Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

29 out

Caiado tem acordo praticamente fechado com o governo Zé Eliton e a Assembleia para aplicar um corte de 30% nos incentivos fiscais, ainda neste ano, e turbinar o caixa do novo governo

A primeira medida do governo Ronaldo Caiado será tomada antes mesmo da sua posse e visará a reforçar o caixa da nova gestão: um corte de 30% nos incentivos fiscais atualmente em vigor, que poderá aumentar a arrecadação mensal em até R$ 200 milhões de reais, no mínimo.

 

Caiado, pessoalmente, acertou com o governador Zé Eliton o envio de um projeto de lei à Assembleia Legislativa, ainda neste ano, para dar respaldo jurídico ao corte. Entre os deputados estaduais, articuladores do governador eleito já estão negociando a aprovação da matéria, que seria então devolvida ao Poder Executivo e imediatamente sancionada por Zé Eliton – sob o discurso, é claro, de que não é responsável pelo projeto, mas estaria apenas atendendo a uma orientação da futura gestão, dentro do processo de transição.

 

Tradicionalmente, mexer com a política de incentivos fiscais, em Goiás, é como cutucar um vespeiro com vara curta. A reação dos empresários beneficiados costuma ser violenta. Em pelo menos duas ocasiões, em seus dois últimos governos, Marconi Perillo tentou transformar a ideia em realidade, mas acabou sendo obrigado a recuar, em ambas as ocasiões.

 

A parada agora será com Caiado.