Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

16 set

Virada anunciada por Zé Eliton e Marconi nas redes sociais é “fake news” que se baseia em pesquisa desalinhada dos demais institutos e contratada por marqueteiro da campanha tucana

A “virada” anunciada pela campanha tucana, ou seja, o crescimento espetacular de Zé Eliton na pesquisa Directa, em que chega a 26,2% das intenções de votos, protagonizando o maior fenômeno eleitoral de todos os tempos não só em Goiás, como também no Brasil, não tem nenhuma fundamentação na realidade.

 

Para ter credibilidade, uma pesquisa precisa se alinhar às demais, desde que feitas por institutos de credibilidade, dentro da margem de erro. Os levantamentos do Serpes, Grupom, Ibope, Diagnóstico, Fortiori e Signates têm vindo sempre com números assemelhados, claro que dentro da margem de erro de 3,2 a 3,5 pontos para mais ou para menos, adotada por cada um. A pesquisa do Directa contraria essa condição indispensável para ser considerada como digna de credibilidade ao trazer para Zé Eliton uma pontuação totalmente fora da curva e por tudo inexplicável.

 

Para complicar, ela foi contratada pelo jornal O Hoje e pela rádio Jovem Pan, esta de propriedade do publicitário Marcus Vinicius Queiroz, um dos marqueteiros da campanha de Zé Eliton. Na semana que se inicia, na terça e na quarta, os institutos Grupom e Diagnóstico publicarão novas rodadas das suas pesquisas no Diário da Manhã. Se os números do Directa não forem confirmados, dentro da margem de erro, a “virada” comemorada pela campanha tucana não terá passado de “fake news”.