Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

17 jul

Calendário das pesquisas: jornal O Hoje não publicou nesta terça a pesquisa do Directa, que só sairá após o Diário da Manhã publicar a do Grupom, amanhã

O jornal O Hoje não publicou nesta terça-feira, como previsto, a pesquisa do instituto Directa. O levantamento foi registrado no TRE e está pronto, mas só será divulgado após o Diário da Manhã trazer a público a nova pesquisa do Grupom – o que está previsto para esta quarta-feira, 18.

 

Está embutida aí uma estratégia do grupo de comunicação do governador Zé Eliton: como o Grupom não brinca com o seu trabalho e deve trazer números parecidos com a sua última pesquisa e também com a do Ibope, na linha apresentada pelas pesquisas mais sérias até agora (ou seja, com o candidato tucano empatado em 2º lugar com Daniel Vilela, na faixa dos 9 a 10 pontos), o Directa será usado no dia seguinte para tentar minimizar o impacto negativo na base governista.

 

O Directa, já na sua pesquisa anterior, há menos de um mês, deu mais de 20% de intenções de voto para Zé Eliton – índice que nenhum outro instituto registrou até hoje.

17 jul

A reboque da oposição: depois que Caiado vai ao rio Araguaia fazer campanha visitando acampamentos, Zé Eliton vai atrás e passará quinta e sexta abraçando turistas na região

O senador Ronaldo Caiado esteve na semana passada em Aruanã e região, visitando acampamentos à beira do rio Araguaia para, claro, fazer proselitismo eleitoral.

 

Caiado inundou suas redes sociais com fotos de reuniões, abraços, encontro com os bombeiros que patrulham o rio e até caminhando pelas ruas da cidade.

 

Sem agenda desde que entrou em vigor a vedação para que candidatos participem de inaugurações e entregas de benefícios, o governador resolveu fazer o mesmo. Na quinta e sexta vindouras, ele também irá para as barracas do Araguaia, na tentativa de dar alguma movimentação à sua campanha.

 

A proibição de comparecer a eventos oficiais está em vigor desde o dia 7 último. Desde então,  Zé Eliton está parado, sem fazer aparições públicas.

16 jul

Na hipótese de aliança MDB-PP, com a candidatura de Vanderlan a senador na chapa de Daniel Vilela, Maguito aceitaria a 1º suplência, para ajudar o filho. Mas isso não passaria de uma “panelinha” renovada

Em 1998, o PMDB perdeu a eleição para Marconi Perillo depois de lançar Iris Rezende para governador e Maguito Vilela para o Senado, tendo dona Iris Araújo como 1ª suplente. E isso sem falar que o 1º suplente de Iris, que estava no 4º ano de seu mandato no Senado, era seu próprio irmão, Otoniel Machado.

 

A oposição percebeu a brecha e fez a famosa campanha da “panelinha”, estrelada pelos esquetes humorísticos de Nerso da Capitinga. Se isso foi decisivo para a vitória de Marconi ou não, difícil saber, mas que ajudou, ajudou e muito.

 

Agora, nas conversas preliminares que Daniel Vilela está tendo com o PP, a vaga de senador ou de vice está à disposição de Vanderlan Cardoso, que notoriamente vai preferir a senatória. Para melhorar a atratividade da oferta, cogita-se da figuração de Maguito Vilela como 1º suplente, ideia apresentada como uma espécie de “sacrifício” do pai para ajudar na campanha do filho.

 

Na verdade, é fácil perceber que será só uma “panelinha” renovada.

16 jul

Caminhando à reboque da oposição: um dia depois de Caiado e Tejota participarem de encontro da Assembleia de Deus em Catalão, Marconi e Zé Eliton dão um jeito de também ir ao evento

No sábado, o senador Ronaldo Caiado e o deputado Lincoln Tejota participaram da abertura de um grande encontro da Assembleia de Deus em Catalão.

 

Interessada na ascensão de um de seus mais destacados líderes, o ex-deputado estadual Luiz Carlos do Carmo, que é suplente de Caiado no Senado e assume o mandato caso ele deixe o mandato na hipótese de ser eleito governador, a Assembleia de Deus apoia majoritariamente o candidato do DEM.

 

Mesmo assim, Marconi Perillo e Zé Eliton correram atrás e, segundo a coluna Giro, em O Popular, deram um jeito de “incluir o evento na agenda de domingo”. Os dois foram a Catalão e tiveram a oportunidade de falar aos pastores – depois de Caiado e Tejota(veja as fotos).

 

É o governismo caminhando a reboque da oposição.

 

16 jul

A 80 dias da eleição, ainda em marcha lenta: “Base aliada do governo estadual vive a expectativa de uma entrada com maior intensidade de Marconi nas articulações, nesta semana”, diz a coluna Giro

A coluna Giro, em O Popular, informa nesta segunda-feira que “a base aliada do governo estadual vive a expectativa de uma entrada com maior intensidade do ex-governador Marconi Perillo nas articulações nesta semana, depois de período em que se envolveu nas atividades da pré-candidatura ao Planalto de Geraldo Alckmin”.

 

A dedução que salta dessa nota é que Marconi ainda não entrou para valer na coordenação política da candidatura do governador Zé Eliton. Aliás, qualquer um pode notar que o acúmulo de problemas entre os partidos e a dificuldade para fechar a chapa governista é indicativo de que nem Marconi nem ninguém está atuando para encaminhar as soluções necessárias.

 

O que está acontecendo? A 80 dias da data das eleições, é agora que “Marconi vai entrar com maior intensidade” na campanha de Zé Eliton?

 

A coluna Giro acrescenta que a primeira movimentação do ex-governador terá como objetivo o PROS e que ele vai procurar a direção nacional do partido para conversar. Mas é tarde demais: Marconi só vai perder tempo correndo atrás de uma legenda que já se definiu pela oposição e cujo presidente estadual, o deputado Lincoln Tejota, foi anunciado como vice na chapa de Ronaldo Caiado.

 

O governismo está à reboque da oposição em Goiás.

16 jul

Em mensagem a amigos, Heuler Cruvinel diz que o PP e ele farão o que Baldy decidir, inclusive uma aliança com o MDB e a indicação do nome dele para vice de Daniel

Em mensagens trocadas pelo WhatsApp com amigo, o deputado federal Heuler Cruvinel, do PP, reafirmou que o posicionamento final do partido em Goiás será decidido pelo ministro das Cidades, Alexandre Baldy.

 

Mas isso já se sabia. A novidade é que, nas mesmas mensagens, Heuler deixa bem claro que ele poderá inclusive aceitar a indicação do seu nome para vice de Daniel Vilela, caso se concretize uma aliança entre o PP e o MDB. “Tudo depende do Baldy”, teclou o deputado.

 

“Mas seu nome está à disposição para a vice de Daniel”, insistiu o interlocutor. E Heuler respondeu: “Baldy q manda”. O parlamentar rioverdense autorizou expressamente a divulgação da conversa.

16 jul

Nota do Jornal Opção, indicando que o PT pode se coligar com o MDB para viabilizar a eleição de Rubens Otoni para deputado federal, tem todo sentido e tanto que os dois partidos voltaram a conversar

O Jornal Opção apurou um fato novo no processo político estadual: o PT e o MDB voltaram a conversar e discutem uma coligação, com a retirada da candidatura de Kátia Maria e a formação de um “chapão” para deputado estadual e federal.

 

Com isso, estaria viabilizada a eleição de Rubens Otoni, que, hoje, corre risco se o PT insistir em caminhar sozinho (são necessários 180 mil votos de legenda para garantir uma cadeira na Câmara dos Deputados) e também de pelo menos três deputados estaduais, quando, na situação atual, é possível que o partido só eleja um ou dois.

 

O PT pode até conseguir de Daniel Vilela uma vaga na chapa majoritária, de vice ou senador, mas isso depende do posicionamento final do PP – que, por vontade do governo federal e da cúpula nacional, tende a dar apoio ao emedebista e assim ficaria com os melhores espaços.

 

Um problema: Daniel votou a favor do impeachment de Dilma. Mas isso o PT estadual está disposto a esquecer. Afinal, petistas não são de muitos pruridos morais.

16 jul

Estratégia mais recomendada para Zé Eliton subir nas pesquisas não foi seguida: assumir o governo e cuidar da rotina administrativa, mas se posicionar como candidato e fazer campanha

O governador Zé Eliton cometeu um erro grave na sua estratégia eleitoral, que agora está custando caro.

 

Ao assumir o governo, em vez de se posicionar como candidato, ele preferiu apostar em um mergulho profundo na rotina administrativa, tentando se consolidar como um estadista, um governante em tempo integral, e com isso se tornar mais conhecido e subir nas pesquisas.

 

Subir nas pesquisas é de fundamental importância para qualquer candidato, pois traz o que é mais decisivo em uma campanha: a expectativa de poder. Se sinaliza que pode vencer as eleições porque está sendo bem avaliado pelos eleitores, o postulante atrai mais apoio e motiva os seus aliados a se empenharem ainda mais.

 

Zé Eliton desprezou tudo isso. Em três meses como governador, cuidou de administrar Goiás, imaginando que comparecer a inaugurações e a entregas de benesses sociais e até de dinheiro vivo a prefeitos – ações que dão alguma visibilidade – seria suficiente para se tornar mais conhecido e enfim faturar pontos nas pesquisas. Foram três meses desperdiçados, que não serviram para nada. Ele sonha caracterizar o seu mandato-tampão como um governo completo, o que é simplesmente impossível.

 

E aí não deu certo. Novas pesquisas estão chegando, como a do Ibope, indicando que o governador continua estagnado e até humilhado com um empate técnico em 2º lugar, na faixa de 10 pontos, com Daniel Vilela – o candidato do MDB que não tem uma fração do poderio que a máquina governista empresta a Zé Eliton. E agora não há mais solução: Zé Eliton vai iniciar agosto, a dois meses da data da eleição, em posição muito ruim na corrida sucessória.

15 jul

Blog do Altair Tavares também aponta para a hipótese de apoio do presidente da Assembleia, Zé Vitti, à candidatura de Caiado

O Blog do Altair Tavares também especula sobre a hipótese de apoio do presidente da Assembleia, Zé Vitti, à candidatura do senador Ronaldo Caiado.

 

Segundo o jornalista, a articulação existe, sim, e está sendo conduzida pessoalmente por Caiado.

 

Altair Tavares escreve:

 

“Questionado sobre a intenção, em entrevista coletiva, o senador Caiado abriu um riso no rosto para elogiar o provável novo aliado. ‘É um exímio parlamentar’, elogiou. O democrata, sempre se refere a Vitti de forma carinhosa, pois é ‘uma pessoa que começou na política pelas minhas mão’. José Vitti foi eleito deputado estadual pelo DEM antes de filiar-se ao PSDB”.

15 jul

Calendário de publicação de pesquisas eleitorais sofre mudança. Veja a nova data do Grupom

O jornal Tribuna do Planalto deste domingo, 15, publicou, como se esperava, a pesquisa que o instituto Exata, de Brasília, realizou sobre as eleições em Goiás, mantendo praticamente os mesmos números de um mês atrás.

 

O calendário de publicação de novas pesquisas segue com uma mudança: o levantamento do Grupom, previsto para esta segunda-feira, 16, no Diário da Manhã, não foi concluído e só sairá no DM em princípio na próxima quarta-feira, 18, podendo ser antecipado para a terça-feira, 17.

 

Na terça, continua prevista a publicação da pesquisa do instituto Directa, no jornal Hoje.

 

Já o instituto Serpes, que veicula seus levantamentos em O Popular, só deve apresentar novos trabalhos a partir de 5 de agosto, depois de oficializadas em convenção as chapas que vão disputar as eleições.

 

A seguir, mostramos o ranking de credibilidade desses institutos junto à classe política:

 

Serpes: credibilidade alta.

Grupom: credibilidade alta.

Exata: credibilidade baixa.

Directa: credibilidade baixíssima.

15 jul

Estratégia de se dedicar ao governo e adiar a campanha deu errado para Zé Eliton, que perdeu tempo precioso e continua estagnado nas pesquisas – deixando a base governista deprimida

A pesquisa Ibope/Adial confirma a tese que este blog sempre defendeu: o mero rame-rame do dia a dia do governo, a que Zé Eliton se dedicou desde que assumiu, em 7 abril, e como passou anos e anos fazendo como vice-governador, acompanhando o titular Marconi Perillo em quase tudo, pode dar até alguma vitrine, mas não rende pontos nas pesquisas. Audiências, reuniões, eventos, inaugurações no interior – nada disso  posiciona uma candidatura a governador.

 

Dentro da base governista, o bordão sempre foi o de que Zé Eliton não lideraria as pesquisas porque ainda não seria conhecido. Esse argumento é inválido. Do ponto de vista lógico. Ser conhecido não implica necessariamente em preferência do eleitor.

 

É duplamente inválido, de resto, porque a premissa é falsa: Zé Eliton é, sim, muito conhecido. Sua performance ruim tem outras causas.

 

Ele está há sete anos e meio no governo. Sete anos como vice-governador e mais de três meses como governador efetivo. E nunca foi um vice decorativo. Ao contrário, sempre atuou intensamente no governo. Foi presidente da Celg, várias vezes secretário de Estado, chefiou muitas missões ao exterior, coordenou a distribuição dos recursos da venda da Celg e sempre esteve na mídia.

 

Quando os correligionários de Zé Eliton insistiam no argumento de que ele pontuaria nas pesquisas quando se tornasse conhecido, estavam apenas revelando com isso que são pessoas que perderam a confiança na política, que acreditam em truques de marquetagem e em bossas publicitárias. E agora o levantamento Ibope/Adial está aí ainda mostrando a dura realidade: nada mudou. Em seus três meses como governador, Zé Eliton recusou-se a fazer política e empenhou-se em governar. Perdeu tempo e coisa alguma mudou.(Com a colaboração de Helvécio Cardoso)

15 jul

Politicamente, nomeação de Flávio Peixoto para a Secretaria de Educação só serve para ajudar Zé Eliton a perder a eleição e nada mais

Decerto que o novo secretário de Educação Flávio Peixoto será chamado a opinar sobre a campanha de Zé Eliton. Ele não apenas serviu a todos os governos do PMDB como, de resto, foi a voz mais influente das campanhas peemedebistas depois que o partido virou oposição. Em grande parte, foi o responsável pelas derrotas.

 

Flávio peca pelo excesso de bom mocismo. É um fidalgo, a elegância em pessoa. Não gosta de confrontação. Gosta de “proatividade”, de “ações propositivas” e coisas desse tipo. Um verdadeiro escoteiro mirim.

 

Fosse técnico de time de futebol, escalaria seu esquadrão com 10 zagueiros e um goleiro, com ordens para ninguém atravessar a linha do meio-de-campo do adversário. É o mestre da retranca, do defensismo molenga, da falta de iniciativa.

 

Mas Flávio tem um mérito, que ninguém tira: foi o cérebro por trás da estratégia vitoriosa de industrializar Goiás. Uma ação que começou em 1983 com Íris Rezende, prosseguiu com Santillo e foi intensificada por Marconi. Quando ele postulou que Goiás podia saltar da miserável condição de economia agropastoril para o de uma sociedade industrializada, começando pelo fomento da agroindústria, os reacionários da época ficaram escandalizados. Este repórter, então principiante, foi o autor da matéria, publicada no Jornal Opção, que, na época, final dos anos 70, tinha por editor um certo José Luiz Bittencourt, não sei se vocês conhecem.

 

A nomeação de Flávio para o governo é bem a cara do candidato Zé Eliton. Um candidato que quer ser governador, mas não quer ser candidato, que não responde publicamente aos ataques da oposição, mas que patrocina a exoneração de servidores públicos que, por mera educação, cumprimentaram Ronaldo Caiado em um evento público de muladeiros, em Trindade.(Helvécio Cardoso, jornalista)

15 jul

Movimento de prefeitos, liderado por Issy Quinan Jr., de Vianópolis, tenta levar o PP para a base de apoio de Caiado

O prefeito de Vianópolis, Issy Quinan Jr., do PP, está liderando uma articulação de base para tentar levar o partido para apoiar a candidatura de Ronaldo Caiado e integrar a sua coligação.

 

Issy Jr. passa os dias pendurado no telefone, falando com outros prefeitos pepistas e presidentes de diretórios municipais da legenda.

 

É mais um furo na precária couraça que ainda segura a candidatura do governador Zé Eliton.

 

15 jul

Chapa de Caiado foi montada para ser apresentada a Goiás como “ficha limpa”, isto é, sem ninguém como réu em processos por improbidade administrativa (caso de Zé Eliton)

A chapa do senador Ronaldo Caiado foi montada para ser apresentada ao eleitorado goiano como “ficha limpa”, sem nenhum candidato na condição de réu, com denúncia aceita na Justiça por improbidade administrativa.

 

A estratégia, claro, é se contrapor basicamente ao governador Zé Eliton, que responde a 15 processos judiciais exatamente por improbidade administrativa, quase todos oriundos do seu período como presidente da Celg.

 

Mas o ex-governador Marconi Perillo também está na mira, já que é alvo até de investigação na Justiça Federal por ter sido citado por executivos delatores da Odebrecht como destinatário de recursos extralegais fornecidos pela empresa.

 

Caiado, Lincoln Tejota, Wilder Morais e Jorge Kajuru não são réus em processos de improbidade. Kajuru tem uma vasta folha judicial, mas relativo a processos movidos por pessoas atingidas pelas suas agressões verbais.

15 jul

Caiado e Daniel seguem em campanha. Zé Eliton está imobilizado e assim continua desde que, a partir do dia 7, ficou proibido de participar de inaugurações e entregas de benefícios

Pelas redes sociais, é fácil acompanhar a movimentação dos três principais candidatos a governador – Ronaldo Caiado, Zé Eliton e Daniel Vilela.

 

Caiado é o mais ativo. Neste fim de semana, entre outros eventos de campanha, esteve em Catalão para um encontro da Assembleia de Deus e foi às barrancas do rio Araguaia(foto), para visitar acampamentos e abraçar turistas. As suas redes estão repletas de fotos.

 

Zé Eliton continua quieto. Desde o dia 7 último, quando entrou em vigor a proibição para que candidatos compareçam a inaugurações e entregas de benefícios de governo, ele está desaparecido. Às vezes, recebe alguém em audiência ou preside alguma reunião naquelas imensas mesas palacianas. Mas é só. Não faz campanha. E é acompanhado por Marconi Perillo, que também está paralisado. Neste sábado, Marconi estava em Pirenópolis, descansando na sua confortável chácara. Fotos dos dois, nas redes, só sobre temas institucionais.

 

Daniel Vilela se mexe como pode. Ele foi a um encontro em Três Ranchos e a festas populares em Amorinópolis e Davinópolis, abraçou velhinhas, cumprimentou emedebistas velhos de guerra e posou sorridente para selfies. Com essa agenda mínima, está conseguindo a proeza de empatar com Zé Eliton, que tem a máquina governista a seu favor, nas pesquisas. Daniel também publicou muitas fotos.

Página 95 de 124« Primeira...102030...9394959697...100110120...Última »