Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

18 fev

Falta de consciência de Caiado sobre a sua nova vida como governador e ingenuidade sobre o poder das redes sociais levam a desgastes inúteis que, continuando a se repetir, vão acabar atraindo rejeição

O governador Ronaldo Caiado sempre foi muito cuidadoso com a sua trajetória tanto pública quanto privada, construindo ao longo da sua trajetória uma biografia impecável e sem deslizes que justamente transformou em uma espécie de patrimônio pessoal simplesmente sem preço no Brasil contemporâneo.

 

Mas Caiado se mostra descuidado, às vezes, com esse capital. Quando era um político de oposição, ele encarregava-se pessoalmente das suas redes sociais e assim também os seus familiares – a mulher Gracinha e a filha Anna Vitória, principalmente. Os tempos eram outros e as responsabilidades bem menores. Eleito governador, tudo mudou. As exigências se tornaram maiores. O poder, muitas vezes, é um fardo que oprime seus detentores. Cobra um preço que não há como não pagar. As liberdades a que Caiado e sua parentela se davam ao luxo agora correm o risco de se transformar em armas letais, voltadas para ele mesmo, caso continuem do mesmo jeito nos seus perfis online.

 

É óbvio que o novo governador cultiva a ideia de que tem uma capacidade de convencimento irretorquível e que a sua palavra é definitiva, ainda mais depois da consagração que recebeu na urnas, com votação histórica e vitória no 1º turno. Digamos assim que, com esse trunfo reservado a poucos homens, alguma humildade foi perdida e um pouco de arrogância subiu à cabeça. Caiado ficou à vontade em excesso. Nada condenável, mas totalmente desnecessário. E temerário, a exemplo da recepção – de pequeno porte, mas… – que deu no Palácio das Esmeraldas para as filhas e amigos, que acabou gerando repercussão negativa e forçou a edição de uma nota oficial explicativa sobre um evento que por pouco não ganhou repercussão nacional (mesmo assim, foi noticiado pelo influente site O Antagonista). Pelo sim, pelo não, houve um equívoco quanto a avaliação de que espaço palaciano poderia ser usado para um convescote familiar.

 

De um governador e seus próximos espera-se muito comedimento. Muito mesmo. São pessoas que, dada a uma circunstância histórica, devem dar exemplo e servir de farol para a sociedade. E as redes sociais, para isso, hoje em dia, são fundamentais. No entanto… com Caiado, a mulher Gracinha e as filhas e o filho curtindo a vida adoidado e postando sem qualquer controle, eles próprios acabarão como as suas maiores vítimas.