Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

19 dez

Discurso de Caiado na diplomação do TRE frustra as expectativas, repete chavões e lugares comuns, exalta excessivamente a sua família e não dá o rumo que o seu governo terá

O governador eleito Ronaldo Caiado perdeu agora há pouco uma grande oportunidade para enviar uma mensagem afirmativa aos goianos e mostrar que mereceu o crédito que confiança que recebeu das urnas, onde obteve uma votação histórica correspondente a quase 60% do eleitorado e, ainda por cima, sendo definido como vitorioso logo no 1º turno.

 

Caiado, claro, foi o principal orador da solenidade de diplomação dos eleitos promovida pelo Tribunal Regional Eleitoral e teve microfone e tribuna para usar como quisesse, gerando a expectativa de que abordaria os grandes problemas de Goiás e quais as soluções que pretende encaminhar.

 

Mas ele não fez nada disso. Preferiu fazer um discurso convencional, repleto de agradecimentos e referências à sua família, muito mais, aliás, que às forças políticas que o ajudaram a se eleger. Citou mulher, filhos, irmãos, tios e só faltou falar do grande número de cachorros que cria. Repetiu as mesmas colocações que faz desde que iniciou a sua campanha, prometeu genericamente combater o que enxerga como errado, como as desigualdades regionais, e desfiou um rosário de chavões e lugares comuns, a exemplo da promessa de “melhorar a qualidade de vida dos goianos’.

 

Em resumo, deu a impressão de que não sabe o que vai fazer a partir de 1º de janeiro.