Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

28 set

Jayme Rincón administrou 21 recebimentos de dinheiro vivo, a maioria em seu apartamento, mas também em hotéis, em São Paulo, totalizando R$ 12 milhões de reais, na campanha de 2014

As investigações da Polícia Federal, com base delações de ex-executivos da Odebrecht e doleiros, documentaram 21 entregas de dinheiro vivo ao presidente da Agetop Jayme Rincón, em São Paulo, no seu apartamento nos Jardins e em hotéis.

 

As remessas foram feitas pelo departamento de propinas da Odebrecht e aconteceram durante a campanha eleitoral de 2014. Rincón era o tesoureiro da campanha de Marconi Perillo ao governo do Estado.