Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

07 nov

Transição é encenação que não vai dar em nada: Caiado pode se preparar, porque o governo que vai receber será de terra arrasada – esse o verdadeiro “legado” do Tempo Novo

Já está patente que o processo de transição entre governo e governo que entra não vai dar em nada, ou seja, Ronaldo Caiado vai assumir em 1º de janeiro sem as informações necessárias e estratégicas para que, desde os seus momentos iniciais no Palácio das Esmeraldas, possa tomar as decisões necessárias para reorientar e colocar nos trilhos a pesada máquina administrativa que vai receber.

 

Na verdade, o governo Zé Eliton, que tem no colo a herança dos descalabros praticados pelo Tempo Novo, principalmente neste ano, na tentativa de criar uma condição favorável para enfrentar as eleições, não tem interesse em colocar a descoberto a real situação do Estado – e por isso a transição que foi oferecida a Caiado nunca passou de uma encenação destinada a ganhar tempo, aproveitando-se da pouca ou nenhuma experiência do governador eleito com gestão pública, já que, até hoje, somente exerceu cargos legislativos.

 

Assim, o governo que assumirá no início do ano vai dar seus primeiros passos no escuro. As informações passadas até agora pela comissão de transição são ridículas, já que são mera cópias impressas de dados que estão rotineiramente pendurados no portal de transparência do governo, aliás um bom portal, porém oferecendo dados insuficientes para nortear soluções mais drásticas e radicais a serem inevitavelmente adotadas por Caiado.