Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

13 set

Alta de Caiado nas pesquisas provoca volta de Marconi e Zé Eliton ao discurso rasteiro de acusações e ataques. É mais um erro que só prejudica os dois: goianos não aprovam campanha de baixarias

Logo após as pesquisas do Serpes, em O Popular, e do Diagnóstico, no Diário da Manhã, revelando que Ronaldo Caiado furou o teto e passou dos 43% (que correspondem a 63% dos votos nominais válidos e portanto garantem vitória folgada no 1º turno), Zé Eliton e Marconi Perillo retomaram o discurso de acusações contra o candidato democrata.

 

É o mesma coisa que eles vinham dizendo antes: Caiado, em seus anos no Congresso Nacional, nunca teria direcionado recursos, programas ou obras para Goiás. Em linguagem agressiva, os dois tucanos parecem ter combinado o uso da mesma frase: “Caiado nunca trouxe um prego para furar uma barra de sabão”.

 

É uma acusação que obviamente não é verdadeira: todo e qualquer parlamentar federal tem direito automático a emendas orçamentárias para beneficiar o seu Estado. Caiado, nas redes sociais e no seu programa de TV, tem mostrado pacientemente obras físicas e levou aos municípios goianos com os recursos a que tinha direito em Brasília. De resto, foi legislador, não executivo. As pessoas compreendem isso com clareza.

 

Mas não é o que importa. Campanha de ataques, em Goiás, geralmente se volta contra quem a faz. Não à toa, Marconi e Zé Eliton são os candidatos majoritários mais rejeitados. Zé não decola nas pesquisas. Marconi vive dias de agrura, com Jorge Kajuru lambendo os seus calcanhares no ranking para o Senado e Vanderlan Cardoso em crescimento contínuo. Ele e Lúcia Vânia estão ameaçados.

 

Até hoje, os ataques de Zé e Marconi a Caiado – que este blog não hesita em classificar como rasteiros e indignos do comportamento que ambos tiveram até hoje – não produziram nenhum efeito. Nem vão. Ou melhor: não produziram efeito contra Caiado, que está blindado pelos seus índices. Quem perde com essa baixaria é quem a promove: Zé e Marconi.