Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

18 maio

Governo Zé Eliton poderia ter comemorado, com méritos, os 49,9% de expectativas de boa gestão, apurados pelo Grupom/DM, mas preferiu distorcer a verdade ao tentar transformar esse índice em aprovação

O governo Zé Eliton recebeu uma boa informação da pesquisa Grupom/Diário da Manhã publicada no início desta semana: um índice de 49,9% de expectativas no sentido de que o novo governador FARÁ uma gestão boa e ótima.

 

Não seria possível esperar número melhor. O dado mostra que Zé Eliton assumiu exibindo doses elevadas de credibilidade, além de se beneficiar de uma boa e ótima aprovação, ainda segundo o Grupom, do recém-encerrado Governo Marconi Perillo. São 43,8% de aprovação (soma dos índices ótimo e bom) – avaliação medida com objetividade pela pesquisa.

 

Em vez de comemorar esse resultado fantástico, o governo preferiu investir na deturpação do resultado da pesquisa e apregoou com força ter recebido uma aprovação de 49,9% – que não corresponde ao que o Grupom escrutinou.

 

Nesta sexta mesmo, está o deputado Thales Barreto a exaltar, no Diário da Manhã, “a aprovação de 49,9% dos goianos ao governo Zé Eliton”.

 

Não, deputado: 49,9% dos goianos, segundo o Grupom, acreditam que Zé Eliton FARÁ um bom e ótimo governo, nada mais. Ao distorcer a pesquisa, o oficialismo conseguiu transformar em fato negativo o que deveria ter sido uma informação alvissareira.