Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

15 set

Aeroporto de cargas de Anápolis, que entrou no debate da campanha em Goiás, está longe de ficar pronto: até agora, só a pista principal, de 3 mil metros, está concluída. E foi Alcides que fez

Como repórter que se interessa por obras públicas, acompanho há anos algumas delas. Vamos ao aeroporto de cargas de Anápolis.

 

Uma obra importante. Mérito de Marconi Perillo tê-la iniciado. O que está pronto, ali, é apenas a pista principal, de 3 mil metros. Foi um trabalho árduo, porque parte da pista entra numa pirambeira que deu muito trabalho para aterrar. O pavimento tem que ter espessura para suportar até um Antonov. Foi preciso montar uma usina de asfalto no local para tocar a obra. A pista principal foi concluída no final do governo de Alcides Rodrigues.

 

Falta concluir o pátio de manobras, que também exige pavimentação de grosso calibre. Falta fazer os armazéns de carga, os hangares, os edifícios de administração e coisas que tais. Será preciso uma torre de controle do tráfego aéreo, linkada ao Cindacta, localizado na base aérea de Anápolis, cujos radares farão o monitoramento dos pousos e decolagens. Enfim, falta muita coisa, sendo que, no último ano, quase nada foi feito.

 

A pista, embora importante, é apenas uma parte da obra. Cadê o resto?(Helvécio Cardoso, jornalista)