Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

09 set

Destino de Daniel Vilela está selado, indica a pesquisa Serpes/O Popular: ao cair um pouco, ele vai ter que lutar para manter o seu patamar de 10% e sair da eleição como um bom nome para o futuro

A pesquisa Serpes/O Popular mostrou que o candidato a governador pelo MDB Daniel Vilela não tem chances de provocar nenhuma surpresa na presente eleição.

 

Espremido entre a liderança sólida de Ronaldo Caiado e a máquina governista que se esfalfa para manter Zé Eliton em 2º lugar, Daniel caiu de 9,2% na pesquisa passada para 8,6% na deste domingo.

 

Se tiver juízo, o emedebista ajustará a sua campanha, diminuirá a intensidade do discurso agressivo contra os adversários e se habilitará a sair da disputa em um honroso 3º lugar, quem sabe até 2º, como um nome limpo e destinado a voos futuros, tanto às prefeituras de Goiânia ou Aparecida quanto ao próprio governo de Goiás. Para isso, é essencial que fale mais baixo, abandone a linha demagógica que está sendo exibida nos seus programas de TV (são visitas caricatas as visitas a famílias necessitadas), abandone de propostas antiquadas como a volta da distribuição de pão e leite para quem precisa e, finalmente, reduza o tom das críticas aos concorrentes.

 

Para o eleitor, Daniel é simpático, bonito e inteligente. Mas… é verde demais e anda muito sozinho, na companhia apenas do pai Maguito Vilela. É a realidade e não adianta espernear. Melhor garantir a sobrevivência como um bom nome para amanhã.