.

27 set

Pesquisa Diagnóstico/Jornal Opção não traz novidade e mantém Caiado em 1º lugar, com 40,4% (ou 53,2% dos votos válidos) e vitória no 1º turno

Saiu a nova rodada da pesquisa Diagnóstico, publicada pelo Jornal Opção online. O senador Ronaldo Caiado continua como o 1º colocado, alcançando 40,4% das intenções de voto. Em 2º lugar, Zé Eliton com 15,1% e, em 3º lugar, Daniel Vilela com 12,4%.

 

O índice de Caiado corresponde a 53,2% dos votos nominais válidos, o que garante ao candidato democrata a vitória no 1º turno.

 

A margem de erro do levantamento é de 3,4 pontos para mais ou para menos.

27 set

Irresponsabilidade fiscal matou o programa Bolsa Universitária, que não paga as universidades e faculdades há 6 meses, acumula dívida de R$ 60 milhões e não tem condição de ser mantido em 2019

A irresponsabilidade fiscal dos governos tucanos matou – o verbo não é nenhum exagero e apenas retrata o que aconteceu – o programa Bolsa Universitária, que aparece quase todo dia na propaganda televisiva de Zé Eliton e Marconi Perillo como uma das grandes realizações dos governos do PSDB.

 

Nesta quarta-feira, o professor Jorge de Jesus Bernardo, presidente do sindicato das universidades e faculdades que atuam em Goiás, veio a público para revelar a verdade: faz seis meses que os pagamentos da Bolsa Universitária foram suspensos, acumulando uma dívida de R$ 60 milhões e comprometendo os estudos de 20 mil universitários goianos.

 

Não existe a menor possibilidade de que esse débito venha a ser quitado a curto ou a médio prazo, o que inviabiliza a continuidade da Bolsa Universitária no ano que vem, a menos que as entidades mantenedoras do ensino superior aceitem continuar atendendo aos estudantes sem receber.

 

Esse fato, gravíssimo, atesta que o Estado quebrou. Todos os recursos, hoje, estão sendo desesperadamente direcionados para o pagamento da folha de pessoal, que não pode atrasar, pelo menos até a data da eleição. Parcelas de empréstimos consignados são descontadas dos servidores, mas não repassadas aos bancos. Ipasgo implantando cotas para atendimento em hospitais e laboratórios. Cartões do Passe Livre Estudantil sem novos carregamentos. Hospitais em estado de coma, sem dinheiro sequer para agulhas e gaze. Dívida estadual postergada. A situação é gravíssima. É uma bomba fiscal, que vai explodir depois da eleição.

 

Mais quatro anos desse caos e não sobrará pedra sobre pedra.

26 set

Pesquisa Real Time/TV Record mostra que Zé Eliton é mesmo um fiasco: em 2 meses, da última rodada para esta, cresceu apenas um ponto (tinha 17% em 31 de julho e agora oscilou para 18%)

A base governista se agarra a qualquer graveto para tentar não ser tragada pela correnteza: na noite desta quarta-feira, “comemora” o índice de 18% que Zé Eliton obteve na pesquisa Real Time/TV Record, divulgada agora há pouco.

 

Mas não há nada o que festejar. Zé, na pesquisa passada do mesmo Real Data, publicada em 31 de julho, tinha 17%, o que significa que, de lá para cá, praticamente dois meses, cresceu apenas… um ponto. Na linguagem técnica das pesquisas, como essa alta ficou dentro da margem de erro (3 pontos para mais ou para menos), não pode nem ser chamada de crescimento e sim de oscilação. E isso com campanha de rua, maior tempo na televisão, 200 prefeitos e a poderosa máquina governista em ação.

 

Já Ronaldo Caiado, pelo mesmo critério, ou seja, a comparação entre os índices que alcançou nas pesquisas do Real Data de 31 de julho e desta quarta, é um foguete. O candidato democrata tinha 35% e agora pulou para 43%, crescimento maiúsculo de 8 pontos percentuais.

 

Até Daniel Vilela se saiu melhor que o Zé: saiu de 7 para 10%, oscilando, portanto, dentro da margem de erro, mas subindo 3 vezes mais que o Zé.

26 set

Pesquisa Real Time/TV Record, considerando-se a margem de erro de 3 pontos para mais ou para menos, está alinhada com a Ibope/TV Anhanguera que a base governista tanto contestou

Os números revelados na noite desta quarta-feira pela pesquisa do instituto Real Time Big Data, via TV Record, são aproximadamente os mesmos da pesquisa Ibope/TV Anhanguera que a campanha de Zé Eliton e Marconi Perillo tanto contestou.

 

Senão vejamos: Ronaldo Caiado, na Real Time, teve 43%. No Ibope, 47%. Com a margem de erro de 3 pontos para mais ou para menos, os dois resultados estão alinhados, pela diferença de um ponto. Zé Eliton teve 13% no Ibope e 18% no Real Time, números não tanto similares, mesmo considerando a margem de erro, mas ainda assim próximos (e é preciso esperar mais uma pesquisa, a do Diagnóstico, nesta quinta-feira no Jornal Opção, para uma visão mais clara) . E Daniel Vilela, 12% Ibope e 10% no Real Time, índices equivalentes se considerada a margem de erro.

 

Portanto, leitor, não há “virada” alguma, como apregoa a campanha do PSDB. Está tudo como dantes: Caiado vence no 1º turno, Zé fica em 2º e Daniel em 3º. Nada mudou.

26 set

Pesou: pesquisa Real Time/TV Record confirma a iminência de uma virada, a verdadeira, na eleição para o Senado, ao trazer Kajuru e Vanderlan mordendo os calcanhares de Marconi

A verdadeira virada vem vindo aí e não se dará na eleição para o governo do Estado e sim na disputa pelas duas vagas ao Senado.

 

A pesquisa RealTime/TV Record, divulgada há pouco, confirma o que já foi apontado por institutos como o Ibope, Diagnóstico e Grupom: há empate técnico entre Marconi Perillo, Jorge Kajuru e Vanderlan Cardoso, por uma diferença mínima.

 

Acabou o passeio de Marconi, que vinha fazendo campanha do alto de um pedestal, já se considerando previamente eleito com o voto de gratidão dos goianos por tudo que fez nos últimos 20 anos. Nada disso. Na pesquisa do Real Time, Marconi tem 32%, Kajuru 31 e Vanderlan 30%. O que favorece os dois últimos é que eles estão em trajetória de alta, enquanto o ex-governador tucano permanece estacionado no mesmo patamar em que iniciou a campanha.

 

Para piorar o que já não está bom para Marconi, a sua companheira de chapa, Lúcia Vânia, está descartada. No Real Time, assim como no Ibope, ela apareceu com 24%, em 4º lugar, em trajetória de queda, perdendo qualquer condição para se eleger.

26 set

Real Time/TV Record confirma empate de Marconi, Kajuru e Vanderlan no 1º lugar na corrida pelas 2 vagas no Senado e indica que Lúcia Vânia está fora do jogo, já em 4º lugar

Marconi Perillo, Jorge Kajuru e Vanderlan Cardoso estão empatados tecnicamente em 1º lugar na corrida pelas duas vagas no Senado Federal, segundo a pesquisa do instituto Real Data Big Time que acaba de ser divulgada pela TV Record.

 

Marconi tem 32%, Jorge Kajuru 31% e Vanderlan Cardoso 30%. O empate decorre da margem da erro da pesquisa, que é de três pontos para mais ou para menos. Em 4º lugar, aparece Lúcia Vânia com 24%.

 

Os números confirmam que a disputa está embolada, mas já apontando para uma definição ao confirmar o que vem sendo mostrado por outras pesquisas: Lúcia Vânia está fora do jogo e deve perder a eleição.

26 set

Real Data Big Time, na TV Record, dá 43% para Caiado, que, assim, vence no 1º turno com 57% dos votos nominais válidos

Acaba de ser divulgada pela TV Record a última rodada da pesquisa do instituto Real Time Big Data, ligado à Rede Record de Televisão. O senador Ronaldo Caiado manteve o 1º lugar, com 43%, seguido de Zé Eliton, em 2º lugar, com 18%, e Daniel Vilela na 3ª posição, com 10%.

 

Esses números, mais uma vez, conferem a Ronaldo Caiado a vitória no 1º turno, com 57% dos votos nominais válidos.

 

A margem de erro é de três pontos para mais ou para menos.

26 set

Seduce altera calendário escolar e cancela atividades de Trabalho Coletivo, sábado próximo, para abrir espaço a reunião política de Raquel Teixeira com professores e alunos no Tattersal da Pecuária

A Secretaria Estadual de Educação alterou o calendário escolar e cancelou as atividades de Trabalho Coletivo na rede estadual – que envolvem a preparação pedagógica de professores, coordenadores e alunos para provas de avaliação  – previstas desde o começo do ano letivo para o próximo sábado, 29, pela manhã. A determinação foi passada por escrito para todos os diretores de escolas, mas, para os que trabalham em Goiânia, foi acrescentada, verbalmente, uma orientação para que mobilizem as suas unidades para um evento com a candidata a vice-governadora Raquel Teixeira, também no sábado, pela manhã, no Tattersal da Pecuária.

 

O ofício de cancelamento(print acima) está assinado pelo coordenador regional da Seduce Azésio Barreto Sobrinho. Foi ele também quem convocou os diretores para a reunião com Raquel.

 

Leia a mensagem da diretora, cuja identidade será mantida em sigilo, a este blog:

 

“Hoje fomos convocados para uma reunião com Azésio, no qual fomos informados do cancelamento do Trabalho Coletivo de sábado. Além disso, foi-nos solicitado que mobilizemos os profissionais da escola e, inclusive, que levemos alguns alunos para um evento que ocorrerá no sábado pela manhã, no Tattersal de Elite, com a Raquel Teixeira.”

26 set

Zé diz no seu programa de televisão que “não tem nada fácil nessa vida“. Verdade e ele está sentindo na própria pele, ao se candidatar a governador e passar meses e meses sem crescer um ponto nas pesquisas

A campanha do PSDB passa por um momento de obsessões. Uma delas, é a insistência em vender uma “virada “que não tem sustentação real nas pesquisas, a não ser as do instituto Directa, de baixíssima confiabilidade – a tal ponto que os próprios tucanos, ao divulgá-las, o fazem meio que constrangidos.

 

Outra compulsão que vem crescendo é a nova justificativa para o atoleiro em que Zé Eliton se meteu nas pesquisas: ele não cresceria porque não seria conhecido. Daí, no programa de TV desta quarta-feira, ainda que tardiamente, Zé é mais uma vez apresentado, com um depoimento pessoal com pretensões de forte emoção, no qual volta a dizer que “ralou” muito e que “não tem nada fácil nessa vida”, alusão óbvia aos percalços que vem passando na campanha, já que não sai do lugar e dá a impressão de uma derrota iminente e acachapante.

 

“Não tem nada fácil nessa vida” resume, e bem, a situação do Zé, que fez de tudo – foi vice 7 anos e 3 meses, presidente da Celg, secretário de Segurança, secretário de Desenvolvimento, sofreu o maior atentado da história recente do Estado, coordenou o Goiás na Frente, viajou aos 246 municípios, tem o apoio de 200 prefeitos, usufrui do maior tempo de rádio e televisão e é governador há seis meses – e não conseguiu deslanchar nas pesquisas, empatado em 2º lugar com Daniel Vilela pela diferença de apenas um ponto, segundo a última pesquisa Ibope.

26 set

Urgente: associação das universidades e faculdades denuncia atraso de R$ 60 milhões na Bolsa Universitária, prejudicando 20 mil estudantes e inviabilizando o programa para o ano que vem

O SEMESG – Sindicato das Entidades Mantenedoras do Ensino Superior do Estado de Goiás divulgou há pouco nota oficial denunciando falta de repasse dos recursos referentes à Bolsa Universitária, que alcançam seis meses de atraso (fevereiro, março, abril, julho, agosto e setembro), totalizam mais de R$ 60 milhões em aberto e prejudicam, no momento, 20 mil estudantes universitários.

 

Segundo o SEMESG, a falta de pagamento da Bolsa Universitária coloca universidades e faculdades em dificuldades financeiras e inviabiliza a continuidade do programa no ano que vem.

 

A notícia sobre os atrasos na Bolsa Universitária, uma das realizações mais citadas nos programas de televisão de Zé Eliton e Marconi Perillo, já vinha circulando, no contexto de uma situação caótica que estaria acometendo as finanças do Estado – hoje postergando todos os pagamentos possíveis a fim de concentrar recursos na manutenção em dia da folha de pessoal, pelo menos até a data da eleição.

26 set

Pesquisas: Exata OP, que junto com o Directa produziu pesquisas favoráveis a Zé Eliton, mas nem tanto, faz registro no TRE pela 3ª vez e não publica o relatório

O instituto Exata OP, que junto com o Directa vinha produzindo números favoráveis a Zé Eliton, mas não tanto generosas quanto (o Directa apontou Zé com 26,7% das intenções de voto), fez forfait pela 3ª vez: registrou nova pesquisa, mas não publicou o relatório.

 

Anteriormente, as pesquisas do Exata OP foram publicadas pelo semanário Tribuna do Planalto, em seu site. Em uma delas, Zé foi apontado com mais de 15%, mas parou por aí. Nas demais pesquisas, o governador nunca passou de 13%.

 

A última pesquisa registrada pelo Exata OP estaria liberada para publicação a partir desta quarta-feira. Mas até agora nada.

26 set

Só 10 dias para a eleição e nada mudou: Caiado ganha no 1º turno, Zé e Daniel disputam o 2º lugar. Se houver novidade, vai ser na disputa pelas 2 vagas no Senado

Faltam apenas 10 dias para a data da eleição e nada mudou: Ronaldo Caiado segue olimpicamente em 1º lugar, com mais de 30 pontos ou 1.200.000 votos, no mínimo, de frente, enquanto Zé Eliton e Daniel Vilela disputam o 2º lugar, ambos na faixa de 10 a 13% das intenções de voto, dependendo da margem de erro, ou 400.000 votos cada um.

 

Se houver novidades, isso deve acontecer na disputa pelas duas vagas ao Senado. Lúcia Vânia despencou, enquanto Marconi Perillo foi alcançado por Jorge Kajuru e Vanderlan Cardoso. A conversa sobre “virada”, se é papo furado para a eleição ao governo, tem sentido e é séria no caso da corrida senatorial. O fiasco de Zé Eliton contaminou os dois candidatos da chapa tucana, Marconi e Lúcia, o que só se agravou com a monumental rejeição do tucano-chefe, a maior dentre todos os candidatos majoritários.

 

Surpresa, se houver, será na eleição para o Senado.

Página 40 de 119« Primeira...102030...3839404142...506070...Última »