Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

19 set

Resposta de Marconi a Kajuru veio errada: rasteira, na base da baixaria, confirmou que o tucano não é mais um político inteligente e propositivo. E mostrou que está apavorado com a possibilidade de derrota

O ex-governador e candidato ao Senado Marconi Perillo finalmente desceu do pedestal e resolveu confrontar seu principal adversário nesta eleição, Jorge Kajuru.

 

Mas Marconi se saiu muito mal. Em uma entrevista a uma emissora de rádio, ele recorreu a baixarias para fazer acusações contra Kajuru, abrindo mão de responder em alto nível, dentro do debate de ideias que sempre caracterizou a sua atuação política.

 

O velho tucano não é mais quem era. Chamou Kajuru de “ladrão, canalha, malandro, doido, mau caráter” e outros adjetivos incompatíveis com o que se espera de um dos mais antigos e consagrados líderes políticos do Estado. Mostrou que, na verdade, está apavorado com a ascendência do vereador-radialista nas pesquisas, hoje dividindo o 1º lugar na corrida pelas duas vagas ao Senado, em tendência de alta, com todas as chances de vencer.

 

Abandonar o salto alto e enfrentar Kajuru foi uma decisão correta de Marconi para dar foco à sua campanha. Não adiantava mais se empenhar em combater Ronaldo Caiado, que não é candidato ao senado e sim a governador. Mas os termos que o ex-governador escolheu só vão piorar a sua situação porque, em Goiás, o eleitor não aprova quem faz campanha de ataques rasos. A rejeição de Marconi já é alta, beira a metade dos goianos e pode subir ainda mais com as opções erradas que está fazendo.