Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

26 jan

Em 10 dias, Goiás registra 9 assassinatos bárbaros. Culpa do novo governo? Não, mas é a prova de que o discurso triunfalista de paz e tranquilidade para as famílias goianas é apenas… um discurso

Não há nada para a colocar a cabeça de um governante no lugar certo, em especial quando dá os passos iniciais da sua gestão, quanto o dia a dia da vida cotidiana – de uma semana e meia para cá, Goiás registrou 9 assassinatos extremamente bárbaros: 3 decapitações, morte e vilipêndio do cadáver de uma motorista de aplicativo, 3 jovens chacinados e pai e filho fulminados a tiros em uma fazenda de Cachoeira de Goiás.

 

São fatos tristes em meio às primeiras semanas do novo governo do Estado, liderado por Ronaldo Caiado, que continua desfiando o seu discurso triunfalista de que agora as famílias goianas vão ganhar a merecida paz e tranquilidade. Como se vê, não vão, a menos que se desliguem do noticiário e das redes sociais e mergulhem em um mundo de fantasia. A escalada da criminalidade vai continuar e Goiás seguirá como um dos Estados mais violentos do país (entre os 10 primeiros), mesmo porque os fatores objetivos e subjetivos que estão na sua origem permanecerão intactos, com alguma variação – pequena – para pior ou para melhor, caso não haja um posicionamento inovador e diferenciado da gestão que acaba de se instalar.

 

O governo Caiado tem responsabilidade pela mensagem equivocada que dissemina, gerando falsas expectativas. Obviamente não é culpado por crimes tenebrosos como esses, porém, precisa reagir. O problema, como sempre, é que há muita conversa e pouca ação. Caiado assumiu, trouxe de fora do Estado um secretário de Segurança aparentemente experiente(Rodnei Miranda, foto acima) e ambos assistem ao tempo passar sem pressa de informar a sociedade sobre o que pretendem fazer para garantir a prometida paz e tranquilidade.