Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

01 abr

Greve mostra que Caiado brincou com os professores ao assumir compromissos com o pagamento dos salários e não cumprir, sem sequer dar explicações

Os mais de 40 mil professores da rede estadual entram em greve a partir desta quarta, 3 de abril, reivindicando o pagamento dos seus salários e o tratamento isonômico, quanto à data de quitação da folha, entre ativos e inativos. Eles vão cessar as suas atividades até sexta, voltando a se reunir na segunda vindoura para avaliar como o governo do Estado reagiu e quais serão os próximos passos. Há reclamações, ainda, sobre compromissos que o governador fez com a categoria e não cumpriu.

 

A greve é o primeiro movimento de amplitude, dentro da sociedade, a abalar o passos iniciais do governador Ronaldo Caiado – que, perto de completar 100 dias de mandato, não são mais tão iniciais assim. O movimento também coloca em xeque a secretária da Educação Fátima Gavioli, que, aliás, em sua passagem pela mesma pasta em Rondônia, também foi obrigada a enfrentar seguidas paralisações. Nem ela nem Caiado, até agora, se pronunciaram sobre a decisão dos professores estaduais de mostrar que a paciência acabou e que agora começa uma etapa de confrontação.