Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

12 jan

Vapt Vupt, criado por Marconi e que tem 100% de eficácia na prestação de serviços públicos, teve 95% dos funcionários demitidos por Caiado – e o pior é que continuam trabalhando sem vínculo com o Estado

Através de um decreto genérico, repetição do que todos os governos entrantes fizeram nas últimas décadas, o governador Ronaldo Caiado demitiu 95% dos funcionários do Vapt Vupt, criado pelo ex-governador Marconi Perillo e que até os adversários mais radicais admitem que atua com 100% de eficácia na prestação de serviços públicos para a população.

 

Só mantiveram vínculo com o Estado os 5% de servidores do Vapt Vupt que são efetivos e que estão lá lotados através de mecanismos de disposição burocrática. O resto foi exonerado. Mas, dirão a leitora e o leitor, o Vapt Vupt continua funcionando normalmente. Como assim, a maioria esmagadora dos seus funcionários foi demitida?

 

É que, em mais uma demonstração de lentidão e de falta de conhecimento administrativo, o governo Caiado não ordenou o desligamento real desse pessoal. Foram demitidos, mas a orientação recebida é que continuem a trabalhar – um improviso comprometedor, que pode até ter consequências jurídicas, já que também envolve outras esferas de governo, como, por exemplo, a Polícia Federal, que emite passaportes para os cidadãos goianos através das agências do Vapt Vupt. Quem comparecer a uma agência atrás de qualquer serviço, no momento, será atendido por quem está lá sem ligação com o Estado

 

É uma ilegalidade, portanto, o que está ocorrendo. Servidores sem vínculo com o Estado tocam as agências do Vapt Vupt e ainda vivem um drama pessoal, sem saber se serão reconduzidos ou não. No mínimo, a se acreditar na sua boa fé, Caiado foi mal assessorado ao assinar o decreto de exoneração coletiva que atingiu todos os comissionados do Estado.