Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

29 dez

Ao discursar na posse, na terça, 1º de janeiro, Caiado terá mais uma chance para detalhar o que vai fazer no governo – e espera-se que ele não apenas repita as generalidades que falou na campanha

Ninguém sabe até hoje o que o governador eleito Ronaldo Caiado vai fazer na sua gestão, quais serão as medidas iniciais, que rumos tomará na Educação, na Saúde e na Segurança – que são os principais campos de atuação do governo do Estado, mas evidentemente não os únicos.

 

Caiado, depois de ganhar nas urnas prometendo mudança radical, mas genérica, continuou repetindo essa parlenga e nunca avançou grande coisa sobre o que vai ser a sua administração, trafegando assim em sentido contrário a todos os demais governadores, que mal passado o pleito já saíram adiantando as suas definições políticas e administrativas.

 

O novo governador de Goiás terá agora mais uma chance, embora tardia, para deixar claros seus primeiros passos: na manhã do dia 1º de janeiro, terça-feira próxima, ele será o orador número um da sua solenidade de posse, no plenário da Assembleia Legislativa. Pela lógica e pela tradição, esse discurso deveria ser aproveitado para que Caiado apresente a sua concepção sobre o que será a sua gestão – a menos que ele, mais uma vez, decida desperdiçar a oportunidade com mais abstrações e sonegar aos goianos a satisfação das suas expectativas sobre o que vem por aí para o Estado, que, para o autor deste blog, é um direito inerente à cidadania de cada um.

 

Por enquanto, não há o que fazer a não ser aguardar.