Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

13 set

Lúcia Vânia não acompanha Marconi e Zé Eliton na ofensiva verbal contra Caiado. Está certa: isso se volta contra quem o faz e ela, que é colega de Senado do democrata, sabe que ele tem trabalho por Goiás

Lúcia Vânia tem desfiado um discurso diferente daquele assumido por Marconi Perillo e Zé Eliton nesta eleição. Ele fala pouco de passado, procura transmitir ao eleitor uma sensação de confiança em relação ao que pode fazer no Senado e não entra na ofensiva verbal que os tucanos deflagraram contra Ronaldo Caiado.

 

Está certíssima. Olhar para trás não elege ninguém. Iris Rezende que o diga, depois de realizar muito por Goiás em 16 anos de poder, mas perder para o jovem e inexperiente Marconi em 1998. Além disso, Lúcia Vânia é candidata ao Senado – e está correto o caminho que escolheu, que é mostrar o que pode fazer na mais alta Câmara Legislativa do país, caso venha a merecer a preferência do eleitor.

 

Lúcia Vânia não fala mal de Caiado. Ela faz a campanha dela e mantém o tom respeitoso quando, de alguma maneira, menciona a oposição. De resto, não é candidata a governadora e sim a senadora. E mais: conhece o trabalho do democrata em Brasília e não se presta ao papel de espalhar notícias falsas a respeito. Marconi, que também não é candidato a governador e sim a senador, deveria seguir o exemplo – até mesmo para evitar ver a sua rejeição, já monumental, crescer ainda mais. Os goianos não aprovam campanha de ataques rasteiros.