Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

13 out

Maioria pró-Caiado na Assembleia Legislativa está sendo formada com rapidez muito maior que a prevista e ele deve passar de 30 deputados na sua base de apoio, podendo chegar a 35

Antes mesmo de se lançar às articulações para conquistar maioria entre os deputados estaduais eleitos, o novo governador Ronaldo Caiado já está sendo brindado com a adesão espontânea de parlamentares de partidos que teoricamente deveriam perfilar na oposição.

 

A Assembleia tem 41 deputados. Para ter maioria e governabilidade, Caiado precisa, portanto de 21. Deverá passar de 30 e chegar, quem sabe, a até 35.

 

Dois exemplos são fortes. Um dos partidos pretensamente oposicionistas em relação ao novo governo seria o MDB. Mas Bruno Peixoto, um dos seus deputados eleitos, já firmou posição a favor de Caiado. Os outros dois – Paulo Cezar Martins e Humberto Aidar – estão avaliando, o que, na linguagem da política, significa que também se tornarão frequentadores do Palácio das Esmeraldas.

 

O outro partido que obrigatoriamente faria oposição a Caiado seria o PSDB. Obrigatoriamente, vírgula. Uma das suas principais estrelas, Talles Barreto, já disse que não vê sentido em fazer “oposição por oposição”, declarou ser um admirador do novo governador e acrescentou que o resultado das urnas e a expressiva votação de Caiado indicam o rumo que a população deseja, que é o da mudança. Mais um, portanto, que vai fazer o trajeto da Alameda dos Buritis até a Praça Cívica, mesmo sendo tucano.

 

Ter o apoio da Assembleia nunca é difícil para qualquer governador. Mas, para Caiado, vai ser mais fácil do que ele imaginou.