Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

01 mar

Com os cargos estaduais nos municípios, DEM está montando uma superestrutura em Goiás. Partido tem até um superintendente exclusivo para cuidar das suas nomeações

O DEM, que chegou perto da extinção em Goiás por falta de quadros, está ressurgindo das cinzas como principal beneficiário das centenas, talvez milhares de cargos que o governo do Estado tem nos municípios. O partido conta com um superintendente, na esfera da governadoria, exclusivamente dedicado a coordenar as nomeações: é Luís Carlos Rates, que sempre acompanhou Ronaldo Caiado como assessor em seus mandatos parlamentares e também sempre exerceu cargos de direção na seção goiana do partido.

 

Rates atua com força no contato com as lideranças do DEM no interior, recebendo indicações para cargos nas regionais do Detran, Vapt Vupt, coordenadorias da Educação, Ipasgo e em mais uma infinidade de repartições públicas. Esse trabalho tem incomodado os deputados estaduais e federais, além de prefeitos teoricamente da base de Caiado, mas não do DEM, que ainda não foram ouvidos e não emplacaram apadrinhados na estrutura do governo. Onde o partido dos democratas não existe, lideranças de outras legendas estão sendo arregimentadas, em troca de cargos, para engrossar as suas fileiras.

 

No comando de uma superintendência de nome esquisito – a de Assuntos Interinstitucionais -, Luís Carlos Rates esvaziou parte das funções de articulação política que deveria estar nas mãos do secretário de Governo Ernesto Roller, notadamente quanto aos municípios. Ele, é claro, tem muito mais proximidade com Caiado do que Roller, que veio do MDB.