Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

22 fev

Prefeito afastado em razão de denúncias de assédio sexual, Cristovão Tormin é uma figura tenebrosa que precisa ser removida com urgência da política em Goiás

Poucas figuras da política em Goiás são ou foram tão tenebrosas quanto Cristovão Tormin, um ex-vereador e ex-deputado estadual que acabou obtendo aval popular para se transformar em prefeito de Luziânia por dois mandatos, o segundo do qual mediante uma incompreensível decisão da Justiça Eleitoral, que legitimou o registro da sua candidatura mesmo diante de ilegalidades brutais e vitimou o ex-deputado Marcelo Melo, assim privado da chance que sempre perseguiu para administrar a sua cidade e possivelmente o faria sem o vexame protagonizado pelo atual prefeito – ou ex, como no momento, se Deus quiser.

Tormin teve uma passagem apagadíssima pela Assembleia, onde estrelou o baixo clero e só votava mediante compensações fisiológicas e 24 horas por dia de olho em cargos, nada mais. Mesmo assim, iludiu o eleitorado luzianense, ao mesmo tempo em que desenvolvia uma trajetória em que não tinha fidelidade a ninguém e chegava a apoiar três candidatos a governador ao mesmo tempo, como na eleição de 2011, quando serviu a Marconi Perillo, Iris Rezende e Vanderlan Cardoso, conforme o lugar e a ocasião.

Pior que um ser miúdo na política, tornou-se desprezível e próximo de um mostro ao tentar compensar suas limitações pessoais pressionando sexualmente humildes funcionárias da prefeitura, que demoraram, mas finalmente tiveram coragem para denunciá-lo. São mais de 20, número suficiente para atestar a horrenda veracidade dos atos desse ogro. Merece cumprimentos o trabalho do Ministério Público Estadual ao desmascarar essa autêntica farsa da política em Goiás e colocar Cristovão Tormin no rumo do lugar que merece há tempos, ou seja, a cadeia. Ele não é nada mais que um criminoso milagrosamente investido em um cargo público de relevância, o que talvez prove que Pelé, décadas atrás, tinha e continua tendo razão ao dizer que o povo brasileiro não sabe votar – mesmo porque, quando foi eleito prefeito pela população de Luziânia, já era tudo o que é hoje.

Em tempo: tenebrosa, segundo o dicionário, significa o mesmo que pavorosa, sombria, escura, aflita, aterradora, medonha, obscura, tétrica. Como se vê, definições perfeita para esse esse homem que não honra sua cidade, seu Estado e seu país.