Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

01 ago

Incêndio na base(16): PDT do casal Flávia-George Morais se inclina para a coligação com Caiado depois do veto do presidente nacional Carlos Lupi a uma aliança com Zé Eliton e Marconi

O PDT da deputada federal Flávia Morais e do seu marido, o presidente estadual do partido George Morais, deve fechar com a candidatura do senador Ronaldo Caiado.

 

Os dois estiveram com o presidente nacional do PDT Carlos Lupi e ouviram que está expressamente vetada uma aliança com Zé Eliton e Marconi Perillo. Não são conhecidos os motivos.

01 ago

Patriota deve refluir na candidatura do apresentador Paulo Beringhs e fechar com Caiado

O Patriota, partido nanico que é subdividido em várias facções inconciliáveis, entrou em ebulição e deve refluir na candidatura do apresentador Paulo Beringhs para apoiar a de Ronaldo Caiado.

01 ago

Tudo pelo PP: Gustavo Mendanha chama prof. Alcides e oferece apoio em Aparecida para a sua candidatura a deputado federal, ampliando o cerco para fechar a aliança com o MDB

O prefeito de Aparecida Gustavo Mendanha, do MDB, chamou na manhã desta quarta-feira o professor Alcides Ribeiro, candidato a deputado federal pelo PP. Na pauta, o oferecimento de apoio para ajudar na eleição do professor Alcides, que defende abertamente a coligação do seu partido com o MDB, sob o argumento de que, na chapa de Daniel Vilela, seriam eleitos quatro deputados federais pepistas, enquanto que, na base governista, seriam no máximo dois.

 

Em outra movimentação, há alguns dias, o ex-governador Maguito Vilela disponibilizou três colégios eleitorais de peso – Jataí, Goianésia e Quirinópolis – para reforçar a reeleição de outro deputado federal do PP, Roberto Balestra. O MDB está jogando tudo para fechar a aliança com o PP.

01 ago

PP sai indefinido de reunião com Baldy, Vanderlan, deputados, prefeitos e candidatos , mas com tendência pró-Daniel Vilela, para atender as pressões de Brasília e viabilizar a eleição de 4 deputados federais

O presidente estadual do PP Alexandre Baldy reuniu na noite desta terça-feira, em Goiânia, os deputados federais, prefeitos e candidatos do partido nas próximas eleições, especialmente o empresário Vanderlan Cardoso – que almeja disputar o Senado depois de aparecer bem situado na pesquisas.

 

Não houve definição, que foi adiada para o próximo domingo, 5, prazo fatal para a realização das convenções. Mas um pepista que esteve na reunião revelou a este blog que ficou clara a preferência de Baldy, Vanderlan, prof. Alcides Rodrigues e Adriano Avelar (estes candidatos à Câmara Federal) pela coligação com o MDB. Os três deputados federais – Roberto Balestra, Sandes Jr. e Heuler Cruvinel – e a maioria dos prefeitos disseram ser a favor da permanência da sigla na base governista.

 

Baldy não abriu o jogo com clareza sobre a sua posição, mas repetiu incessantemente que está sendo pressionado pelo presidente Michel Temer e pelo presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira, para fechar com Daniel Vilela. Adriano Avelar e Prof. Alcides reafirmaram que, na chapa proporcional do MDB, o PP tem chances de fazer quatro federais, enquanto que, na chapa de Zé Eliton, faria apenas dois, apenas sendo usado para fornecer quociente eleitoral para garantir a eleição dos candidatos governistas mais fortes. Dos atuais parlamentares, Heuler Cruvinel foi o que mais insistiu no apoio a Zé Eliton, lembrando que pode ser indicado candidato a vice-governador do tucano. Vanderlan Cardoso avaliou como fortíssimas as suas chances de se eleger ao Senado, diante das últimas pesquisas, anotando sempre que só há vaga disponível na chapa de Daniel Vilela.

 

A expectativa, após a reunião, é que o PP se defina mesmo pela coligação com o MDB.

01 ago

Marconi vai à direção nacional do PRB e tenta intervenção em Goiás para impedir coligação com o MDB, mas proposta é recusada porque o partido nunca agiu contra seus diretórios estaduais

O ex-governador Marconi Perillo, aproveitando-se da sua posição como um dos coordenadores políticos da campanha de Geraldo Alckmin,  tentou, nesta quarta-feira, durante a convenção nacional do PRB, em Brasília, convencer a cúpula nacional do partido a intervir em Goiás para impedir a coligação com o MDB, com o lançamento do deputado federal João Campos ao Senado na chapa de Daniel Vilela.

 

Nacionalmente, o PRB está coligado ao PSDB, como um dos partidos integrantes do Centrão.

 

Mas a proposta foi rechaçada pelo presidente nacional do PRB, Marcos Pereira, que respondeu afirmando que o partido nunca impôs nenhuma decisão de força aos seus diretórios estaduais e não seria agora que abriria uma exceção.

 

Isso significa que o PRB deve manter a decisão do seu presidente estadual, João Campos, de se coligar com o MDB, e de lançamento da sua candidatura a uma das vagas ao Senado na chapa de Daniel Vilela.

01 ago

Candidatura de Vanderlan ao Senado, na chapa de Daniel Viela, se houver acordo do PP com o MDB, interessa a Marconi por tirar votos de Lúcia Vânia e Kajuru em Goiânia

A candidatura do empresário Vanderlan Cardoso ao Senado, na chapa comandada por Daniel Vilela, se houver acordo do PP com o MDB, pode acabar colaborando com os interesses do ex-governador Marconi Perillo, que também é candidato ao Senado.

 

Vanderlan é um nome com forte recall em Goiânia e região, onde praticamente dividiu a votação com Iris Rezende na última eleição para prefeito. Já Marconi, não. Ele é rejeitado pelo eleitorado da capital e da sua zona de influência, onde tem índices baixos de intenções de voto. Ao contrário, Lúcia Vânia e Jorge  Kajuru, principalmente este, se saem bem, o que leva a um raciocínio: com a entrada de Vanderlan no páreo, quem tende a perder votos são os dois, Lúcia e Kajuru, beneficiando Marconi, que nunca contou com esses colégios eleitorais e tem maior apoio pelo interior afora. Nesse quadro, o ex-governador tem mais possibilidades de vencer, uma vez que a sua votação permaneceria intacta, enquanto a dos seus concorrentes cairia.

 

São coisas da política: para Marconi, hoje um acordo do PP com o MDB, desde que Vanderlan seja lançado ao Senado, é um bom negócio.

01 ago

Pesquisa Ibope/TV Anhanguera confirma que estratégia de Zé Eliton é equivocada: se 73% consideram seu governo como regular, ruim e péssimo, como ganhar a eleição propondo a continuidade disso?

Segundo a pesquisa Ibope/TV Anhanguera divulgada na noite desta sexta-feira, 17, a gestão do governador Zé Eliton é considerada regular, ruim e péssima por 73% do eleitorado.

 

Ou seja, regular: 37%, ruim: 13% e péssima: 23%.

 

Um governo com esses índices pode ser considerado como simplesmente medíocre. Mas é esse governo que Zé Eliton, em seus discursos, entrevistas e principalmente no planejamento que anunciou no início desta semana , propõe-se a continuar e até ampliar. Ele é candidato, diz, exatamente para isso. Só que… quem é que quer uma administração nesse padrão, regular, ruim e péssima?

 

Provavelmente, ninguém. A estratégia de sustentação da candidatura, portanto, está completamente equivocada. É por isso que o candidato tucano não sobe um mísero ponto que seja nas pesquisas, praticamente desde o início do ano. E não vai subir, se não mudar o rumo.

31 jul

Pesquisa do instituto Real Time Big Data, divulgada nesta terça pela TV Record, eleva Zé Eliton para 17%, baixa Caiado para 35% e tem recepção fria até mesmo entre os governistas

Saiu a segunda rodada da pesquisa do instituto Real Time Big Data, ligado à Rede Record, sobre as eleições deste ano.

 

Zé Eliton subiu de 15 para 17%, enquanto Ronaldo Caiado baixou de 37 para 35%. Daniel Vilela subiu de 5 para 7%.

 

A pesquisa foi recebida friamente. Nem mesmo a base governista comemorou. Em resumo, os números parecem ser irreais.

31 jul

Marconi impõe e Zé Eliton leva a campanha para a Makro. Caiado fica com ex-funcionários da Propeg no prédio da empresa de Romes Xavier. E Daniel vai para a Kanal Vídeo, de Jorcelino Braga

O espaço físico onde se desenvolvem as campanhas majoritárias, em Goiás, sempre tem importância porque é onde acabam acontecendo as principais reuniões e decisões estratégicas para cada candidato.

 

E o lugar mais apropriado para isso são as produtoras onde se fazem os programas do horário eleitoral gratuito, que começa a 31 de agosto.

 

Zé Eliton, que queria fazer a campanha na sede da AMP, na Cidade Empresarial, em Aparecida, e chegou a confrontar Marconi Perillo, que não abre mão de continuar com a Makro (que sempre atendeu o Tempo Novo) recuou e decidiu que a AMP segue na criação e no marketing, mas no prédio e usando os equipamentos da Makro mesmo, no setor dos Funcionários, em Goiânia.

 

Ronaldo Caiado, cujo coordenador de campanha Adib Elias disse equivocadamente nesta terça na rádio Sagres que será a Propeg, da Bahia, a encarregada de produzir os seus programas eleitorais, irá para o prédio que ex-funcionários da Propeg (e não a agência) alugaram do empresário e radialista Romes Xavier, em Aparecida. A Propeg propriamente dita, uma das maiores e melhores agências do país, não estará na campanha de Caiado, mas ex-integrantes do seu quadro, um sinal a mais da improvisação e do amadorismo que cercam o democrata.

 

Daniel Vilela, sem surpresas, ficará com Jorcelino Braga, nas modestas instalações da Kanal Vídeo, no Jardim América.

31 jul

Balestra dá sinais de que aceita a composição do PP com o MDB, para apoiar Daniel Vilela ao governo e garantir a sua própria reeleição para a Câmara dos Deputados

O deputado federal Roberto Balestra tem dado sinais a correligionários de que aceita a composição do PP com o MDB, para apoiar Daniel Vilela.

 

Aos que o procuram, Balestra diz que não pode se posicionar com clareza enquanto não se reunir com o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, presidente estadual do PP, e tirar com ele uma definição sobre o rumo do partido nas próximas eleições. Mas não deixa de lembrar que, lá atrás, foi defenestrado por Zé Eliton do comando estadual do PP, em troca de nada, já que o atual governador não ficou na agremiação, transferindo-se para o PSDB e deixando no seu lugar o senador Wilder Morais, que também saiu para se filiar ao DEM.

 

Maguito Vilela, pai de Daniel, esteve com o deputado e ofereceu a ele três colégios eleitorais de peso onde o MDB tem força para reforçar a sua reeleição: Jataí, Goianésia e Quirinópolis.

 

O PP encontra-se numa encruzilhada em Goiás. Seu apoio é disputado também pelo PSDB, que está disposto a fazer qualquer concessão para ter a legenda na sua coligação. Mas, segundo a coluna Giro, em O Popular, nesta terça, o presidente Michel Temer chamou neste início de semana o ministro Baldy e pediu “direta e formalmente” que o partido fique com Daniel Vilela.

31 jul

Campanha governista tenta reagir com “coordenadores” marconistas, fala em “fatos positivos” que ainda não apareceram e programa eventos, mas ainda falta o essencial: um candidato

O governador Zé Eliton dá sinais de que começa a sair do marasmo, depois de desperdiçar quatro meses de visibilidade como titular do cargo e nenhuma reação nas pesquisas.

 

Nos últimos dias, foram anunciados nomes ligados ao ex-governador Marconi Perillo como “coordenadores” para tentar salvar a campanha, notinhas nos jornais insinuam que “fatos positivos” vêm aí (embora não se diga quais, mas provavelmente relacionados com a adesão de partidos) e pela primeira vez pelo menos se esboça uma agenda de eventos.

 

Isso a 68 dias da data do pleito, prazo que Zé Eliton tem para tentar reverter uma situação extremamente desfavorável, em que ele se encontra estagnado com 10% das intenções de votos e um constrangedor empate com Daniel Vilela, que não tem uma fração da estrutura representada pela máquina governista, em 2º lugar.

 

Ocorre que essas providências comandadas pelo candidato tucano podem até ter a ver com organização de campanha, mas nada significam em termos de estratégia eleitoral. Pelo menos por enquanto, Zé Eliton continua o mesmo que não deslanchou nas pesquisas: é continuidade de Marconi Perillo e de 20 anos de poder, segue usando um linguajar empolado que ninguém entende, não consegue se afirmar como um líder de identidade própria e dá a impressão de que quer se impor pela força do cargo que ocupa e não pela aceitação voluntária do eleitorado.

 

Ou seja: a base governista segue sem o que mais precisa: um candidato.

31 jul

Incêndio na base(15): PP, PRB e PDT não estão confirmados na coligação de Zé Eliton e articulam abertamente apoio a Caiado ou Daniel Vilela, com consequências também na definição do PR

Três dos mais importantes partidos até agora teoricamente alinhados com a base governista estão articulando abertamente outras opões além do apoio a Zé Eliton.

 

O principal é o PP, que está sendo pressionado pelo seu comando nacional e pelo Palácio do Planalto para fechar apoio ao candidato do MDB, Daniel Vilela.

 

O PRB também pode ir para o MDB ou até para Ronaldo Caiado. As bases do deputado federal João Campos – polícia civil, agentes prisionais e setores evangélicos – não admitem a composição com Zé Eliton, reclamando de compromissos não cumpridos pelo governo do Estado nos últimos anos.

 

Por fim, o PDT está na dependência de uma conversa do casal Flávia-George Morais com o presidente nacional do partido, Carlos Lupi. Lupi não esconde de ninguém o veto à dupla Marconi Perillo-Zé Eliton, que teria firmado compromissos com ele – no final das contas não cumpridos.

 

O posicionamento dessas três legendas, caso não fechem com Zé Eliton, pode acabar levando o PR da deputada federal Magda Mofato a refluir na decisão de se coligar com o PSDB e apoiar Zé Eliton. Magda entende que essas defecções enfraqueceriam a chapa de candidatos a deputado federal da base governista e, para melhorar suas chances de reeleição, poderia buscar outro caminho.

31 jul

Dúvida é se a propaganda eleitoral pelo rádio e televisão será decisiva para definir a eleição ou se nada vai mudar e Caiado vai até o fim em 1º lugar e ganha, quem sabe até no 1º turno

Falta 68 dias para a data da eleição e o quadro eleitoral em Goiás segue inalterado.

 

Pesquisas de credibilidade só após 5 de agosto, domingo próximo, quando as convenções partidárias vão definir as chapas que disputarão o pleito.

 

A propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão começa daqui a um mês, a 31 de agosto e a grande pergunta que se faz é se terá força para alterar os resultados projetados a partir das últimas pesquisas, ou seja, Ronaldo Caiado em 1º lugar, em média 30 pontos à frente de Zé Eliton e Daniel Vilela.

 

Haverá debates entre os candidatos nos meios de comunicação, mas há muito que eles deixaram de influenciar o eleitor. Problemas com audiência e mesmo desinteresse pelo falatório parecem afastar a possibilidade de que algum fato novo venha daí.

 

O horário do TRE no rádio e TV tem, neste ano, a forte concorrência das redes sociais. Será também muito compacto: os candidatos a governador terão, no todo, 9 minutos no almoço e 9 minutos à noite, dia sim dia não, para vender o seu peixe, mais pílulas esparramadas na programação diária – tudo isso esbarrando na forte rejeição do eleitorado, de um modo geral, à classe política.

31 jul

Card convocando para a convenção do DEM é exemplo do amadorismo da campanha de Caiado: texto incorreto, candidato em preto e branco olhando para o passado e bandeira do Brasil, não de Goiás

O amadorismo da comunicação da campanha de Ronaldo Caiado pode ser exemplificado com o card divulgado nas redes sociais para convocar os adeptos da candidatura à convenção do DEM.

 

Uma sucessão de erros mostra que normas básicas do português, das artes visuais e do bom senso foram desrespeitadas.

 

Veja só, leitor: para começo de conversa, Caiado é apresentado no card em preto e branco, decisão sem sentido que abre mão da força das cores para esquentar a mensagem. O fundo é uma desagradável nuance do verde claro para o roxo. Roxo, imaginem… E Caiado olha para a esquerda, ou seja, para trás, quando todo mundo sabe que o futuro, em perspectiva gráfica, está à direita, à frente. Uma bandeira do Brasil e não de Goiás, cujo governo é o objeto da convenção, está em posição de destaque. E, para piorar, um texto muito longo, sem as necessárias vírgulas (e, quando colocadas, no lugar errado). Escreve-se “onde” em vez de “em que” e ainda se afirma, para encerrar, que a convenção irá oficializar a candidatura do “nosso Governador” (ué, Caiado já é “Governador”?)

 

Enfim, mais uma sinalização para o que se suspeita: a campanha democrata carece de recursos, não é profissional e, acumulando passos errados, pode acabar comprometendo uma candidatura que tem tudo para dar certo.

31 jul

Calendário das pesquisas: quarta sai o levantamento do instituto Real Time, na TV Record. E o instituto Exata, que sempre mostra algum crescimento de Zé Eliton, pediu o registro de mais uma

A próxima pesquisa a ser divulgada em Goiás é a do instituto paulista Real Time, ligado à rede Record de Televisão.  O levantará sairá na quarta-feira, no noticiário noturno da TV Record.

 

Enquanto isso, o site do Tribunal Regional Eleitoral informa que mais uma pesquisa do instituto Exata foi registrada. O Exata é um dos dois institutos a mostrar crescimento de Zé Eliton, que, no seu último levantamento, já estava com 14% de intenções de voto – enquanto todas as demais pesquisas indicam que o candidato tucano patina nos 10%, sem alterações desde o início do ano.

 

Outros pesquisas – Serpes, Grupom ou Diagnóstico – só depois de 5 agosto, quando as chapas estarão fechadas pelas convenções partidárias.

 

Mais uma vez, veja o ranking de credibilidade das pesquisas, na atual temporada eleitoral, segundo a opinião deste blog:

 

Serpes: credibilidade alta.

Grupom: credibilidade alta.

Diagnóstico: credibilidade em alta.

Ibope: credibilidade média

Real Time: credibilidade média

Exata: credibilidade baixa.

Directa: credibilidade baixíssima

Página 98 de 137« Primeira...102030...96979899100...110120130...Última »