Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

29 set

Jayme Rincón está na cadeia, sobram provas sobre as propinas que ele recebeu, mas mesmo assim o governador Zé Eliton não o demitiu e ele continua como presidente licenciado da Agetop

O governador Zé Eliton tem se mostrado cauteloso quanto ao seu auxiliar Jayme Rincón, presidente licenciado da Agetop, que continua no cargo mesmo estando preso pela Polícia Federal no curso da Operação Cash Delivery, que apura propinas repassadas pela Odebrecht ao ex-governador Marconi Perillo.

 

Um governo sério e preocupado com o combate à corrupção hesitaria para colocar para fora dos seus quadro um dos mais importantes membros da sua equipe, que dirige o órgão que mais gasta dinheiro público, que é a Agetop?

 

Claro que não. Mas por que Zé Eliton não demitiu imediatamente Jayme Rincón, ao tomar conhecimento da sua prisão pela Polícia Federal? E por que não o fez neste sábado, quando o jornal O Popular publicou uma edição com páginas e páginas de provas contra o presidente licenciado da Agetop? E por que, com tudo isso, o governo de Goiás, que é financiado pelo dinheiro dos impostos dos cidadãos, tem que “presumir a inocência” de Rincón?

 

Ou será que Zé Eliton vai permitir que, vencida a licença de Rincón, ele faça a gestão a Agetop do cárcere da Polícia Federal? Do que Zé tem medo?