Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

07 out

Derrota de Marconi nas urnas ainda não é o final: tem a Operação Cash Delivery e um risco muito grande de cadeia a qualquer momento a partir da próxima quarta-feira

A derrota nas urnas não representa um final de história para o ex-governador e candidato ao Senado Marconi Perillo. A partir da próxima quarta-feira, quando vence o prazo durante o qual candidatos não podem ser presos, ele passa a viver um novo capítulo, esse, sim, o último, com o risco de cadeia a qualquer momento a que estará submetido como um dos alvos da Operação Cash Delivery – para o Ministério Público Federal e para a Polícia Federal, Marconi é o líder de uma organização criminosa especializada em arrecadar propinas em troca de favores governamentais, que ainda está em plena atuação, como provam os mais de R$ 1 milhão de reais em dinheiro vivo apreendidos com Jayme Rincón e seu motorista.

 

O tucano chefe do maior agrupamento político já reunido em Goiás, que se esfacelará até o início da noite deste domingo, quando as urnas cantarão os resultados negativos previstos para Marconi e o PSDB, tem dias de fogo pela frente. Para ele, o fundo do poço ainda não está à vista e dependerá das investigações da Cash Delivery e do rigor implacável dos seus condutores, rigor do qual ninguém duvida. O pior, portanto, ainda está por vir.