Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

27 ago

Pesquisa Directa, que apontou Zé Eliton com 25,4%, chegou a ser comemorada pelos tucanos, mas perdeu efeito com a publicação do Serpes, em O Popular, recolocando o candidato no atoleiro dos 10,1%

Não gerou o pretendido efeito a manobra tentada pelo governismo com a publicação da pesquisa do instituto Directa, dando Zé Eliton com espetaculares 25,4% de intenções de votos. No mesmo dia, saiu a pesquisa do instituto Serpes, de credibilidade muito superior, mostrando que o candidato tucano continua patinando no mesmo índice, com diferenças mínimas em relação a pesquisas passadas, ou seja, 10,1%.

 

Em um grande esforço dos comunicólogos da campanha de Zé Eliton, a pesquisa Directa foi encampada por três veículos de comunicação: a rádio Jovem Pan, cujo proprietário é um dos marqueteiros privativos do governador, o publicitário Marcus Vinicius; o jornal diário O Hoje; e até o Diário da Manhã.

 

Lideranças da base governista chegaram a comemorar a pesquisa nas redes sociais como sinal, enfim, de reação de Zé Eliton. Marconi Perillo, Raquel Teixeira, a ex-primeira-dama Valéria e mais alguns se esforçaram para mostrar animação e reproduziram a matéria do jornal O Hoje. O próprio candidato, geralmente comedido quando se trata desse assunto, também fez o mesmo e extrapolou, afirmando sem nenhuma modéstia no seu perfil no Instagram(imagem acima) que o resultado apurado pelo Directa significaria que “Goiás reconhece que o melhor caminho e o da garantia das conquistas” – frase que quer dizer, em uma só palavra, continuidade.

 

Mas o que estragou a festa foi mesmo a publicação, praticamente simutânea, da pesquisa do Serpes, acompanhada pela manchete de 1º página de O Popular: “Caiado mantém frente após 10 dias de campanha”. Com Zé Eliton recolocado no atoleiro dos 10,1%, a tucanada se calou.