Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

04 out

Salve-se quem puder(21): Armando Vergílio e o filho Lucas livram-se de Zé Eliton, Marconi e Lúcia no seu material de campanha e tentam sobreviver em meio a debacle da base governista

O pai, Armando, é candidato a deputado estadual. O filho, Lucas, tenta a reeleição para a Câmara Federal. Ambos, pelo Solidariedade, partido que integra a coligação liderada pelo PSDB. Os dois, com material gráfico de campanha falando só neles(confira as fotos acima). A família Vergílio está unida na política e na estratégia comum para sobreviver à tempestade que se anuncia para a base governista no próximo domingo, com a derrocada da candidatura de Zé Eliton ao Palácio das Esmeraldas e de Marconi Perillo e Lúcia Vânia ao Senado.

 

Não há referência a Zé, Marconi e Lúcia na campanha dos Vergílio. Seguindo o exemplo da maioria dos candidatos proporcionais, eles trataram de minimizar os desgastes descolando-se da chapa majoritária, que, a esta altura, parece destinada ao malogro nas urnas que se aproximam.

 

Ao se livrar do peso que pode arrastá-los para o fundo, Armando e Lucas só querem sobreviver politicamente. É normal.