Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

11 set

Desconhecimento do seu nome, juventude em excesso e solidão política amarram Daniel Vilela nas pesquisas e não o deixam subir, mas ele sairá da eleição como ótima opção para voos futuros

O candidato do MDB a governador Daniel Vilela ainda é muito desconhecido dos goianos e não terá tempo, até a data das urnas, para reverter essa situação. Soma-se a isso a sua juventude, digamos assim, excessiva, que o faz ser visto como ainda “verde” para governar Goiás (principalmente em contraponto com a experiência do líder das pesquisas, Ronaldo Caiado). Por último, vem o seu isolamento político: Daniel é solitário demais, só tem a seu lado o pai Maguito Vilela – o que é positivo – e não conseguiu nem mostrar ainda que conta com um líder experiente como Iris Rezende apoiando a sua postulação.

 

Tudo isso tem segurando o emedebista nas pesquisas, em que, apesar de todos esses percalços, ainda consegue a façanha de empatar tecnicamente com o governador Zé Eliton no 2º lugar, mesmo não contando com uma fração dos recursos à disposição do candidato tucano.

 

Daniel Vilela, no entanto, tem garantida uma vitória nesta eleição: sairá muito bem conhecido em todo o Estado e politicamente cacifado, o que o transformará em ótima e consistente opção para voos futuros, seja para as prefeituras de Goiânia ou Aparecida seja para o próprio governo do Estado seja para o que quiser. Será um capital e tanto.