Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

16 mar

Pela voz de Mabel, presidente da Fieg, empresários beneficiados ameaçam Caiado com a desindustrialização de Goiás caso haja qualquer mudança na política de incentivos fiscais

É muito pesada a entrevista que o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás Sandro Mabel deu a O Popular, disponível em vídeo na íntegra na página do jornal na internet. Mabel discutiu a política de incentivos fiscais em vigor em Goiás e sem meias palavras afirmou, repetidas vezes, que qualquer mudança terá como resposta uma migração de indústrias para outros Estados onde supostamente existiriam condições melhores de lucratividade para os empresários.

 

Segundo o ex-deputado, só com a cogitação de que os incentivos fiscais poderiam ser modificados, já se notam dois efeitos: um, a constatação de que um grande número de indústrias está preventivamente se preparando para deixar Goiás, outro, a desistência de empresários que planejavam vir para o Estado. “Eu mesmo conheço dois que estavam dispostos a se instalar em Goiás, mas, diante do noticiário simplesmente mudaram de ideia e estão procurando outro destino”, disse Mabel.

 

As ameaças do presidente da Fieg são bem pensadas. Caiado não pode correr o risco de mexer no vespeiro das isenções milionárias de ICMS e, no dia seguinte, se deparar com manchetes mostrando máquinas sendo carregadas em caminhões para serem levadas para outros Estados. A dose de coragem para uma atitude como essa teria que ser cavalar. Poderia até se caracterizar como o seu túmulo político, como foi de governadores, como Olívio Dutra, do Rio Grande do Sul, que ousaram contrariar o poderoso lobby do empresariado e suas não menos influentes entidades de classe. Dutra foi simplesmente destruído ao ser identificado com um retrocesso na economia gaúcha.

 

Segundo Mabel, transferir uma indústria de um local para outro é coisa à toa. O mais demorado é o galpão, que pode ser construído à jato, em três ou quatro meses, seja de que tamanho for. Na segunda guerra mundial, Stálin deslocou rapidamente a indústria pesada russa, ameaçada pela invasão alemão, para além dos Montes Urais, a uma distância segura das fronteiras ocidentais. Se foi assim naquela época, imaginem hoje, com equipamento muito mais leve. Goiás, caso Caiado venha a se imiscuir nos incentivos fiscais e caso a ameaça dos empresários seja efetivada, estaria desindustrializado em um prazo de um a dois anos.