Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

22 out

Em vez de reconhecer os erros e fazer a autocrítica que está devendo aos goianos, Marconi insiste no marketing da soberba e manda recado pelo Instagram: se pudesse voltar atrás, faria tudo do mesmo jeito

Embora desaparecido desde que foi libertado do cárcere da Polícia Federal por um habeas-corpus concedido pelos tribunais de Brasília, o ex-governador e candidato derrotado ao Senado Marconi Perillo não desativou a sua estrutura de marketing e, mesmo sem muita intensidade, continua mandando recados pelas redes sociais.

 

Marconi tem se apresentado basicamente como alguém que foi injustiçado, duplamente: pelas autoridades que o prenderam e pelo eleitor goiano, que rejeitou o seu nome nas urnas, empurrando-o para o 5º lugar na disputa pelas duas vagas senatoriais, com detalhes acachapantes, como por exemplo o caso de Anápoilis, seu tradicional reduto eleitoral, onde ficou em 6º lugar, atrás da professora Geli, do PT.

 

Neste início de semana, uma foto de alguém vestindo uma camiseta onde está escrito “Faríamos Tudo de Novo Marconi” sobre um grande número 45 apareceu, desafiadora, em um dos perfis de propaganda do ex-governador tucano no Instagram.  Em sua falta de juízo, o marketing marconista perdeu o bom senso: “faríamos” tudo de novo, até as coisas erradas e as muito erradas? Pelo jeito a resposta é sim.