Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

19 out

Começou a lavação de roupa suja: pelo naufrágio total nas urnas, Célio Silveira, um dos poucos sobreviventes, culpa a cúpula tucana, mas em especial Raquel Teixeira, Marconi e Vecci

Mais de 10 dias depois da eleição, os tucanos de Goiás começam a cair em em si e finalmente sinalizam vontade e coragem para lavar a roupa suja. O primeiro a abrir o bico foi o deputado federal Célio Silveira, objetivo ao enumerar uma lista de erros cometidos, segundo ele, pela cúpula do PSDB na montagem da chapa e na estratégia de campanha.

 

Célio Silveira desabafou em entrevista à rádio Sagres, na manhã desta sexta. Confira as principais declarações:

 

“A cúpula do PSDB errou na formação da chapa para a disputa eleitoral de 2018. Errou ao deixar o PP se aliar ao MDB; errou ao perder os deputados João Campos (PRB), que se coligou como MDB; errou ao perder a deputada Flávia Moraes (PDT) para a chapa de Ronaldo Caiado (DEM) e errou ainda em indicar a ex-secretária Raquel Teixeira para ser candidata a vice-governador na chapa de José Éliton”.

 

““Raquel foi uma grande secretária, é uma excelente pessoa. Mas ele não somou nada para a chapa. Ela não trouxe prefeitos, não agregou uma região. O erro foi da cúpula. Os deputados federais e estaduais nunca foram chamados para conversar sobre a formação da chapa. Política a gente faz somando, e não diminuindo aliados”.

 

“O marconismo levou um cartão vermelho na eleição e isso já era perceptível entre quarta-feira (3) até o domingo (7) da eleição. As pessoas recusavam a receber o santinho de nossa chapa majoritária”

 

“O diretório estadual não ajudou os deputados. Vecci foi um péssimo presidente, indicado por Marconi Perillo para presidir o partido. Não foi uma escolha negociada com os tucanos, mas imposta. Foi um erro de Marconi. Acho que Vecci deve renunciar”.