Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

22 ago

Disseram que Caiado iria errar e fazer um discurso duro e até raivoso, mas quem está mostrando descontrole emocional e radicalizando é Marconi, que chegou até a atacar a família do candidato democrata

O que se dizia na base governista, antes do início da campanha, era que Ronaldo Caiado acabaria cometendo erros graves, principalmente o de se esconder atrás de um discurso duro e até raivoso, que, como se sabe, não costuma agradar ao eleitor. Era só esperar, Caiado faria um papelão e, na sequência, cairia nas pesquisas, com a consequente ascensão do insosso Zé Eliton.

 

Mas o que está se vendo agora é outra realidade. Caiado é um candidato de fala mansa, ponderado e equilibrado até nas respostas a ofensas mais graves que vem recebendo. Reage a provocações com tranquilidade  e mostra estar muito bem preparado para os embates naturais da atual temporada eleitoral.

 

O desequilíbrio emocional e a radicalização, na campanha, quem está mostrando é o candidato ao Senado Marconi Perillo. Ele começou com uma série de declarações irritadas em que fez ataques à família de Caiado, distorcendo fatos históricos ocorridos há mais de 100 anos em Goiás. E, em linguagem não muito comedida, passou a acusar o candidato democrata de nunca ter trazido sequer “um prego” no curso dos seus seguidos mandatos parlamentares no Congresso Nacional – o que é simplesmente impossível, já que todo e qualquer deputado ou senador, de qualquer partido, tem sempre direito automático a emendas orçamentárias, através da quais Caiado já mandou mais de R$ 100 milhões em recursos para o Estado, segundo mostrou um levantamento preliminar.

 

Nas fotos acima, Marconi soca o ar ao falar da família de Caiado em entrevista a um grupo de emissoras de rádio do interior. Ele é canhoto, como se sabe.