Informações, análises e comentários do jornalista
José Luiz Bittencourt sobre política, cultura e economia

19 maio

Oposição a Caiado na Assembleia está consolidada com 12 deputados, mas os 29 restantes não oferecem margem de segurança para a aprovação das matérias do governo

Uma reunião na semana passada, sob a liderança do deputado Cláudio Meirelles (PTC), consolidou a bancada de oposição ao governador Ronaldo Caiado na Assembleia Legislativa. São 12 parlamentares: além do próprio Cláudio, alinharam-se Talles Barreto (PSDB), Lucas Calil PSD), Hélio de Sousa (PSDB), Antônio Gomide (PT), Adriana Accorsi (PT), Leda Borges (PSDB), Sebastião Caroço(PSDB) , Coronel Adailton (PP), Wilde Cambão (PSD), Gustavo Sebba (PSDB) e Alysson Lima (PRB).

 

Sobram 29 parlamentares para a base governista. Mas não é bem assim, Mesmo com esse elevado número à sua disposição, o Palácio das Esmeraldas não conseguiu formatar a sua maioria. Há deputados, como Major Araújo (PRP), que ainda não se declararam contra o governador, mas conversam com a oposição. Podem também ser citados, nesse grupo, Iso Moreira (DEM) e Humberto Aidar (MDB), por exemplo. E mais alguns que se aproximaram do governo, abocanharam a cota de R$ 30 mil em nomeações que foi disponibilizada pelo secretário Ernesto Roller, mais a indicação de duas diretorias ou superintendências, e mesmo assim não se mostram convictos e reclamam do tratamento que vêm recebendo – especialmente do distanciamento de Caiado em relação a eles.

 

Além disso, há forte desconfiança sobre a fidelidade de deputados que sempre foram próximos ao ex-governador Marconi Perillo e se transferiram com rapidez e agilidade para a banda caiadista, onde ainda não tiveram tempo para se enraizar: Diego Sorgatto (PSDB), Thiago Albernaz, Henrique Arantes (PTB) e Virmondes Cruvinel (Cidadania) estão entre eles. Tudo isso leva a uma inevitável conclusão: além de não ter sido ainda cimentada, a base de apoio a Caiado na Assembleia pode ser considerada como fluída. Ou flexível. E, portanto, sem nenhuma margem de segurança para os interesses do governo.