Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

09 out

Mitos que a eleição derrubou(2): maior tempo no horário eleitoral deveria conferir vantagem significativa, mas não foi o que houve em Goiás, já que Zé Eliton, o número um no rádio e TV, ficou em 3º lugar

Um dos maiores mitos das eleições brasileiras caiu por terra, mais uma vez, em Goiás: a crença de que o maior tempo no rádio e na televisão confere automaticamente vantagem significativa a um candidato majoritário.

 

Zé Eliton, representante da coligação do PSDB, comemorou desde o início da campanha os 3:27 que teria no rádio e na TV, quase o triplo do tempo de Ronaldo Caiado, que ficou com apenas 1:19, enquanto Daniel Vilela também conseguiu um bom naco, com 2:18.  Caiado saiu atrás até da petista Kátia Maria, que levou 1:26.

 

Pois bem: o candidato democrata venceu a eleição no 1º turno, com praticamente 60% dos votos. Zé Eliton, o suposto privilegiado em matéria de programas eleitorais, amargou um humilhante 3º lugar. Daniel, o 2º lugar. Kátia Maria, como se sabe, terminou em 4º.

 

Tempo de rádio e televisão, para quem não tem nada a dizer, não serve para muita coisa.