Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

28 set

Doleiro que virou delator revelou à Polícia Federal os detalhes dos pagamentos de propinas a Marconi, listado na sua planilha sob os codinomes Master, Padeiro, Calado ou Patati

O doleiro paulista Álvaro Novis, em acordo de delação premiada, entregou gravações telefônicas e documentos que atestam 21 repasses de dinheiro vivo destinado ao ex-governador Marconi Perillo, entre junho e outubro de 2014.

 

Na planilha do doleiro, Marconi figurava sob quatro codinomes: Master, Padeiro, Calado ou Patati.

 

Segundo o Ministério Público Federal, a delação de Álvaro Novis foi confirmada pelas “provas de corroboração obtidas pela Polícia Federal, submetidas a perícia, gravações foram transcritas e computador contendo os diálogos de skype apreendido. Esse material foi analisado e cruzado com os extratos das ligações telefônicas dos investigados nas datas das entregas da propina, com suas respectivas localizações à época indicadas pelas antenas de celular e com passagens aéreas usadas pelos envolvidos”.

 

Todo o dinheiro foi entregue ao presidente da Agetop Jayme Rincón ou a seus representantes, inclusive um filho (Rodrigo), no apartamento de Jayme em São Paulo.