Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

18 set

Sem querer fazer terrorismo, mas fazendo: superintendente da Seduce exige envolvimento dos funcionários na campanha de Zé Eliton e ameaça com a demissão de todos se a oposição ganhar

Com a campanha se aproximando da reta final, os gestos de desespero vão aparecendo.

 

Veja acima, leitor, mensagem da superintendente de Integração Tecnológica da Informação, Rosana Cerosino, postada em um grupo de funcionários da Secretaria Estadual da Educação no WhatsApp.

 

Rosana Cerosino não tem meias palavras. Ela faz terrorismo do pior tipo (ironicamente, diz que não quer fazer), pressionando os servidores a se engajar na campanha de Zé Eliton, sob pena de, com a vitória da oposição, perda dos cargos e, pior ainda, perda também de vantagens em uma empresa que terceiriza funções da Seduce, a Indra.

 

O grupo tem mais de 200 funcionários. Como foi questionada sobre o que está fazendo, Rosana Cerosino alegou que está de férias e, acredita, livre para trabalhar na campanha. Informações financeiras do site da Seduce, no entanto, dão conta de que ela recebeu o abono em julho e, portanto, é em julho que estava de férias.

 

Pelo jeito, a “virada” de Zé Eliton é para vir na marra.