Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

09 fev

Politicamente ingênuo e sem experiência parlamentar, deputado Major Vitor Hugo é inviável como líder do governo na Câmara Federal: Bolsonaro não deveria ter convidado e ele, muito menos, aceitado

Tem certas coisas, em política, em que não há margem para improvisações ou invenções. Um bom exemplo é o preenchimento da função de líder de governo no Legislativo, seja federal, estadual ou municipal: o escolhido tem que ter jogo de cintura e principalmente experiência parlamentar, caso contrário…

 

…caso contrário vai dar no que está acontecendo com o deputado Major Vitor Hugo, imprudentemente escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro para a missão de representar os interesses do Palácio do Planalto na Câmara Federal. Quando o capitão anunciou a indicação, a surpresa foi grande. O major é deputado de primeira viagem, eleito praticamente sem fazer campanha nas costas do deputado Delegado Waldir, que mais uma vez obteve votação para fazer a sua própria legenda e a de mais um. Não tem traquejo, capacidade de expressão e sequer é capaz de sustentar uma entrevista mostrando conteúdo. Bolsonaro não deveria tê-lo convidado, acrescentando um risco a mais para os projetos que precisa aprovar, e ele, Vitor Hugo, muito menos aceitado.

 

Claro que não vai dar certo. O caso lembra o episódio bíblico do profeta Daniel atirado à cova dos leões. Mas o iluminado deu um jeitinho e conseguiu escapar. Major Vitor Hugo, coitado, vai ser devorado.