Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

28 set

A casa caiu: prisão de Jayme Rincón, coordenador da campanha de Zé Eliton, e buscas da Polícia Federal em endereços de Marconi , a uma semana da data da eleição, liquida a fatura da eleição

A operação Cash Delivery, da Polícia Federal, que saiu a campo na manhã desta sexta-feira para prender o presidente da Agetop Jayme Rincón, coordenador-geral da campanha de Zé Eliton, e está promovendo ações de busca e apreensão em endereços do ex-governador e candidato ao Senado Marconi Perillo, deve ter impacto suficiente para liquidar a eleição a favor de Ronaldo Caiado, Jorge Kajuru e Vanderlan Cardoso.

 

A investigação apura um caso antigo: o pagamento de propinas pela Odebrecht, relatado por executivos da empresa que fizeram delação premiada. Os valores ascenderiam a R$ 12 milhões de reais e teriam chegado às mãos de Marconi através de Jayme Rincón.

 

No Paraná, uma operação semelhante derrubou o ex-governador tucano de lá Beto Richa, também candidato ao Senado, para a metade da sua pontuação nas pesquisas. Mais grave, o episódio paranaense envolveu a prisão de Richa, solto graças a um habeas-corpus do ministro Gilmar Mendes, do STF.