Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

16 set

Atraso no pagamento da Bolsa Universitária mostra descompasso entre o discurso das campanhas de Zé Eliton e Marconi e a realidade financeira do Estado – que está sendo escondida

O jornal O Popular deste domingo, 16, traz uma reportagem sobre as dificuldades que o atraso no pagamento da Bolsa Universitária estão trazendo para os milhares de estudantes universitários que recebem o benefício.

 

A Bolsa é um dos cartões de visita do Tempo Novo e é citada em quase todos os programas de televisão das campanhas de Zé Eliton e Marconi Perillo. Também está presente diariamente nos discursos, entrevistas e em tudo o que os dois falam em eventos eleitorais.

 

Se é tão importante assim, o atraso confirma que o Estado vive embaraços financeiros que estão se agravando, porém seguem escondidos pelos donos do poder. Sabe-se que vem ocorrendo uma suspensão de todos os pagamentos que podem ser postergados: as parcelas dos empréstimos consignados não estão sendo repassadas aos bancos e o Ipasgo restringiu ao máximo as suas despesas, impondo cotas para o atendimento dos segurados em hospitais, laboratórios e consultórios médicos.

 

Consta também que a parcela da dívida estadual com o governo federal, referente a agosto, no valor de R$ 200 milhões, não foi quitada.

 

O objetivo de tudo isso é mais do que evidente: resguardar recursos para manter a folha de pagamento em dia, pelo menos até a data da eleição, para evitar mais prejuízos para as candidaturas de Zé e Marconi.