Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

Matemática das urnas é cruel para Adriana Accorsi

13 de junho de 2024

Todas as avaliações para a eleição municipal deste ano em Goiânia confluem para um cenário de 2º turno, a ser disputado entre a representante do PT Adriana Accorsi e um dos nomes lançados pelo campo conservador – ou Vanderlan Cardoso ou Gustavo Gayer ou Sandro Mabel (que está começando a se viabilizar). Isso significa, em um resumo matemático, que a petista estará em franca desvantagem face a um adversário que inevitavelmente aglutinará os votos da direita e contará com assim com uma consolidada expectativa de vitória. Não à toa, Adriana se esforça para defender a visão de que a corrida pelo Paço Municipal tem a ver com o gerenciamento urbano da capital e não com questões ideológicas, mas o fardo do PT pesa sobre os seus ombros em um momento, aliás, em que a estrela maior do partido, o presidente Lula, não mostra um bom desempenho.

11 de junho de 2024

Futuro de Daniel Vilela e Wilder Morais passa pela eleição deste ano? Sim e não

É corrente entre os políticos a opinião de que contar com um grande número de prefeitos ajuda um candidato a governador na eleição majoritária estadual, aquela que vem dois anos após a municipal. No entanto, Marconi Perillo em 1998 venceu Iris Rezende com somente 33 prefeitos ao seu lado. Ronaldo Caiado, em 2018, encarnou um exemplo ainda mais radical: ganhou com o apoio de apenas 14 prefeitos. Mas, nas suas reeleições, ambos fizeram questão de alargar ao máximo suas bases municipais. De qualquer modo, o vice Daniel Vilela e o senador Wilder Morais, de olho em 2026, já se empenham para eleger o maior número possível de prefeitos neste ano, considerado como uma espécie de etapa estratégica com vistas à disputa maior pelo Palácio das Esmeraldas em 2026. Prefeitos ajudam? Sim e não, prova a história.

8 de junho de 2024

As 4 reações possíveis de Vilmarzim quando for substituído por Leandro Vilela

Não é mais segredo que o prefeito Vilmar Mariano não conseguiu comprovar a viabilidade da sua reeleição e será substituído nos próximos dias – ou horas – pelo ex-deputado federal Leandro Vilela, que os estudos qualitativos apontam como um adversário à altura do Prof. Alcides, hoje o líder absoluto das pesquisas em Aparecida. A dúvida agora é a reação que Vilmarzim terá ao ser afastado da corrida eleitoral e qual o prejuízo que o seu comportamento trará para a campanha da base governista no 2º maior colégio de votos do Estado.

7 de junho de 2024

Por que o Prof. Alcides tem trunfos de sobra para vencer em Aparecida

Desde quando encerrada a eleição de 2022, quando conquistou mais um mandato de deputado federal com uma votação extraordinária em Aparecida, Prof. Alcides vem liderando sem abalo as pesquisas de intenções de voto para a escolha do próximo prefeito do 2º maior colégio de votos do Estado. O Prof. tem méritos: é reitor de uma das maiores universidades particulares do Estado, mostra uma trajetória de vinculação política com o município e é amigo do peito de um ex-presidente de peso como Jair Bolsonaro. Seus adversários esperam erros, mas ele, até agora, não errou. Ao contrário, os antagonistas é que se encontram mergulhados em uma situação de caos e zigue-zague quanto a escolher quem o enfrentará. Entendam aqui, leitoras e leitores, por que Alcides é o favorito para vencer o pleito municipal deste ano em Aparecida.

7 de junho de 2024

Enquanto Lula segue longe de Goiás, Bolsonaro tem agenda em 6 cidades

O ex-presidente Jair Bolsonaro acaba de confirmar uma agenda para marcar presença na campanha dos candidatos a prefeito do PL em Goiânia, Anápolis, Aparecida, Rio Verde, Catalão e Jataí. Em contrapartida, Lula já passou de 15 anos sem colocar os pés em Goiás. No atual mandato presidencial, cancelou três ou quatro viagens ao Estado, sem deixar claros os motivos. Dizem que o petista tem ojeriza pelas goianas e pelos goianos, que nunca deram a ele maioria de votos nas suas sucessivas eleições (a exceção que confirma a regra é 2002). Enquanto Lula não vem, Bolsonaro segue íntimo de um eleitorado com o qual se identifica no conservadorismo, a partir da base da econômica sustentada pelo agronegócio.

6 de junho de 2024

Vilmarzim fez a roda da História girar para trás e virou “defunto” político

Vilmar Mariano está prestes a ser afastado da corrida pela sua própria sucessão em Aparecida, aguardando apenas o desfecho da “cirurgia” que o substituirá pelo ex-deputado federal Leandro Vilela. Não adianta o prefeito reclamar do seu antecessor Gustavo Mendanha e se declarar vítima de uma conspiração protagonizada também pelo governador Ronaldo Caiado e o vice Daniel Vilela. Nada disso. A ruína do Mariano foi gerada pela própria História, com os seus grandes movimentos sociais, políticos e econômicos, ao rejeitar um prefeito abaixo das expectativas correspondente a Aparecida – uma das 20 cidades brasileiras que mais cresceram nos últimos 10 anos. É isso que explica a derrocada de Vilmarzim.

6 de junho de 2024

Sob impulso de Caiado, Mabel dá sinais de viabilidade

Saiu a primeira pesquisa, publicada pelo Jornal Opção, mostrando que o candidato da base aliada do Palácio das Esmeraldas em Goiânia Sandro Mabel já adquiriu viabilidade, aproximando-se dos 10% das intenções e voto e aparecendo com a metade dos percentuais de Adriana Accorsi, Vanderlan Cardoso e Gustavo Gayer – esses empatados tecnicamente em 1º lugar, na faixa dos 20%. Significa que a influência do governador Ronaldo Caiado entre o eleitorado da capital, baseada nos seus 86% de aprovação, começou a fazer efeito, tornando Mabel um nome viável para vencer em outubro próximo. Caiado, portanto,é o trunfo mais precioso da campanha do “rosquinha” (como ele mesmo contou, sem constrangimentos, que o ex-presidente Jair Bolsonaro o chama).

5 de junho de 2024

Nova pesquisa atesta a vocação bolsonarista de Goiânia

Saiu uma nova pesquisa confirmando Goiânia como a capital mais bolsonarista do país: segundo o Instituto Futura Inteligência em parceria com a Apex Partners, tidos no mercado político como credenciados, dentre oito grandes grandes cidades brasileiras Goiânia é a mais inclinada a votar em um candidato indicado pelo ex-presidente, enquanto apenas 13,4% optariam pelo escolhido de Lula. É essa realidade eleitoral que justifica a ascensão do deputado federal Gustavo Gayer (PL), mesmo sem jamais ter se declarado interessado para valer em conquistar o comando do Paço Municipal.

5 de junho de 2024

Candidatura presidencial de Caiado vive “boom” de crescimento

O momento da política nacional parece ser amplamente favorável para o projeto presidencial do governador Ronaldo Caiado, hoje incluído em todas as matérias jornalísticas e análises da classe política sobre a sucessão de Lula. Ao ser exaltado na Marcha para Jesus, em São Paulo, a 30 de maio, como” uma liderança por cujas mãos passará o futuro do país” (na fala do presidente nacional do Republicanos, Marcos Pereira), Caiado entrou em uma fase virtuosa e só tem recebido notícias favoráveis à sua candidatura, inclusive as de uma mudança do ex-presidente Jair Bolsonaro – que passou a enxergar o governador goiano como uma alternativa para o seu apoio em 2026, em não sendo ele mesmo o candidato.

3 de junho de 2024

Às vésperas da “cirurgia” para remover sua candidatura, reação de Vilmarzim é incógnita

Aproximam-se os meados de junho, data estipulada para que o prefeito de Aparecida Vilmar Mariano (UNIÃO BRASIL) faça a demonstração de que a sua reeleição é viável, ou seja: apresentar pesquisas mostrando que conseguiu reduzir a abissal diferença que o separa do adversário Prof. Alcides, hoje na faixa dos 30 pontos. A única dúvida que persiste é a respeito da reação da Vilmarzim ao ser extirpado da corrida eleitoral: aceitará a sua substituição pelo ex-deputado federal Leandro Vilela ou partirá para retaliações, tipo cruzar os braços ou até em um extremo apoiar o Prof. Alcides? Ninguém sabe. O que parece certo, por ora, é que o prefeito não tem condições de representar com competitividade a base governista em Aparecida.

3 de junho de 2024

Indulgência do PT com a criminalidade é desafio para Adriana Accorsi

O maior adversário da deputada federal petista Adriana Accorsi, na eleição municipal deste ano em Goiânia, parece ser… o seu próprio partido. Em um Estado onde a política de segurança pública do governador Ronaldo Caiado foi tão bem-sucedida que transformou Goiás na unidade federativa mais protegida do país, quanto a criminalidade, Adriana acaba de votar na Câmara a favor de um benefício polêmico para presos, qual seja a “saidinha” (ou liberação para que detentos deixem temporariamente a cadeia em datas especiais) – que o Congresso derrubou em definitivo. Ela seguiu a orientação do seu partido, onde vigora a visão do bandido como “vítima” das injustiças sociais, ao contrário do pensamento conservador, tal qual compartilhado com Caiado: segurança pública só se faz com endurecimento do tratamento dedicado a quem infringe a lei penal, fora e dentro dos presídios. Tudo isso conspira contra as chances de Adriana na corrida pelo Paço Municipal.

29 de maio de 2024

Entenda por que Mabel é a última esperança de Vilmarzim

O prefeito de Aparecida Vilmar Mariano (UNIÃO BRASIL) empreendeu uma maratona de shows artísticos com sorteios de prêmios, lançamento de obras e participação incessante em cultos evangélicos, mas não há sinais de que conseguiu diminuir a enorme diferença que o separa do Prof. Alcides nas pesquisas – e, portanto, não tem viabilidade para disputar a reeleição. Hoje, o único trunfo de Vilmarzim é o apoio rasgado que recebe do empresário e candidato da base governista em Goiânia Sandro Mabel, que chega ao extremo de garantir dispor de dados mostrando que, sim, o prefeito reagiu, embora não mostre esses levantamentos para ninguém. Por que Mabel se apaixonou pela candidatura de Vilmarzim a ponto de chegar a condicionar a sua postulação em Goiânia à oficialização do seu aliado em Aparecida? Estaria acontecendo uma mistura de negócios com política?

28 de maio de 2024

Políticos que pensam e agem fora da caixa ganham espaço em Goiás

A maioria esmagadora da classe política em Goiás sempre operou e continua operando dentro dos padrões tradicionais da velha política, baseando sua atuação em condutas convencionais e nos conchavos de bastidores, em vez de se atentar para a necessidade de inovar e para o pensamento e ação fora da caixa. Felizmente, há bons exemplos de renovação, que vêm do governador Ronaldo Caiado e da deputada federal Adriana Accorsi e do deputado federal Gustavo Gayer, diferenças ideológicas à parte. Veja uma análise sobre a urgência de uma reoxigenação da política estadual, para reduzir e até eliminar o papel prejudicial do modelo arcaico de liderança, no limite abrindo novos caminhos para a progressão da sociedade rumo a um novo e mais autêntico patamar de representação popular.

27 de maio de 2024

Prazo avança, Vilmarzim não sai do atoleiro e Prof. Alcides se consolida

Junho está chegando e junto aproxima-se a hora da definição para a candidatura a reeleição do prefeito de Aparecida Vilmar Mariano (UNIÃO BRASIL): em um acordo com o ex -prefeito Gustavo Mendanha e com o vice-governador Daniel Vilela, dois meses atrás, ele aceitou o desafio de reduzir a sua diferença face ao Prof. Alcides, nas pesquisas, em pelo menos 20 a 30 pontos, mostrando-se assim um candidato viável, ou desistir e apoiar o deputado federal Leandro Vilela como representante da base governista no pleito municipal deste ano no 2º maior colégio de eleitoras e eleitores de Goiás. Em duas ou três semanas, as intenções de votos serão apuradas, quando a hora da verdade vai soar para Vilmarzim.

23 de maio de 2024

Reeducação da classe política estadual é maior obra de Caiado

A troca da secretária de Finanças Selene Peres pelo economista Francisco Sérvulo Freire Nogueira consolida o estilo inovador do governador Ronaldo Caiado, que passou uma borracha nos parâmetros da velha política em Goiás e reafirmou a sua imensa autoridade moral, evitando tropeços e turbulências, além de garantir a continuidade administrativa da sua gestão sem qualquer ameaça de desestabilização. Pensando e agindo fora da caixa, Caiado produziu um governo à sua imagem e semelhança, sem influência da velha política e ao mesmo tempo reeducando partidos e lideranças para uma nova realidade bem diferente do que estavam acostumados nos tempos de Iris Rezende, Maguito Vilela e Marconi Perillo.

22 de maio de 2024

Empréstimo do BRICS é lorota: Aparecida não tem aval da STN para se habilitar

O prefeito de Aparecida Vilmar Mariano foi ao programa Politheia, da Fonte TV, e repetiu o anúncio que fez há exatamente um ano: nos próximos 30 dias, receberá os R$ 600 milhões do financiamento prometido pelo banco do BRICS e fará investimentos pesados em obras e serviços públicos. Pura enganação: basta consultar o site da Secretaria do Tesouro Nacional para se verificar que a prefeitura, por faltar com a obrigação de prestar informações sobre a sua situação fiscal, não teve sequer condições de ter a sua nota CAPAG (Capacidade de Pagamento) apurada, o que é requisito indispensável para a contratação de empréstimos internacionais. O prefeito e seu secretário da Fazenda Einstein Paniago desandaram com a gestão financeira e chegaram a um ponto em que estão proibidos de contrair qualquer operação de crédito, dentro e fora do país.