Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

05 jun

Sem motivos para sorrir: Atlas da Violência 2018 mostra que homicídios cresceram sem parar nos últimos governos Marconi, inclusive no período em que Zé Eliton foi secretário de Segurança Pública

Foi divulgado nesta terça um documento da maior importância e seriedade sobre a violência no Brasil – o Atlas da Violência, elaborado pelo Ipea, órgão de credibilidade inquestionável.

 

Os números que o Atlas revela para Goiás são negativos ao extremo. Em especial, nos dois últimos governos Marconi, iniciados em 2011. Nesse ano, foram registradas 37,4 mortes por cada 100 mil habitantes (2.272 homicídios), quantitativo que foi crescendo sem parar até 2016, último ano pesquisado, quando chegou a 45,3 mil mortes por 100 mil habitantes ou 3.036 vidas perdidas por homicídio.

 

Vale ressaltar que 2015 e 2016 transcorreram sob a gestão de Zé Eliton na Secretaria de Segurança, respectivamente com 2.997 mortes e, repetindo, 3.036, números que representam um crescimento de 100% em um período de 10 anos. Esses dados colocam Goiás entre os 8 piores Estados brasileiros em matéria de violência letal.

 

Os tucanos de Goiás fracassaram na segurança pública.