Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

29 set

O Popular publica edição histórica e arrasadora sobre a Operação Cash Delivery e permite uma conclusão sem nenhuma dúvida: sobram provas da entrega das propinas da Odebrecht a Jayme Rincón

A edição de O Popular deste sábado, a sete dias da eleição, é histórica e arrasadora, ao trazer uma série de reportagens que deixam bem clara a fartura de provas sobre o episódio que levou à deflagração, pela Polícia Federal, da Operação Cash Delivery: o repasse de propinas, em valor superior a R$ 10 milhões, ao presidente licenciado da Agetop e coordenador-geral da campanha de Zé Eliton, Jayme Rincón.

 

Se esse dinheiro chegou a Marconi Perillo, são outros quinhentos: O Popular traz as declarações dos delatores, entre eles ex-executivos da Odebrecht e também doleiros, que indicam que o destinatário dos recursos seria o ex-governador tucano, mas, ao contrário da ampla documentação indicando que as malas e mochilas de papel moeda foram entregues a Jayme Rincón e aos seus prepostos (inclusive um filho), não há um rastreamento até as mãos de Marconi.