Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

30 ago

Caiado se esforça para mostrar calma e moderação. Zé Eliton acaba obrigado a se concentrar na defesa do governo. E Daniel adota a agressividade para ocupar espaço

Está clara, no debate digital, a estratégia de comportamento de cada um dos três principais candidatos – Ronaldo Caiado, Zé Eliton e Daniel Vilela.

 

Caiado segue o ritmo que adotou nos outros debates realizados até agora: fala em tom suave, esforça-se para se mostrar calmo e moderado e, quando faz acusações, evita ao máximo ser destrutivo ou provocador.

 

No caso de Zé Eliton, ele não tem opção e é obrigado a fazer a defesa do governo, que está sendo obviamente atacado por todos os quatro candidatos restantes. A maior parte do tempo das falas do candidato tucano é focada na enumeração de programas e obras realizadas nos últimos 20 anos.

 

Já Daniel Vilela, no debate digital, busca criar uma marca própria e chamar atenção, exibindo-se bem mais agressivo que nos eventos anteriores. Ele faz críticas duríssimas, usando palavreado belicoso e de certa forma às vezes até desrespeitoso com os adversários.